Arquivo para Tag: urgência

De forma geral, nós nos rendemos à procrastinação. Isso porque o cérebro humano tem preferência pela recompensa imediata e por isso, tende a lutar com tarefas que prometem vantagens futuras em troca de esforços no presente.

A verdade é que funcionamos à base de incentivos. Trabalhamos pelo incentivo de ganhar dinheiro, investimos pelo incentivo de conquistar o retorno, temos relações interpessoais para ganhar afeto e carinho. Enfim, tudo é movido visando algo.

Nos relacionamentos comerciais e empresariais, utilizamos os gatilhos mentais como incentivo para acelerar o processo de decisão de seus potenciais clientes. Para isso você precisa conhecer quais são esses gatilhos e entender como utilizá-los em sua estratégia de marketing.

Então no post de hoje, vamos te ensinar 6 gatilhos mentais a serem usados ​​para transformar visitantes em leads e leads em clientes.

Vamos lá!

O que são Gatilhos Mentais

Os gatilhos mentais são argumentos e incentivos capazes de provocar uma reação nas pessoas e tirá-las da zona de conforto.

Definitivamente, precisamos falar sobre neuromarketing para explicar os gatilhos mentais. Esta é a ciência que une os estudos de marketing com os da neurociência e que contribui muito para as estratégias de marketing e vendas.

O principal objetivo do neuromarketing é entender o comportamento do consumidor. E para entender o que são gatilhos mentais, você precisa entender como seu cérebro faz escolhas diárias.

Alguns exemplos de perguntas que os estudos na área respondem é: 

  • Por que os consumidores compram da marca X e não da Y?
  • Como o cérebro humano reage a determinada cor?
  • Qual emoção aumenta as chances da pessoa comprar?
  • Qual o tipo de texto mais chama a atenção?

Sendo assim, os gatilhos mentais são motivadores psicológicos, baseados em padrões de comportamentos. É um facilitador do cérebro para a tomada de decisão.

Por que utilizar os gatilhos mentais?

Como dissemos, o objetivo dos gatilhos mentais no marketing é ajudar o seu público a tomar uma decisão e levá-lo para mais perto da compra. Ou seja, ele já está precisando do que você oferece, mas falta um estímulo. 

Uma prova social, uma autoridade, um case… são esses estímulos que vão dar um alerta de que uma oferta vale a pena! Seja assinando uma newsletter, colocando seu nome na lista de espera de um curso, comprando um produto limitado ou esperando ansiosamente pelo lançamento do próximo episódio de sua série favorita à meia-noite: toda ação é motivada por gatilhos mentais.

Embora extremamente importantes, os gatilhos devem ser usados ​​adequadamente. Se usados ​​em excesso, eles podem ser exagerados e confundir o público. Seja objetivo e verdadeiro.

Você precisa ser responsável e nunca mentir para o seu público. Não use um estímulo se não for verdadeiro. Você vai acabar perdendo vendas e credibilidade. sabe aquela loja que sempre está com promoção? Então, você acaba não comprando, porque sabe que aquela promoção é eterna – ou seja, nem é mais promoção, é preço mesmo, mas a loja insiste que é “promoção”, mesmo a gente sabendo que não é.

Então para que esse gatilho funcione, ele precisa ser real. Se o seu público perceber que você usa esse gatilho com muita frequência, ele perde a eficácia como argumento de uma decisão.

Vamos conferir os principais:

Reciprocidade: gentileza gera gentileza

O gatilho da reciprocidade é um dos mais importantes e é também a base do inbound marketing.

Sempre que alguém nos faz um favor, nossa tendência natural é retribuir, certo? 

Esse gatilho se baseia na ideia de que se disponibilizamos algo gratuitamente, a pessoa que receber esse “presente” sentirá o impulso de retribuir o gesto.

Por isso é fundamental agregar valor ao cliente de forma espontânea, feito de coração, com o objetivo de tornar a vida das pessoas mais simples e, depois, gerar algum lucro para você. Não o contrário. As pessoas sentem isso.

Muitos empreendedores ainda têm dúvidas em entender a jornada de compra, pois estão preocupados com o retorno imediato do investimento. Porém, se você passar por todas as etapas do funil de vendas e qualificar seus leads, suas vendas vão escalar naturalmente.

Então, como acionar a reciprocidade?

Através do que costumamos chamar de “isca digital” ou “material rico”. Ao oferecer ao seu público um conteúdo gratuito, mas genuinamente valioso, como ebook, webinar, infográfico ou até um demo ou amostra, é muito mais provável que eles dêem o próximo passo no processo de vendas quando forem apresentados. 

Provavelmente você já deve ter se cadastrado na versão grátis ou “freemium” de um software. Um exemplo é o Dropbox, que de 50 milhões de usuários em 2010, cresceu para mais de 300 milhões oferecendo aos novos usuários 2 GB de espaço gratuito e oferecendo planos pagos a partir de US$ 9,99/mês. 

Quando se apegam a ele, é mais provável que paguem pelo uso do produto ou serviço no final do período de teste, porque não querem perder o que já ganharam.

Segundo a Pesquisa de Conversão de Pequenas Empresas SaaS, a taxa de conversão de visitante para teste/trial e de teste/trial para cliente ultrapassou em muito a alternativa de visitante direto para cliente. Por isso é importante compreender os passos da jornada de compra do seu público.

 

📌 Você pode utilizar esse gatilho das seguintes maneiras:

  • Iscas digitais: procure conhecer a necessidade de seu consumidor e ofereça um material gratuito que vá agregar e ajudar da melhor forma em sua tomada de decisão.
  • Amostras grátis: envie uma amostra grátis de outro produto sempre que um consumidor fizer uma compra em seu e-commerce.
  • Consultoria grátis: se você for uma empresa b2b (que vende para outras empresas) oferecer uma consultoria, mentoria ou avaliação gratuita (como essa da Mkt Ideas) permite que os possíveis clientes tenham uma primeira experiência com você e com seu negócio.
  • Trial/Teste: se seu ramo for de tecnologia e SAAS, disponha um trial, teste ou até uma demonstração gratuita para o lead ter uma “amostra” da sua ferramenta.  
  • Exemplo de copy: “Baixe nosso guia gratuito e aprenda a criar planos de carreira para seus funcionários.”

 

💡 Leia também:

 

Urgência e Escassez

Quanto mais difícil é conseguir algo – isto é, quanto mais escasso um recurso parece ou mais urgente é seu apelo – mais o queremos, não é verdade?

Somos muito mais motivados pelo medo de perder do que pelo desejo de ganhar

Se o lead não se sentir seguro para fazer a compra, pode se sentir motivado a agir se achar que não haverá outra oportunidade de fazê-lo.

Por exemplo: você já está pensando em comprar uns sapatos novos e no dia seguinte recebe um email com uma promoção exclusiva por 24 horas. É tentador, não é? 

Veja a marca Chanel, por exemplo. Simplesmente pelo fato de produzir uma quantidade limitada de cores sazonais de seu esmalte infame e caro, o fornecedor de maquiagem impulsiona as vendas temporada após temporada. 

Amazon e Booking também costumam usar esse gatilho, exibindo quantas unidades ainda restam – “Apenas 9 unidades restantes em estoque” -, o número de pessoas que estão navegando na página naquele momento, e restrições de tempo – “Quer receber na próxima terça? Faça o pedido dentro de 18 horas e 15 minutos”. Esse tipo de informação contribui para que o visitante precise concluir a compra.

 

📌 Você pode utilizar esse gatilho das seguintes maneiras:

  • Tempo limitado: limite o tempo de uma condição ou oferta, com prazo especificado.
  • Lote: aplique um preço promocional, que pode acabar a qualquer momento após o preenchimento de um número determinado de vagas.
  • Bônus: ofereça um bônus para que o cliente compre o produto ou serviço em determinado período ou em quantidade predeterminada.
  • Vagas: quando o serviço possui vagas limitadas e o cliente precisa decidir logo ou pode ficar sem conseguir uma delas.
  • Exemplo de copy: “Utilize nosso cupom de desconto e pague mais barato nas viagens feitas até às 18h de hoje.”

 

– Novidade e Antecipação

Foi neurologicamente comprovado que a exposição a algo novo e desconhecido aumenta o nível de dopamina no cérebro, que está diretamente relacionado aos seus níveis de concentração e motivação.

A curiosidade não só inspira a ação, mas também aumenta a atividade em partes do cérebro associadas ao prazer. 

Além de estimular o interesse, o gatilho da novidade leva as pessoas à ação, uma vez que desejam ser as primeiras a experimentar o novo produto ou serviço.

Assim como a novidade, a antecipação também é um dos gatilhos mentais que provoca a sensação de expectativa. Sobretudo em relação ao futuro.

Por isso grandes nomes do mercado, como Microsoft e Apple investem tanto em lançamentos, pois mesmo quando a nova versão traz poucas novidades, o público está atento pelo simples fato de ser algo nunca antes visto no mercado.

Você pode usar este gatilho para informar sempre que surgir algo novo na sua empresa. Talvez um produto que tenha esgotado recentemente? Logo, você pode aliar os gatilhos mentais: “novidade”, “escassez”, “autoridade” e “prova social” para deixar seus consumidores atentos a uma nova reposição de estoque.

 

📌 Você pode utilizar esse gatilho das seguintes maneiras:

  • Relacionamento: você pode aplicá-lo por meio de mensagens ou e-mails marketing/newsletters, com certa periodicidade, anunciando seus novos produtos e serviços. Isso ajudará a manter o interesse de seu público, que estará sempre aguardando novas informações.
  • Lembretes: informe sempre que surgir algo novo em sua empresa ou até mesmo alguma novidade no seu mercado.
  • Exemplo de copy: “Na próxima semana lançaremos um módulo adicional de nosso curso de inglês com um método totalmente revolucionário no mercado.”

 

– Autoridade e Confiança

Autoridade é um dos gatilhos mentais que trabalha com a confiança dos consumidores em relação a sua empresa, produto ou serviço. Pessoas seguem autoridades. Elas tendem a seguir as recomendações de alguém que consideram superior.

Portanto, se você deseja atrair mais clientes, precisa se colocar como uma autoridade no seu nicho de mercado.

A forma como o vendedor apresenta o produto influencia na forma como o usuário o vê. Se você confia no que está vendendo, a chance de alguém se envolver com a sua oferta aumenta.

Para isso, você precisará deixar as estratégias de vendas de lado no início e focar em ações de branding que possam agregar valor ao seu público e sua marca.

Por exemplo: escreva um blog e o mantenha atualizado, oferecendo material útil e gratuito. Com isso, você mostra que sabe muito sobre o assunto e estabelece uma relação de confiança com seus potenciais clientes, mostrando a eles que não está interessado apenas em fazer uma venda, mas sim em compartilhar informação, de forma genuína.

Com esse relacionamento, você terá mais tempo para educar seu lead sobre o produto e, eventualmente, propor uma venda. O que significa que a construção de autoridade é uma estratégia que leva tempo, mas quando executada corretamente, pode ser bem duradoura e trazer uma receita significativa para o seu negócio.

Outra forma de usar o gatilho mental da autoridade é pedir para um grande nome que recomende seu produto. Um exemplo claro é como as empresas do setor de saúde usam endossos de profissionais médicos com credenciais importantes. 

Nesse caso, certifique-se de selecionar celebridades e influenciadores conhecidos pelo público que você pretende atingir. 

 

📌 Você pode utilizar esse gatilho das seguintes maneiras:

  • Conteúdos de referência: produzir conteúdos relevantes é uma das melhores formas de ganhar autoridade de mercado. Compartilhe o que você sabe e mostre-se um especialista. 
  • Palestras: participar e promover eventos e palestras é uma forma potente de ganhar credibilidade e confiança no seu setor. Se você está no palco é porque tem algo a dizer, e as pessoas respeitam isso.
  • Conte sua história: quanto mais informações seus consumidores tiverem sobre sua empresa, maiores as chances deles se relacionarem com sua marca. Use o storytelling a seu favor.
  • Especialistas: se alguma pessoa de renome (alguma celebridade ou um digital influencer) falar bem de seus produtos, consequentemente o reconhecimento da sua marca aumenta.
  • Exemplo de copy: “Conheça o método que fez a Gabriela Pugliesi secar a barriga.”

 

Está gostando do conteúdo? Aproveite e faça como os 5.347 inscritos: assine grátis nossa newsletter e faça parte da nossa lista VIP:

 

– Prova Social: diga-me com quem tu andas

Quer gostemos de admitir ou não, as multidões são forças poderosas. Os humanos são sociais e a simples verdade é que agimos em bando.

Por isso, sempre que estamos comprando algo, tendemos a buscar mais informações sobre o que outros compradores acharam. Esse processo é ainda mais minucioso quando estamos comprando online, já que é natural que as pessoas tenham mais dúvidas nesse tipo de compra.

Uma pesquisa da Harvard Business School concluiu que “o aumento de uma estrela na avaliação leva a um crescimento de 5% a 9% na receita de restaurantes”. O estudo demonstra que os usuários estão constantemente avaliando o que os outros estão dizendo quando se trata de tomar suas decisões de compra.

Veja um exemplo do cotidiano. Se você tivesse que escolher entre dois restaurantes: um bem mais cheio, com uma fila de espera, ou o do lado, totalmente vazio… Qual escolheria? Por mais que as pessoas não gostem de esperar, elas preferem não se decepcionar. Logo, pensamos: se o restaurante está cheio é porque é bom. E vice-versa.

A que conclusão nós chegamos? Independente do motivo (medo, curiosidade, hesitação), quanto mais pessoas optam por determinada opção, mais somos influenciados a tomar a mesma atitude. Seja em relação à moda, alimentação, um aplicativo e etc.

Temos a tendência de acreditar mais em pessoas desconhecidas do que nas empresas, mesmo sendo elas conhecidas

Pois é, dura verdade, né?

Os depoimentos também são um ótimo ponto de partida. O GetResponse, por exemplo, exemplifica dois pilares de prova social em sua página inicial: o poder dos números e o poder de indivíduos específicos.

Além dessas, existem duas outras formas que você pode empregar online: menções positivas nas redes sociais e estudos de caso aprofundados.

Um estudo de caso bem feito vale ouro. Criar um conteúdo como esse que criamos para a Sumus e esse para a Qualitin é um excelente exemplo de um estudo de caso que se baseia em provas sociais para mostrar o sucesso de uma empresa a fim de gerar conversões online. O princípio por trás disso é o mesmo princípio por trás dos depoimentos: “Eles conseguiram… e você também pode”.

Lembre-se: a prova social está diretamente ligada a gatilhos mentais como autoridade e escassez. Por isso, quando aliados, os resultados podem ser muito mais efetivos.

 

📌 Você pode utilizar esse gatilho das seguintes maneiras:

  • Avaliações: ao final de uma experiência de compra do seu cliente, sempre faça uma pesquisa rápida para que ele avalie e classifique.
  • Depoimentos: selecione comentários de clientes satisfeitos e exiba-os na página principal do seu site. Fotos e vídeos dão ainda mais credibilidade ao depoimento.
  • Cases: utilize dados como números de pesquisas, unidades vendidas ou engajamento e menções nas redes sociais como prova social.
  • Exemplo de copy: “Conheça o curso que já ajudou mais de 500 mil pessoas a falarem inglês em casa.”

 

– Coerência e Compromisso

As pessoas, tanto por razões interpessoais-sociais quanto pessoais-subconscientes, farão de tudo para parecer coerente com seus pensamentos e ações anteriores

É exatamente por isso que grandes mudanças no estilo de vida, como perder peso ou parar de fumar, são muito mais bem-sucedidas quando a meta é anunciada publicamente.

A chave é fazer do compromisso um ato pequeno, que pode produzir grandes mudanças. Pequenos “sims” sempre precedem grandes “sims”. Dito de outra forma, como qualquer pessoa que já fez vendas cara a cara sabe: o primeiro “sim” é difícil; o segundo, fácil.

A ferramenta Conversion Voodoo aumentou as taxas de conversão de aplicativos em mais de 11% simplesmente adicionando uma caixa de seleção de compromisso:

Os mini compromissos ajudam as pessoas a terem mais chances de seguir.

Esse mesmo princípio está por trás da opção de formulário de multi etapas – eles dividem o processo real de inscrição em dois (ou mais) separados por passos. Se a pessoa já deu o primeiro passo, é mais difícil ela desistir no meio do caminho.

 

📌 Você pode utilizar esse gatilho das seguintes maneiras:

  • Motivos: pergunte ao possível cliente as razões que o levaram a entrar em contato com você. Dessa forma ele vai se comprometer com a escolha que ele mesmo tomou inicialmente.
  • Pequenos ganhos: ofereça um produto mais barato ou até mesmo gratuito. Assim, você abre caminho para uma compra maior (upsell e cross sell). Essa técnica é conhecida como “pé na porta” e consiste em começar com um pedido pequeno para depois obter pedidos maiores.
  • Exemplo de copy: “Se eu conseguir aplicar um desconto, conseguimos fechar a proposta?” (sim)

 

Use os gatilhos com sabedoria

Como você pode ver, toda a sua estratégia de marketing focada em conversão deve conter diferentes tipos de gatilhos mentais, mas é crucial analisar seus usos e modificá-los quando necessário.

Procure entender quais gatilhos você deve utilizar no seu negócio diariamente. Faça isso de maneira equilibrada para não soar muito agressivo e parecer que está apenas manipulando-os, o que prejudica sua imagem. Logo, trabalhe bem seus conteúdos e crie descrições de produtos atraentes e, acima de tudo, convincentes.

Lembrando: tome cuidado para não confundir persuasão com manipulação. Enquanto a primeira vai expor argumentos honestos para consideração do interlocutor, a segunda tenta obter o resultado esperado pela distorção dos fatos.

Por isso, é importante lembrar que esses atalhos mentais devem ser usados com ética. Não é recomendável induzir seus clientes a comprarem coisas que não precisam, pois tal prática não seria benéfica para ninguém e, ainda, poderia causar uma imagem negativa em relação a sua empresa. 

A ideia não é manipular ou hipnotizar as pessoas para convencê-las a fazer uma compra. Tudo que você precisa é dar ao seu público o que eles querem. Motivação, ou seja, motivar a uma ação.

O segredo é conhecer seu público e saber o momento certo de convertê-los, oferecendo sempre algo de valor, independente do estágio em que se encontrem. 

Por exemplo, se estiver no topo do funil seja mais específico nos gatilhos iniciais construindo mais sobre a reciprocidade (atraia o potencial comprador), escassez (o que falta para esse comprador, problemas e implicações) e autoridade (como posso gerar valor e me posicionar como autoridade).

Se você ainda não sabe como aplicar uma estratégia de marketing eficaz de acordo com a jornada do seu cliente, baixe grátis o ebook introdução ao inbound marketing:

 

 

Continue nos acompanhando em nosso blogfanpageinstagram, linkedIn e Grupo no Whatsapp para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😁

#TakeIote #TakeIdeias