Saber como seu cliente compra é a maneira ideal de preparar sua empresa para ele. Criar um ambiente propício para essa conversão garante o sucesso da compra e também uma experiência incrível para o seu público.

Entretanto, a grande questão que todas as empresas se perguntam é: como fazer isso?

A resposta é com a Jornada do Cliente!

Já contamos nesse artigo aqui sobre a Jornada de Compra, que é o caminho percorrido pelo consumidor em 4 etapas, desde a pré venda até a venda. 

Já a Jornada do Cliente conta com 9 etapas. Indo do pré ao pós venda, a jornada consegue abranger todos os aspectos da compra e garantir o seu sucesso.

Se você deseja preparar sua empresa para os clientes e encontrar as melhores oportunidades de venda, então continue conosco e descubra tudo o que precisa sobre essa jornada.

Boa leitura!

O que é Jornada do Cliente?

Talvez você nunca tenha parado para reparar, mas quando compramos há algumas ações recorrentes que acontecem.

Uma delas, por exemplo, é a pesquisa. Ainda mais nos dias de hoje em que temos acesso a internet na palma de nossas mãos, é muito comum que, sempre que precisamos de algo, recorramos a plataformas de pesquisa como o Google para tirar nossas dúvidas.

Afinal, quem nunca procurou por melhores preços ou opções por lá?

Esse é apenas um dos 9 pontos pelos quais os clientes passam durante o consumo.

Chamado de Jornada do Cliente, ou Customer Journey, essa é uma estratégia que busca conhecer os seus clientes, suas ações e comportamentos recorrentes, a fim de prever e preparar suas futuras compras.

A ideia com isso é garantir que vamos criar o ambiente mais propício para que os consumidores comprem, garantindo maiores conversões e fidelizações para a empresa.

A grande vantagem de se ter uma Jornada do Cliente em seu negócio é que você vai saber com exatidão o que fazer e onde investir para melhorar seus números. Pense nessa jornada como um mapa, que traça exatamente o caminho pelo qual seu público passa.

Essa informação te dará a confiança de investir tempo, dinheiro e esforço da sua equipe apenas nas estratégias que realmente vão contribuir para a conversão. No fim o resultado é uma empresa muito mais otimizada e rentável.

Leia também:

.

Quais as etapas da Jornada do Cliente?

Como mencionamos, a jornada do cliente é composta por 9 diferentes etapas. Para que você consiga visualizar cada uma delas, vamos pensar na seguinte situação:

Imagine que você acabou de se lembrar que no final de semana, dentro de 3 dias, terá a festa de aniversário do seu melhor amigo, e por causa da correria do dia a dia se esqueceu de comprar o presente dele (NECESSIDADE).

Assim que se lembra disso, não perde tempo e passa usar seu celular para pesquisar possíveis presentes que ele iria gostar. Como seu amigo é um leitor ávido, nada melhor do que um livro para ele!

Sem saber direito por onde começar, você digitou no Google “quais os melhores livros de todos os tempos?”, afinal não dá para errar com um clássico (DESCOBERTA)!

Durante essa busca, acabou se deparando com uma lista de 10 livros que todos deveriam ler e, entre eles, uma edição de O Hobbit de J. R. R. Tolkien se destacou, já que há um tempo atrás seu amigo havia comentado de querer ler ele (RECONHECIMENTO).

Pois bem, a decisão de presente estava tomada, mas ainda havia um problema, o aniversário estava muito próximo e precisava encontrar uma empresa que entregasse a encomenda a tempo.

Navegando pelo Google, você começou a procurar por diversas opções de lojas que coubesse em seu bolso e ainda prometeu uma entrega no prazo (CONSIDERAÇÃO).

Quando finalmente achou uma com todos os atributos necessários, não pensou duas vezes e fez o pedido (COMPRA)! 

Assim que seu pagamento foi efetuado, você recebeu em seu e-mail uma confirmação do pedido e um código de rastreamento para que pudesse acompanhar seu pacote (ONBOARDING).

Já no dia seguinte, outra mensagem chegou ao seu email, agora dizendo que sua encomenda expressa já estava na sua cidade e seria entregue em breve (PRIMEIRO VALOR). Isso o deixou muito mais tranquilo, já que teria tempo de sobra para que o livro chegasse.

Dito e feito, dois dias depois da compra, você recebeu o livro na porta da sua casa, como o prometido (VALOR RECORRENTE).

O aniversário foi um sucesso e seu amigo adorou o presente. Sua experiência com a compra acabou sendo tão boa que algumas semanas depois você voltou a consumir na loja, agora comprando um livro para si próprio (EXPANSÃO).

O que acabamos de narrar foi uma Jornada do Cliente do início ao fim. Veja como ela percorre cada ponto da compra, indo do pré ao pós venda:

 

 

Ao conhecer sua jornada você pode melhorar esse caminho e facilitar a conversão dos clientes.

Outra grande vantagem dessa visualização do caminho que seu cliente percorre é que ela permite que você melhore a experiência de compra dos clientes. Sendo esse um fator decisivo para fidelizar o público, quanto melhor for a experiência, mais vendas você terá.

Assim, pense na jornada do cliente como uma forma de solucionar diversos problemas com um único esforço!

 

Está gostando desse artigo? Aproveite e faça como os 5.347 inscritos: assine grátis nossa newsletter abaixo e faça parte da nossa lista VIP:

O que preciso para fazer a minha própria Jornada do Cliente?

Fazer sua própria jornada não é uma tarefa difícil, mas um pouco trabalhosa.

O nome técnico dado a essa jornada quando colocada no papel é Mapa da Jornada do Cliente, já que ele realmente funciona como um mapa.

Sua criação se dá com base em dois pilares, sendo o primeiro deles a pesquisa e análise de dados, e a segunda a persona da sua empresa. Se precisar de ajuda, um profissional ou agência qualificada conseguirá te ajudar com mais eficiente.

Cada persona será responsável por dar as coordenadas de cada mapa, ou seja, se sua empresa tem 4 personas, você também deve ter 4 Customer Journeys.

Para ter uma visão prática e mais clara do mapa, é possível contar com templates prontos ou softwares de criação. Um bom exemplo desses apps é o Jornio.com, e a plataforma também te ajuda a criar suas personas, já conectando esses dois pontos.

Entretanto, se for de sua preferência, também é possível fazer esse mapa de forma manual.

Para isso, você precisará identificar alguns pontos para cada etapa da jornada. São eles:

  • Palavras-chave
  • Storytelling
  • Intenção de compra
  • Expectativa
  • Dores
  • Canais de comunicação

Entre outros. 

Conclusão

Criar sua jornada é um passo essencial para tirar ideias do papel e tornar sua empresa mais funcional para os clientes.

Ainda que seja um processo trabalhoso, pense que ao criar seu mapa da jornada do cliente você estará poupando gastos e esforços desnecessários no futuro, além de criar uma ambiente mais do que fértil para fidelizar seus clientes.

E para finalizar, deixamos mais uma dica para você:

O segredo para criar uma jornada do cliente incrível e torná-la funcional na sua empresa é começar buscando saber o que seu cliente precisa. A necessidade de consumo é a base de tudo e também deve ser a base de criação do seu mapa.

Conheça seu cliente e entregue o que ele deseja, assim garantirá seu sucesso e também que ele retorne a sua empresa.

Agora que já sabe tudo o que precisa, é hora de arregaçar as mangas e criar sua própria jornada do cliente! Para te ajudar nessa missão, sugerimos esse e-book gratuito com 10 cases de marketing digital para você se inspirar:

 

 

Ele conta como empresas de diferentes portes e segmentos utilizam da jornada do cliente para montar estratégias de ações de marketing e potencializar seus resultados! 

Aproveite e compartilhe com seus amigos e colegas.

 

Continue nos acompanhando em nosso blog, fanpage, instagram, linkedIn e grupo no whatsapp para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😁

#TakeaNote #TakeIdeias

 

Este conteúdo foi produzido por Jornio.

 

Já falamos nesse artigo sobre como montar o planejamento de marketing da sua empresa e ter uma visão mais macro do seu negócio.

Porém, se você já montou o planejamento de marketing e partiu para a parte operacional, “mão na massa”, deve ter pensado “como montar agora um plano de ação?

Criar um plano e trabalho atrelado as datas comemorativas é uma excelente oportunidade para quem deseja alavancar seus negócios em determinados períodos e celebrações do ano.

Dificilmente você vai encontrar um empresário ou gestor que não venda mais no Dia das Mães e não veja o faturamento subir na Black Friday, por exemplo.

Seja qual for o modelo da sua empresa, aproveitar as datas comemorativas, e também as sazonalidades, para orientar o planejamento, pode resultar em ações com mais apelo de engajamento e conversão.

Isso, porque, elas são ótimas para fortalecer a sua marca, aumentar o vínculo com seus clientes e melhorar as vendas.

Atualmente, as datas comemorativas mais importantes para a grande maioria são:

  • Páscoa
  • Dia das Mães
  • Dia dos Pais
  • Dia das Crianças
  • Black Friday
  • Natal

Essas duas últimas são consideradas as mais relevantes.

Mas também existem outras especiais, como Dia dos Namorados, Dia do Livro, Dia do Rock. Tudo depende do segmento e estratégia da sua empresa.

O Calendário de 2022 está repleto de oportunidades para você aumentar o faturamento da sua empresa, se diferenciando da concorrência. É importante entendermos que promoções e ações sazonais funcionam muito bem para dar um empurrãozinho naquele contato que está em cima do muro.

Leia também:

Para ter sucesso nas campanhas de datas comemorativas, independente do segmento, é importante estar atento a alguns detalhes: um bom planejamento é indispensável para dar direção à ação estratégica que será adotada pelo seu negócio. Afinal, quando se tem um caminho claro a seguir, ganha-se tempo e dinheiro!

Diante disso, trago neste post algumas dicas para que você consiga aproveitar as datas comemorativas e as sazonalidades para atrair, se relacionar e vender muito mais.

Como criar um planejamento com cronograma?

Passo a passo para o plano:

1– Mapear as datas comemorativas

Hoje temos data comemorativa para tudo e todos: Dia do Meio Ambiente, Dia Mundial da Água, Dia da Secretária, Dia do Médico, Dia do Advogado, Dia do Planeta e, pasmem, tem até Dia da Toalha, Dia do Cotonete e Dia da Praça!

Essas datas são ótimos gatilhos para você promover sua empresa e criar conteúdo e ações originais e criativas, atreladas ao seu negócio.

Embora o ano tenha muitas datas importantes, nem todas serão relevantes para o seu negócio. Por exemplo, uma loja que vende roupas apenas para adultos, não precisa pensar em ações para o Dia das Crianças.

Por isso, identifique as datas comemorativas que representam eventos e e momentos significativos para o seu segmento e que fazem sentido para a sua persona e o posicionamento da sua marca.

2– Analise o mercado e a concorrência

Buscar inspirações no mercado e até mesmo junto à concorrência pode auxiliar a estimular a criatividade para criar ações inéditas, que vão despertar o interesse e a curiosidade do público de conhecer a sua marca e o que ela tem a oferecer de vantajoso.

Além disso, analisar uma ação que já foi consumida pelo mercado é um meio de saber por onde começar, como identificar ações que tenham boa repercussão e evitar abordagens que possam não ter o efeito almejado.

3– Fazer um resgate histórico

Se sua empresa já está no mercado há no mínimo 1 ano e já realizou qualquer tipo de ação de marketing, o resgate dessas ações pode trazer referências valiosas.

Avalie os meses do ano em que as vendas são mais altas e os meses em que as vendas não são tão expressivas. Identifique as razões para esses resultados e avalie o comportamento geral do seu consumidor.

Dessa forma, você saberá em quais períodos há uma aderência mais forte do seu público, conseguirá planejar o futuro com base em dados concretos do passado e terá um norte mais bem definido.

Seja nos formatos mais tradicionais, as datas comemorativas podem já ter sido foco de um planejamento anterior de marketing, agilizando assim a elaboração do planejamento deste ano.

Agora, se você está começando, tente fazer esse mesmo exercício olhando para concorrentes e negócios parecidos com o seu. Assim, fica mais fácil escolher em quais datas você irá fazer campanhas sazonais.

4– Definir uma campanha especial

Agora é o momento de definir o propósito e o formato em que as ações serão trabalhadas:

VENDAS?

Datas para ações comerciais: algumas datas comemorativas são importantes para o comércio e não devem ficar de fora, pois o seu concorrente provavelmente fará alguma ação nesse período. Como o mercado investe agressivamente nessas datas, a dica aqui é ir além do desconto e ser criativo para chamar atenção.

Exemplo #1 –  Loja de chocolate gourmet

  • Data Comemorativa: Páscoa
  • Ação: post sobre os benefícios do cacau + CTA para conhecer a linha de chocolates puro cacau da marca
  • Propósito: conteúdo topo de funil para atração, mas com gatilho para aumentar vendas
  • Formato: post em tópicos, rico em imagens, promovido no blog e redes sociais.

Exemplo #2 –  Clínica de estética

  • Sazonalidade: período de frio, onde as vendas de depilação caem
  • Ação: cupom de 20% de desconto na depilação com cera de mel
  • Propósito: é uma oferta fundo de funil, focado na geração de leads e conversão em vendas
  • Formato: Landing Page, peça gráfica simples a ser promovida nas redes sociais e via email marketing com sua base.

Exemplo #3 – Escola de culinária

  • Data Comemorativa: Dia da Gula
  • Ação: Landing Page com 3 receitas irresistíveis com morangos
  • Propósito: conteúdo de meio de funil, para relacionamento com a base
  • Formato: conteúdo estilo ebook, link para vídeo e divulgado para a base de leads via campanha de email marketing.

BRANDING?

Datas para fortalecer a imagem da empresa: datas em que a empresa pode fazer alguma menção apoiando ou celebrando uma causa e que não necessariamente precise envolver uma promoção ou dar descontos. Dessa maneira, sua empresa reforça a imagem na mente dos seus consumidores, que poderão lembrar de você da próxima vez que precisar do seu produto ou serviço.

Exemplo #4 – Qualquer empresa

  • Data Comemorativa: Dia mundial do doador de sangue
  • Ação: banner estimulando a doação de sangue.
  • Propósito: conteúdo para relacionamento com a base e fortalecimento da marca
  • Formato: peça gráfica simples a ser promovida nas redes sociais

5 – Elaborar plano de execução

Depois de saber o que e por que fazer, é preciso definir como e quando fazê-lo, pois o planejamento da execução é tão importante quanto a definição da pauta e do planejamento de ações.

Sem planejamento, fica difícil organizar ações de marketing em datas sazonais. Por mais que uma estratégia seja eficaz, ela só vai funcionar se houver uma programação bem estruturada e pensada com antecedência.

Verifique seu calendário para garantir que tenha tempo suficiente para planejar e executar as ações de marketing e que você esteja deixando espaço suficiente entre as promoções.

Em vez de deixar para promover a ação no dia que ela começar, procure estabelecer um senso de antecipação. Fale dela alguns dias ou semanas antes e mostre o que os clientes podem esperar. Isso é algo feito com muita frequência durante a Black Friday. Inclusive, veja o conteúdo deste artigo que criamos 1 mês antes do Black Friday do ano passado com o propósito de estimular as vendas dos nossos serviços da agência.

Confira o Calendário 2022 e planeje-se!

Pode parecer clichê, mas o planejamento é o coração de uma boa estratégia de marketing.

Sendo assim, quebrar a cabeça para elaborar um planejamento bem embasado e estruturado e prezar pela produção de textos e peças relevantes e de qualidade deve ser visto pelas empresas como um verdadeiro investimento.

Portanto, se ainda não planejou e antecipou suas ações, corre que ainda dá tempo! Estamos no começo do ano ainda e você já pode planejar suas ações até o final do ano. Quanto antes, melhor!

Quer uma ajudinha?

Baixe grátis o Calendário 2022 com a datas comemorativas para te ajudar no plano:

 

Este artigo sobre calendário promocional foi útil? Então aproveite para compartilhá-lo nas redes sociais e ajude outros profissionais a entenderem mais a respeito do assunto! 😉

Aproveite e faça como os 5.347 inscritos: assine grátis nossa newsletter abaixo e faça parte da nossa lista VIP:

 

Continue nos acompanhando em nosso blog, fanpage, instagram, linkedIn e Grupo no Whatsapp para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😁

#TakeIote #TakeIdeias

 

 

Se seus resultados estão estagnados e sua empresa não consegue gerar um ROI positivo, talvez esteja na hora de repensar o planejamento e o direcionamento das suas ações de marketing.

Já no penúltimo mês do ano e já está mais que na hora de planejar o orçamento de 2022.

Mas você já parou para pensar onde está o seu investimento de marketing? Você já fez um planejamento estratégico?

Se ainda não fez, pare tudo!

Você pode estar em um buraco maior do que imagina. Digo isso porque se a sua empresa não sabe onde quer chegar e não tem um planejamento para isso, qualquer ação pode parecer fazer sentido (ou não).

Independente do tamanho do seu negócio, “o planejamento de marketing auxilia no controle de gastos e no registro de ações para aumentar o número de vendas, por exemplo”,

– diz Marcos Bedendo, professor de marketing estratégico da ESPM.

Muitas vezes somos ansiosos e queremos já colocar a mão na massa. Mas a verdade é que, se você quer atingir os objetivos da sua empresa, é necessário traçar metas, e para traçar metas, devemos bolar um plano. Não é mesmo? O plano servirá como um mapa para que sua empresa chegue ao seu “destino”.

Quando você realiza um planejamento claro com cronograma e direcionamento para os próximos meses, as chances do resultado das ações serem mais assertivas são altas.

Dependendo do porte da sua empresa, isso pode significar a economia de milhares de reais ou um aumento no faturamento de milhões.

Vale fazer essa reflexão!

Então, pare e comece a pensar em estruturar a estratégia do seu negócio para que possa de fato impactar seus resultados no próximo ano.

Nunca é tarde para definir propósitos, objetivos, metas e resultados. Se precisar de uma mãozinha, conte conosco!

Um exemplo de planejamento de marketing pode conter coisas como:

  • Desenvolvimento de materiais de apoio para o time comercial
  • Criação e ajustes no site para aumentar sua conversão e performance
  • Reposicionamento da marca e identidade visual da empresa para geração de valor
  • Criar anúncios segmentados para alcançar o público alvo de forma mais rápida e eficaz
  • Aumentar a rede de relacionamento e engajamento com clientes nas redes sociais
  • Desenvolver conteúdos de qualidade no blog para que sejam encontrados nos sites de busca orgânica, se tornar referência no segmento e aumentar as visitas no site
  • Gerar leads nas etapas da jornada de compra, a fim de converter leads iniciantes mas também leads com bastante maturidade para vendas
  • Trabalhar essa geração através de materiais ricos e landing pages
  • Fazer automação de marketing afim de preparar os leads para o momento da compra, de acordo com o seu perfil e interesse, sempre trazendo para o fundo do funil, próximo a venda
  • Nutrir, se relacionar e divulgar as ofertas da empresa com seu público através de envios de e-mail marketing
  • Acompanhar e analisar os resultados a fim de encontrar melhorias e oportunidades de otimização

….quanta coisa!

Por isso é hora de criar ou repensar o seu planejamento de marketing.

Para te ajudar, nós montamos um passo a passo resumido de como criar um Planejamento de Marketing de Sucesso:

Vamos lá:

1- Analise a Empresa, Mercado, Público e Concorrente

Algumas informações norteadores do planejamento são os itens de identidade organizacional da sua empresa. Os 3 mais importantes são: Missão, Visão e Valores. A partir dessas informações vamos conseguir definir e planejar metas.

Avalie também quais são os fatores externos e internos que podem influenciar a sua empresa. É preciso analisar o mercado do segmento e o produto e ver quais são as capacidades do negócio. Anote suas forças e fraquezas (análise SWOT) e o capital disponível para ações de marketing.

Além disso, entenda quem são seus clientes. Às vezes, o público alvo ideal não é o consumidor. Você pode ter como objetivo atender a classe A, mas o seu consumidor é o C, ou vice versa. Para isso, devemos desenhar o persona da sua empresa com descrições detalhadas e específicas. Não queira ser abrangente demais, para não pulverizar os seus esforços.

Depois disso, avalie de maneira detalhada quem são e quais são os objetivos dos seus principais concorrentes. Veja o que estão fazendo e o que você pode fazer melhor para se diferenciar.

Dica: se você se diferencia, você deixa de ter concorrentes diretos e aumenta o seu valor de marca. 😉 Portanto, encontre seu diferencial estratégico!

2- Trace suas Metas e Objetivos

Todas as suas ações de marketing devem ser miradas para atingir o tipo de retorno que você precisa obter. E toda meta deve ser pertinente com o seu nicho, sua estratégia, perfil da empresa e do público-alvo.

Por exemplo, se o objetivo for aumentar a exposição da marca, trabalhe com branding, rede de display, peças institucionais e o ações voltadas à essa meta. Se for aumentar as vendas, precisa entender de onde vem o faturamento de suas vendas e avaliar se o ideal é fazer com que os clientes comprem com mais frequência ou se a chave é buscar novos consumidores.

Lembre-se: o sucesso está nos detalhes e, para atingi-lo, é preciso dar um passo de cada vez.

Aqui, simplicidade e foco resumem tudo.

3- Defina suas Estratégias e Ações

Para cada meta definida, faça uma projeção de ações para alcançar o resultado planejado.

É hora então de avaliar quais medidas serão adotadas pela empresa: em quais canais deve estar, se investe em anúncios, quais materiais e artes serão necessárias, o tipo de conteúdo a ser desenvolvido, a periodicidade disso, se haverá promoções, quais serão as ofertas, e por aí vai.

Precisamos ter ações e diretrizes para alcançar o que planejamos.

Se está com dúvidas de como começar, faça o Raio-X do Marketing da sua empresa. Essa ferramenta te dá um relatório com pontos positivos e negativos do seu marketing atual e te aponta melhorias.

4- Estabeleça um Cronograma

Chegou a hora de criar um cronograma com as estratégias e ações definidas.

Recomendo que a sua projeção seja feita para no máximo 1 ano, mas se você estiver começando ou estiver em um mercado incerto, pode fazer a cada 3 ou 6 meses.

Se você já fez um planejamento anterior, avalie

  • o que deu certo nos últimos meses
  • o que foi feito e
  • o que falta fazer para alcançar seus objetivos.

Um dos principais problemas com o cumprimento do planejamento de marketing são os prazos não respeitados.

Portanto crie uma planilha, uma ferramenta ou um documento que esteja detalhado as ações e estratégias dos próximos meses, com datas, os responsáveis e as periodicidades. Controle-o diariamente e identifique com antecedência possíveis rupturas, para evitar atrasos e possíveis prejuízos.

Aproveite e faça um calendário com datas comemorativas e sazonais. Veja o passo a passo neste artigo: Plano de ações: como usar as datas comemorativas para vender mais

5- Mensure os Resultados

Por fim, se você planejou e executou, precisa acompanhar os resultados e entender se eles estão saindo conforme planejado, pois assim pode realizar ações corretivas e pensar em novas estratégias para realizar no lugar de algumas que podem não estar dando certo.

Tão importante do que ter sua estratégia estruturada é ter a certeza de que ela:

  • está sendo bem executada,
  • que seus indicadores estão sendo bem acompanhados e,
  • acima de tudo, que as metas traçadas foram alcançadas.

Avalie qual a periodicidade necessária de avaliação desses resultados.

E-commerces e grandes portais, por exemplo, precisam ficar de olho no comportamento dos seus visitantes em tempo real, para identificar possíveis mudanças que possam indicar oportunidades ou riscos a serem evitados.

Mas dependendo do seu segmento, porte e periodicidade das ações, 1 vez por trimestre pode ser o suficiente. O importante é manter uma consistência no acompanhamento dos resultados.

Uma vez por mês é a periodicidade que geralmente nós aqui da Mkt Ideas mantemos com nossos clientes, assim conseguimos uma janela boa para avaliar resultados mais palpáveis e mensuráveis e gerar insights valiosos e concretos para as estratégias.

6- Reavalie sempre!

Todo planejamento de marketing não tem fim, por isso é recomendável que ele seja revisado, refeito e atualizado com dados como número de vendas, faturamento, rentabilidade e outros indicadores importantes de desempenho.

O consumidor e o mercado mudam o tempo todo, por isso é importante sempre manter seu planejamento atualizado com o cenário do momento.

Boa sorte!

Dica Plus: Sempre procure por empresas ou profissionais especializados

Você possui profissionais qualificados para estudar sua empresa, público alvo, mercado e construir o Planejamento Estratégico de Sucesso? Ou então uma equipe profissional para desenvolvimento das ações do seu Plano?

Se não, recomendo que você entre em contato conosco pra ontem. Vamos lá?

Nós estamos imersos todos os dias em ações de marketing e comunicação, por isso sabemos a melhor forma te de ajudar, com soluções eficazes e com foco em resultados concretos.

Se esse artigo foi útil de alguma forma para você, compartilhe em suas redes sociais e também cadastre seu email em nossa lista VIP:

Continue nos acompanhando em nosso blog, fanpage, instagram, linkedIn e Grupo no Whatsapp para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😁

#TakeIote #TakeIdeias

 

 

É…. 2022 foi um ano de desafios, não é mesmo?

O fim do ano está se aproximando! Estamos entrando no 4º trimestre do ano e as árvores de natal já começam a aparecer nas lojas.

Mas antes de Natal e Ano Novo, há uma outra ocasião muito relevante no aumento das vendas para o comércio: a Black Friday, que, neste ano, acontecerá no dia 25 de novembro.

O evento é uma das datas mais lucrativas, chegando a superar datas mais “tradicionais”, como o Dia das Mães.

Isso nos mostra que a Black Friday é um ótimo evento para os empresários conseguirem conquistar todas as vendas que não conseguiram realizar durante o ano. Ainda mais nesse momento que estamos vivendo com a retomada da economia!

Aliás, se você não sabe como inovar e sair na frente da concorrência, baixe nosso e-book gratuito:

Porém, a Black Friday 2022 será de grandes vendas?

O Brasil e o mundo ainda sofre com os impactos que a pandemia trouxe nos últimos 2 anos. Compras feitas por impulso, por exemplo, podem se tornar menos frequentes. Por outro lado, de acordo com o SEBRAE, mais de 3,9 milhões de empreendedores abriram um novo negócio no país, o que reflete também sobre o cenário da pandemia que fez as pessoas partirem para ganhar novas formas de renda.

Também é importante dizer que, apesar dos últimos 2 anos terem sido marcados pela pandemia, tiveram no período de 2021 um faturamento de 4,2 bilhões em vendas, um crescimento de 5% em relação a 2020, que teve 4,02 bilhões (crescimento de 25,1% em relação à pré-pandemia, em 2019), de acordo com dados da NielsenIQ Ebit.

Com mais pessoas em casa, o crescimento ocorreu principalmente no e-commerce, enfraquecendo as lojas físicas. Já este ano, as lojas estarão oferecendo mais ofertas em todos seus canais, sejam digitais ou físicos, afinal, com a melhoria da pandemia, o consumidor está mais confiante em ir pessoalmente aos estabelecimentos. 

Em complemento, em recente pesquisa realizada pela Globo, relata que 50% dos consumidores brasileiros pretendem realizar compras na Black Friday em 2022, e trás à tona um importante evento que ainda ocorrerá este ano em uma data próxima, a Copa do Mundo.

Vale dizer, que os consumidores estão contendo cada vez mais suas despesas e se tornando verdadeiros caçadores de bons preços. As promoções e condições especiais nunca foram tão importantes para o bolso do consumidor.

Como a Black Friday é um evento de grande relevância dentro do calendário do comércio, o consumidor já aprendeu a esperar pela data para adquirir os produtos e serviços de seu interesse e até mesmo antecipar as compras de Natal e Ano Novo (e agora, Copa do Mundo).

Então, respondendo à pergunta:

Sim! O Black Friday 2022 desse ano promete. Só depende de você! Com preparação e estratégias que te possibilitarão ganhar mais clientes e lucratividade. Por isso, confira as 7 dicas que separamos para você:

Dicas de marketing para ter sucesso na Black Friday:

 

        1. Se planeje com antecedência

O gestor que quiser garantir a sua fatia desse montante já deve começar o quanto antes a pensar em todos os detalhes.

A Black Friday exige que os empresários preparem com antecedência o seu marketing para atender os milhões de consumidores que estão em busca das melhores ofertas.

Portanto, para que essa data seja lucrativa, primeiramente é necessário um bom planejamento. Não adianta deixar tudo para a última hora e improvisar. Pode até ser que dê algum resultado. Mas com um planejamento bem pensado e estruturado, os ganhos serão ainda melhores.

> Leia também: Planejamento de Ações: como sua empresa pode usar as datas comemorativas para vender mais.

Se a expectativa é grande por parte dos consumidores, a preparação por parte das empresas também acontece com muita antecedência.

       2. Ofereça descontos dignos de Black Friday

Primeiramente, é preciso criar ofertas reais e ser honesto com o consumidor.

Nas primeiras edições, a Black Friday no Brasil acabou sendo uma decepção para os consumidores e a data ficou mais conhecida como Black Fraude, em razão dos descontos irreais e das falsas ofertas.

A solução para mudar o senso comum é partir sempre da verdade e, realmente, dar ao consumidor as vantagens que sua campanha vende.

Aposte não só nos descontos, mas em cupons, pacotes e até brindes especiais. Se sua empresa for B2B e você vende serviços, pense também em condições exclusivas e atraentes para o seu público, como: percentual de descontos para contratos fechados no dia/semana x; uma análise ou consultoria gratuita para os 10 primeiros clientes; pacotes exclusivos; bônus de entregas à mais; entre outras.

Aproveite momentos como esse para trabalhar também a fidelização dos clientes.

Vale lembrar que esses descontos precisam ser condições exclusivas de Black Friday, se não, não fará muito sentido o consumidor esperar essa data!

        3. Ambientize seu site e espaço físico

Outro ponto essencial é a ambientação do seu site, loja e escritório que, assim como em datas comemorativas, deve estar estilizada.

Investir em selos, banners e até um logotipo especial fará toda a diferença no momento das vendas. Isso faz com que o consumidor identifique rapidamente a campanha e sinta mais confiança na sua empresa.

Aposte ainda em adequações tecnológicas para que seu site suporte o pico de acessos sem sair do ar. Invista em uma empresa especializada que possa te ajudar com isso, afinal, ficar offline em plena Black Friday é perda na certa.

        4. Otimize seu site

Vamos falar agora da experiência do usuário (UX). Isso é algo que não pode ficar de fora, de jeito nenhum, na Black Friday. E para isso precisamos falar de um assunto muito importante: a usabilidade mobile do site.

O tráfego web por meio de dispositivos móveis vem crescendo cada vez mais, sendo assim, não se esqueça da versão mobile. Seu site precisa estar adequado para o acesso pelo celular.

O tempo de carregamento também afeta diretamente a taxa de rejeição do seu site. A taxa de rejeição (ou bounce rate) mostra a porcentagem de pessoas que visitaram o seu site e deixaram-no imediatamente. Se o tempo de carregamento de um site é de mais de cinco segundos, cerca de 38% dos visitantes escolhem deixar essa página de maneira prematura.

Portanto, o design, a funcionalidade e a quantidade de conteúdo apresentado são coisas muito importante e que influenciam diretamente nas vendas. Pois, se a página não for amigável e o consumidor tiver muita dificuldade de acessar o site pelo smartphone, certamente, ele desistirá da compra.

O UX design tem sido tão importante nos últimos tempos, pois se refere a experiência do usuário, a forma como o consumidor interage com seu site e com os elementos que ali são disponibilizados.

Veja mais dicas sobre UX e outros elementos nesse artigo: Dicas sobre design que irão alavancar as conversões do seu site

Ainda falando de SEO, analise títulos, descrições, conteúdos, URLs e palavras chave, principalmente relacionadas a Black Friday.

 

Está gostando do conteúdo? Faça como os 5.347 inscritos: assine grátis nossa newsletter abaixo e faça parte da nossa lista VIP:

        5. Se atente no atendimento

Também se prepare para o atendimento e suporte ao cliente. Tenha uma equipe treinada para oferecer atendimento ágil e eficiente aos clientes na hora da compra. É uma maneira de evitar devoluções ou reclamações e um incentivo para as pessoas voltarem a comprar.

No caso de produtos, não se esqueça de pensar no estoque e na logística. Tenha um bom número dos principais produtos de sua loja em estoque, garanta ainda certa quantidade a mais por segurança, afinal cliente nenhum quer ver a mensagem de “produto indisponível” e você, certamente, não está interessado em perder vendas.

Mantenha ainda um olhar rigoroso sobre os processos de logística – a entrega pode ser um dos fatores decisivos no momento da compra. Caso haja a possibilidade de atrasos na entrega, expresse isso antes mesmo que o cliente faça a compra.

O custo do frete também deve ser pensado. Negocie custos com os parceiros de logísticas e estipule melhores prazos de entrega que sejam viáveis para ofertar na data.

Não se esqueça do pós-venda hein! Na entrega do produto ou serviço, dê motivos para o cliente voltar: envie recompensas como cupom de desconto ou brinde especial pra resgate na próxima compra; amostra de produto; mensagem de agradecimento; pedido de avaliação, etc. Torne a experiência com sua marca especial.

        6. Divulgue e crie antecipação nos canais digitais

Use as redes sociais, faça campanhas de e-mail marketing e aposte em anúncios (publicações impulsionadas no facebook e instagram podem dar ótimos resultados). Elas são grandes aliadas!

Através delas, é interessante manter seus consumidores informados sobre quais produtos entrarão em descontos o quanto antes e criar o desejo de antecipação com conteúdos alinhados a seus interesses.

Exemplos de call to action (chamadas para ação) que podem ser usadas para atrair o público:

  • Só 24h com até 66% off
  • Frete grátis só hoje
  • Os 100 primeiros clientes vão ganhar um presente
  • Sua chance de ganhar até R$100
  • Só hoje ganhe até R$60
  • Esquenta Black Friday: ganhe até 50% de desconto
  • Só hoje ganhe um super bônus para compras acima de R$150
  • Ofertas antecipada a semana toda! Ganhe até 60% OFF
  • Dormiu, perdeu! Ofertas da madrugada com até 50% de desconto

Muitas outras chamadas podem ser usadas, vai depender do quanto a sua empresa está ofertando, se é B2B ou B2C e também da linguagem usada com o público.

Em 2017 a Shopify realizou uma pesquisa que apontou que e-mails na Black Friday e Cyber Monday converteram mais que outras fontes de atração como redes sociais, e, atualmente, o e-mail marketing continua sendo uma poderosa ferramenta.

Gráfico retirado da Shopify a comparando a conversão de e-mails, pesquisa orgânica, contato direto e de redes sociais

Gráfico da Shopify comparando a conversão nos canais de marketing

Porém, para realizar campanhas de e-mails é necessário ter uma base de clientes e ferramentas que realizem segmentações e automações, além de ter formas para conseguir o e-mail de seu potencial cliente, como em landing pages.

 

Está preparado?

Em momentos de crise, onde o mercado se vê fragilizado, datas comemorativas devem dar o fôlego necessário para os empresários se equilibrarem e pensar em estratégias para crescerem.

“Por conta da crise, os varejistas não estão conseguindo bater suas metas e eles estão contando com a data para isso. O consumidor também espera, pois sabe que fará um bom negócio”, afirma Claudia Sciama, Diretora de Negócios para Varejo do Google.

 

Se você possui ou gerencia um negócio e não quer ficar de fora, entre em contato conosco agora mesmo para te ajudarmos com a criação do material gráfico, divulgação, criação de anúncios e estratégias:

 

Continue nos acompanhando nosso blog, fanpage, instagram, linkedin e Grupo no Whatsapp para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😁

#TakeaNote #TakeIdeas

 

 

A sua empresa está enviando mensagem para as pessoas certas?

Se essa é uma pergunta que você nunca parou para fazer, está na hora de pensar em criar personas para o marketing do seu negócio.

Uma das máximas do Inbound Marketing diz que “devemos enviar a mensagem certa para a pessoa certa e no momento certo”, assim teremos maiores chances de sucesso em nossas ações.

Porém, antes mesmo de pensar na mensagem certa, devemos saber quem são as pessoas certas para direcionarmos a nossa comunicação. Parece óbvio, mas muitas vezes essa é uma etapa esquecida.

No marketing, essa pessoa é conhecida como Persona ou Buyer Persona.

O que é Persona?

Persona é a representação fictícia do seu cliente ideal.

Ela é baseada em dados reais sobre comportamento e características dos seus clientes ideais, assim como a criação de suas histórias pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações.

A criação de personas não é uma técnica nova, mas poderia ser muito mais explorada do que é atualmente. É muito comum empresas e agências criarem campanhas de marketing sem entender profundamente quem é o seu cliente ideal.

Se você diz que seu público-alvo é “praticamente todos” ou “alguém interessado em meus serviços”, você não tem muita chance de aumentar conversões. E, para nós da Mkt Ideas, aumentar conversões é mais importante que apenas aumentar visitas.

Qual a diferença entre persona e público-alvo?

É comum que haja alguma confusão nos conceitos, mas uma coisa podemos afirmar com certeza: persona e público-alvo não são sinônimos.

Vamos a um exemplo prático:

  • Público-alvo: Homens e mulheres, entre 30 à 45 anos, moram em capitais do Brasil. Trabalham em grandes empresas, classe B.
  • Persona:  Diego Mesquita, 33 anos, gerente de marketing de uma grande empresa, casado, gosta de passar o tempo livre com a família, frequenta show de jazz e blues e está conectado a todas a redes sociais, pós graduado em marketing digital, sofre muita pressão da diretoria por resultados, quer bater metas e ser valorizado na empresa.

Percebeu a diferença?

Público-alvo é uma parcela abrangente da sociedade, para quem você vende seus produtos ou serviços, não cita seus hábitos, comportamentos e interesses.

Já a persona é a representação do seu cliente ideal, de forma mais humanizada e mais personalizada. Ela é tão real quanto uma pessoa de verdade. Esse é o segredo.

Tradicionalmente, a definição de um público alvo consiste em determinar a sua idade, sexo, localização geográfica e as suas necessidades. Acontece que, atualmente, é necessário muito mais do que isso, precisando portanto, olhar de forma direcionada para outras questões.

Em um primeiro momento pode até soar muito parecido. Mas faz toda a diferença pensar em uma estratégia de marketing direcionada ao “Diego Mesquita” e não a um extenso público-alvo.

Por que criar uma Persona?

Conforme apontamos acima, a persona possui características muito mais conclusivas e ricas, o que facilita a criação de uma estratégia de marketing (e de negócios também), afinal você sabe exatamente com quem está falando.

Precisamos entender quantos anos esta pessoa tem, de que sexo é, qual a profissão, qual o grau de instrução, o que gosta de fazer no tempo livre e etc. Além destes, uma série de fatores que influenciam no que esta pessoa tem como hábitos e o que ela gostaria de consumir.

Quanto mais você entender sua persona, mais clientes você irá conquistar.

Você precisa conhecer a sua persona tão bem, mas tão bem, que consiga encaixar uma solução sob medida da sua empresa pra ela, ou até mesmo criar uma nova oferta, dentro do “sonho de vida” dela (“sonho de vida” = objetivo de vida/de empresa).

No entanto, muitas empresas têm dificuldade para definir o seu persona e acabam por fazê-lo de forma extremamente ampla.

Com a persona definido, você irá entender:

  • Qual linguagem usar
  • Qual canal se comunicar
  • Qual mensagem enviar
  • Quais conteúdos podem ser produzidos
  • Qual será o cronograma de conteúdo
  • Quais palavras chave iremos trabalhar
  • Qual será o estilo e periodicidade do e-mail marketing
  • Como faremos a segmentação nos anúncios

E muito mais.

Suas campanhas precisam soar “como música” nos ouvidos da sua persona.

Como criar uma Persona?

O maior erro cometido é tentar criar a persona com base no que nós achamos que é o nosso cliente.

Esse “achômetro” muitas vezes está completamente equivocado e nossa comunicação ficará totalmente mal direcionada. Personas não podem ser criadas através de palpites e suposições.

Para que o produto final seja de qualidade é necessário coletar dados, realizar pesquisas e entrevistas.

Podem ser dados de cadastros dos seus clientes, informações dos últimos anos de vendas e até mesmo, utilizar ferramentas de pesquisa para chegar em uma informação mais relevante e assertiva. A base de clientes é o lugar perfeito para começar a investigação de persona da empresa.

Com esses dados, ficará muito mais fácil entender quem é este persona e a partir de então tudo que formos criar, tanto no campo de produto ou serviço como no campo de comunicação, será direcionado para esta persona.

Algumas características básicas que utilizamos para definir as personas:

  • Dados demográficos: gênero, idade, estado civil, se têm filhos, onde moram;
  • Objetivos: o que valorizam, quais são seus sonhos e como podem ser ajudados a realizá-los;
  • Pontos fracos: entenda os problemas dessas pessoas e como a sua empresa pode resolvê-los;
  • Onde buscam informações: descubra os canais online e offline onde buscam atualizações e informações e invista nesses canais;
  • Que cargo ocupam: investigue onde trabalham e em qual área.

Quanto mais informações tivermos, mais completa a nossa persona e muito melhor a nossa comunicação.

O próximo passo é detalhar o perfil persona a partir das respostas obtidas. Reúna as informações, elabore o personagem com um nome e uma imagem e coloque em um documento a ser disponibilizado para todos na empresa.

Lembre-se: É muito importante que a persona seja uma pessoa real, assim, todos da sua equipe têm uma ideia com quem estão conversando e tornam a comunicação mais humanizada e assertiva. Lembra do Diego Mesquita?

A sua empresa está se comunicando do jeito certo ?

Agora que você entende o que é persona e identificou a da sua empresa, faço as seguintes perguntas: Você está se comunicando do jeito certo? Está mostrando qual problema as suas soluções resolvem? Está falando o que sua persona espera ouvir?

Deixe sua resposta nos comentários e aproveite para baixar nosso ebook gratuito para aprender mais sobre a estratégia de Inbound Marketing:

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage, linkedin e instagram para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 🚀 #TakeaNote #TakeIdeas

O Marketing Digital para dentistas já é uma realidade e a forma mais eficiente de fidelizar e captar pacientes e ainda se destacar da concorrência. Quer saber como fazer tudo isso? Veja agora em 4 dicas práticas e aplicáveis!

A internet mudou totalmente a forma com que as pessoas buscam por informações, produzem e consomem conteúdos e o reflexo disso é a transformação no processo de “comprar e vender”.

“Mas como assim?”

Bom, certamente você nem se lembra mais qual foi a última vez em que comprou um produto ou serviço sem antes pesquisá-lo na internet a fim de obter informações que lhe dessem autonomia até chegar ao momento de compra.

Pois bem, é assim que o consumidor age antes de fechar negócio e, em contrapartida, as empresas precisam corresponder a esse nível de exigência.

Na área odontológica, um dos segmentos que mais crescem no Brasil, não é diferente e a internet é fundamental. 

Continue lendo este conteúdo e descubra:

Por que investir em Marketing Digital

Os dentistas sempre investiram em Marketing com cartões, indicações, ligações e por aí vai, mesmo que nunca tenham se atentado a isso.

Pois é, essas eram algumas maneiras de reter e captar novos pacientes, mas as coisas mudaram e elas já não são tão eficientes assim, e é aí que entra o Marketing Digital para Dentistas.

De forma mais direta, o Marketing Digital consiste em usar os canais online para gerir o relacionamento com o público, fortalecer a imagem de uma marca e a partir disso criar oportunidades de vendas.

Pensa bem, uma empresa de plano de saúde dental antes de pensar em ter clientes, precisa entregar valor a ponto deles perceberem que precisam contar com esse serviço.

Então, as melhores estratégias para atingir esses objetivos são:

1 – Tenha um blog

Os blogs são ótimos para entregar conteúdos educativos e que resolvam os problemas de quem os acessam.

Basicamente, não é necessário falar apenas sobre sua área de atuação, mas pensar também em possíveis desdobramentos. 

Afinal, uma pessoa pode estar no seu blog procurando informações sobre determinado procedimento, se vale mais a pena o atendimento particular ou por plano de saúde dentário ou simplesmente buscando por dicas de como manter uma boa higiene bucal.

Então, ao postar conteúdos no blog, pense sempre em elucidar possíveis problemas dos usuários. Isso dá autoridade ao seu consultório, fortalece a imagem da marca e ainda  traz novos pacientes.

Se quiser saber mais sobre o assunto, sugiro a leitura do artigo: Ter um blog dá resultado? Sim, só depende de você.

2 – Invista nas redes sociais

Você é um dentista e o slogan mais famoso do meio talvez seja “dentes são o cartão de visita do ser humano”, certo? Então provavelmente seu público seja mais visual.

É essencial saber qual rede social seu público mais consome, investir nela e criar conteúdos informativos assim como o blog. Aliás, você pode maximizar seus resultados trabalhando de forma integrada com esses dois canais.

A diferença dos conteúdos de redes sociais para os blogs é apenas uma: eles precisam ser mais dinâmicos já que ninguém está no Facebook para ler textos enormes.

Um conselho de ouro: faça publicações com dicas rápidas, promessas e antes e depois – elas costumam desempenhar bem nas redes sociais.

Se você não sabe quais são as redes sociais ideais para o seu consultório, veja esse artigo aqui. Porém, as mais usadas são:

  • Instagram
  • Youtube
  • Facebook
  • Pinterest

Se ainda não está convencido sobre a importância das redes sociais, leia esse artigo: Por que sua empresa deve estar nas redes sociais?

3 – Trabalhe o SEO

SEO é a sigla de Search Engine Optimization, ou em bom português: Otimização de Mecanismos de Busca. 

O SEO aplica em sites diversas técnicas para que eles fiquem melhor posicionados em mecanismos de busca como Google, Yahoo e Bing.

Para consultórios e clínicas, o SEO serve para que seus produtos ou serviços sejam encontrados por potenciais pacientes.

Melhor dizendo…

Suponha que um potencial paciente tem interesse em saber sobre determinado tratamento e busca pelo seguinte termo: “dentista que atende por plano odontológico”.

Se o seu blog aplicar as técnicas de SEO e criar conteúdos acerca do assunto, é provável que você seja o resultado dessa busca e feche mais um tratamento.

4 – Faça anúncios

Um belo dia lá estava você pelo Google, pesquisou por “fornecedores de insumos odontológicos” e conferiu algumas opções mas não tomou nenhuma decisão. Até aí tudo bem.

Porém, quando foi acessar seu Instagram se deparou com um anúncio relacionado à busca feita lá no Google. “Ah, esses algoritmos”…

Pois bem, esse tal anúncio não é nenhuma mágica e tampouco significa que seu Iphone comprado em Orlando foi invadido, na verdade trata-se de uma campanha (muito bem feita, por sinal) de Ads.

Os Ads assim como o SEO aparecem de acordo com os termos buscados e constantemente são ofertados em momentos diferentes para que você clique no anúncio e feche negócio.

Eles são bastante interessantes para atingir resultados rápidos, atrair mais pacientes ao consultório e podem ser feitos no Google e também nas redes sociais.

Caso queira entender mais, leia esse artigo: Por que usar os anúncios do Google em sua estratégia de marketing?

Invista em Marketing Digital agora mesmo 

São inúmeros os benefícios do Marketing Digital para dentistas e além disso, é possível ter sucesso com as estratégias apresentadas neste conteúdo investindo pouco.

Apesar dos exemplos com plano de saúde odontológico e dentistas, qualquer empresa pode e deve investir em Marketing Digital se quiser ter relevância no mercado atual e acompanhar os hábitos do público.

Por fim, mas não menos importante, Marketing Digital é teste e consistência e não há um segredo ou fórmula mágica para ter sucesso nos meios digitais.

Por isso, procure sempre estudar os hábitos do seu público e crie estratégias para captá-los de acordo com suas preferências. 

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage, linkedin e instagram para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

 

Este conteúdo foi produzido por Ideal Odonto.

 

 

Não é novidade para nenhum empresário de que estamos passando por dificuldades econômicas por conta do coronavírus.

Momentos de crise costumam assustar a maior parte das empresas, que prefere buscar garantias e evitar riscos.

Devido à esse cenário, um desafio para as empresas dos mais diversos segmentos é se adaptar às mudanças e continuar gerando receita, não é mesmo?

E quando pensamos em gerar receita, a maioria das empresas investem parte de seus capitais em marketing, comunicação e design para alavancar seus negócios. Seja para valorizar a marca, fidelizar clientes ou conquistar mais mercado.

   > Veja também: 10 ideias de ações práticas para sua marca conquistar mais leads durante o Coronavírus.

Porém, quando se iniciam rumores sobre crises financeiras, algumas empresas resolvem enxugar seus investimentos e deixam de investir justamente nessas áreas, que é um grande erro, afinal, como a empresa vai conseguir divulgar suas ofertas e fidelizar seus clientes atuais se não investir em marketing?

Por mais que uma crise se avance em todo o planeta, é importante ter em mente que o corte total de gastos com marketing não será a solução para os problemas das empresas.

E, além disso, pode ser um grande erro deixar de investir neste segmento em fases difíceis, justamente porque sua empresa pode perder seu valor e visibilidade, perdendo para a concorrência e correndo o risco de quebrar.

Agora, enxugar aqueles custos que não trazem retorno para o negócio é muito importante. Portanto, precisamos entender e saber como e onde investir em tempos de crise, para que a empresa não tenha o risco de quebrar.

Ou seja, fazer uma gestão estratégica inteligente.

Além disso, você já ouviu dizer que a crise não é para todos?

Por mais que seus clientes estejam em fases complicadas, eles ainda possuem as suas necessidades e precisarão das  soluções que sua empresa oferece – se não for agora, será quando o pico da pandemia passar.

A questão é: quem eles vão escolher quando tudo isso se normalizar?

Por exemplo, quem está acima do peso continuará com esse problema/dor e voltará a academia quando as coisas se normalizarem. E essa é a sua chance se relacionar e estar presente. Ou você quer que seu lead vá para o concorrente?

E quem tem o objetivo de comprar uma casa, por exemplo, continuará fazendo pesquisas na internet, estudando, comparando preços, enfim, continuará sua jornada de compra. Portanto, se você sabe quando tempo dura essa jornada (exemplo, 2 meses), porque parar agora? Especialmente se for a médio e longo prazo? Como nesse exemplo de comprar casa?

E tem mais: quem precisa comprar um computador, por exemplo, continuará comprando, não tem porque esperar a pandemia, concorda?

 

Mas então por que o marketing é uma das áreas das mais afetadas na crise?

A resposta é de certa forma simples: Muitas empresas, erroneamente, acham que o marketing é um gerador de despesa. O que está errado. Pois o marketing é uma área de apoio aos negócios, que traz resultados à curto, médio e longo prazo.

   > Veja também: Em quanto tempo terei retorno efetivo com o marketing digital?

Mas por que isso acontece?

Porque a forma como o marketing trabalha e se posiciona afeta diretamente o modo como ela é vista dentro do negócio. E os resultados que o marketing entrega influenciam ainda mais a percepção da empresa sobre a função.

Como muitos profissionais e agências de marketing trabalham sem metas e sem planejamento, eles acabam se posicionando como gerador de despesas, levando os empresários a crerem que se cortar a verba de marketing, não haverá diferença.

Isso faz sentido, afinal, sem uma clareza na entrega, fica mais difícil relacionar ações e resultados.

Marketing como Despesa x Marketing como Investimento

Existe uma diferença muito grande entre o marketing que se posiciona como despesa (centros de custos) e entrega resultados intangíveis e outra, que ao contrário, é um investimento (fontes de receitas) para trazer resultáveis palpáveis ao negócio.

Diferenças:

  • Marketing como Despesas: elabora suas ações pensando nos gastos que vai gerar para a empresa. Geralmente não cria um planejamento consistente, não entrega relatórios e não pensa em métrica e nem colhe feedback com a empresa (cliente).
  • Marketing como Investimento: faz um planejamento para cada ação desenvolvida, apresenta, compara e discute as métricas através de relatórios e feedbacks e pensa em soluções e ajustes junto com a empresa (cliente) para atingir seus objetivos.

Já passou por algum desses cenários?

Aí você pode pensar “mas é claro que toda agência ou departamento de marketing deve trabalhar como o que foi citado em Marketing como Investimento”. Pois é, deveria,  mas muitas empresas infelizmente já passaram pelo Marketing como Despesa.

Você já deve ter passado ou conhece algum empresário que passou pelo primeiro cenário, fazendo com que o pouco vínculo entre o marketing deixe a impressão de que poderá ser cortado sem prejudicar os resultados.

O marketing deve ser visto, como o segundo cenário, como uma ferramenta estratégica de negócios que deve ser intensificada em tempos de crise.

Portanto, selecionei abaixo algumas dicas de como investir no Marketing de forma correta para driblar a crise nessa quarentena.

Vamos lá?

Dicas de Estratégias de Marketing para se sair bem na crise:

 

1) VÁ PARA O DIGITAL

Em meio à tudo isso, há estratégias que ajudam os negócios a se conectarem com o público, que hoje está mais online do que nunca.

Na prática, o digital é o que sobrou em meio a todas as restrições físicas, sendo o principal canal da sociedade.

Seja para entretenimento, busca de informações, estudos de novas habilidades, busca de alternativas para o dia a dia, manter o corpo em forma, se comunicar com a família e com colegas de trabalho, fazer negócios e muitas outras coisas que têm impactado nossa vida durante estes dias.

Como prova disso, os acessos à internet aumentaram em 70% nos últimos dias em nosso país, e tendem aumentar mais.

Portanto, se a internet já era importante para os negócios, hoje ela virou a única alternativa para muitos deles. O fechamento de lojas e as medidas de isolamento frente ao coronavírus acertaram em cheio as empresas que atendiam apenas em pontos físicos.

Então não tem como ficar fora dos meios digitais. É o básico para as empresas nesse momento.

 

2) COMUNIQUE-SE: FOQUE NO TOPO E MEIO DE FUNIL

Outra ideia é focar em atração, relacionamento e retenção com: redes sociais, blog, materiais ricos, vídeos, anúncios, SEO e email marketing, por exemplo.

Conteúdo é rei.

  • Precisamos gerar conteúdo educativo para atrair o público para nossa base, para quando isso passar, trazer essa base para o time comercial.
  • Precisamos nos relacionar com nossos leads que já estão na base, fortalecendo nossa marca.
  • Precisamos nos relacionar e estar mais próximos de nossos clientes, para retê-los e fidelizá-los.

Existe uma estratégia conhecida como “marketing da atração” chamada Inbound Marketing. É um método que consiste em vários processos de ações baseadas na jornada de compra dos seus clientes.

   > Se quiser se aprofundar mais, veja esse eBook gratuito: [eBook] Introdução ao Inbound Marketing.

Um dos seus pilares é oferecer conteúdo aos clientes sem a intenção de venda imediata, apostando na construção de um relacionamento que, depois, poderá trazer frutos. Essa estratégia é ainda mais importante nesse momento, já que eles, assim como você, estão preocupados com a pandemia, suas vidas e seus negócios.

O que as pessoas mais estão buscando neste momento é um pouco de conforto e uma forma de diminuir as incertezas. Por isso, é a hora de pegar ainda mais leve nas estratégias e acreditar que toda as empresas têm potencial de colaborar de alguma forma. O fortalecimento da marca virá como consequência.

Como um dos exemplos que falei no início do artigo, o cliente de uma academia não deixou de querer ficar em forma. Se eu sou dono de uma, posso fazer lives e postar aulas no Instagram, ajudando a resolver essa dor sem tentar vender. Quando a situação se acalmar, as pessoas se lembrarão dessa ajuda.

 

3) OUÇA SEU PÚBLICO

Quanto mais conhecermos nosso público, mais assertivos nós seremos.

Conhecer seus clientes e seguidores é essencial para definir qualquer estratégia. Quando você entende bem esses comportamentos, fica mais fácil desenhar estratégias e definir os canais e a linguagem adequada.

Para isso, além de ver os dados da pesquisa, vale começar recorrendo a uma ação simples: fazer perguntas aos seus consumidores. A capacidade de ouvi-los individualmente é uma das grandes vantagens das pequenas empresas em relação às grandes.

 

4) TIRE SUAS IDEIAS DO PAPEL 

Esse é um bom momento para tentar iniciativas. Aproveitar para colocar suas ideias em dia e focar nas estratégias que até o momento você não tinha tempo para se dedicar.

Então pense também naquelas ações de médio e longo prazo que você vem postergando há tempos, como: planejamento, criação de sites, identidade visual, plano de marca e materiais gráficos.

Pois são ações que levam algum tempo. Portanto o quanto antes você iniciar, melhor, pois daqui uns 3 meses você já terá esses projetos no ar.

 

5) SEJA CRIATIVO E INOVADOR

Lembra que no começo do artigo citei que a crise não é para todos?

O consumo digital aumentou consideravelmente desde o início do isolamento social, e algumas empresas já perceberam os benefícios deste novo comportamento, visando amortecer o impacto da crise.

Inovar não necessariamente significa implementar uma nova tecnologia, mas também apostar na criatividade e inteligência para encontrar uma nova maneira de lidar com um problema, oferecendo uma solução rápida e que atenda as necessidades.

Manter os investimentos em novos produtos, novas soluções, sempre de forma estratégica, é essencial para garantir o futuro da sua empresa.

Além disso, não bata na mesma tecla de seus concorrentes. Seja inovador! Faça diferente! Se você não se atentar a isso, será somente mais um na multidão. O ideal é pensar e se comunicar de forma criativa e diferente, ressaltando sempre os melhores atributos do produto e da empresa, destacando os principais diferenciais de sua marca.

O que isso nos diz?

Que é possível prosperar em momentos de dificuldades, e que este é o momento de investir em inovação.

 

6) CUIDE DA SUA MARCA

Manter o orçamento em ações focadas na marca da empresa faz com que você seja lembrado mesmo em momentos de retração do mercado.

A construção e, principalmente a percepção da marca, são fundamentais para a saúde da companhia.

Pense nisso e direcione ações para fortalecimento de sua marca, como criação ou redesign da sua identidade visual, material gráfico promocional e institucional, presença nas redes sociais, conteúdos para blogs e outras ações de branding (gestão da marca).

   > Veja nesse artigo aqui um case bem legal de um redesign de marca que fizemos para um cliente.

Pequenas atitudes podem fazer com que o seu cliente pense duas vezes antes de trocar seu produto pelo do concorrente, que pode até ser bem mais caro, pelo simples fato de não ter uma relação com a sua marca.

Aliás, se você for esse concorrente mais “caro”, essa é sua chance! 🙂

 

7) GERE CONFIANÇA NA SUA EMPRESA

Gerar oportunidades de negócios é o objetivo de toda empresa. Mas em meio a uma perspectiva de economia em baixa, a qualidade de contexto, conteúdo e processos de vendas merecem ainda mais atenção e esforços.

Lembre-se que seu cliente também está vivendo o mesmo momento de ponderação, portanto, ele precisa se sentir seguro sobre suas decisões de compra.

Neste momento, investir em conteúdos sobre sua empresa, como apresentações institucionais e comerciais com cases e diferenciais faz toda a diferença. Treinar sua equipe para que esteja sempre preparada, prestativa e pronta também é um ponto relevante.

Gerar confiança trará mais vendas para sua empresa.

Sugiro a leitura do artigo: Como uma boa apresentação pode conquistar mais clientes?

 

8) ALINHE OS DEPARTAMENTOS DE MARKETING E VENDAS

O objetivo de alinhar as estratégias de marketing com a equipe de vendas é um só: gerar economia e eficiência.

O marketing vai muito além da comunicação dos produtos e serviços. É o setor que deveria direcionar os rumos de atuação de toda companhia.

Para isso, os especialistas devem atuar junto com a empresa, e principalmente com a equipe de vendas, para montar as ações com projeções e metas para o futuro, além de acompanhá-las de perto para garantir que os objetivos traçados aconteçam conforme previsto ou cheguem o mais próximo possível disso.

É um feedback entre o que é apresentado ao mercado (marketing) e o que é retornado para a empresa (vendas). Juntos, podem criar insights bem interessantes e produtivos.

 

9) SE RELACIONE E FIDELIZE

Novamente bato na tecla do relacionamento. Se relacione com seu público alvo e fidelize os clientes que já estão na base.

Pois em um momento de crise é essencial manter o bom relacionamento com aquelas pessoas que já fazem parte da base de contatos.

Investir na comunicação através de e-mail marketing e na criação de fluxos de automação pode ajudar a empresa a vender mais para os atuais clientes, gerar novas oportunidades entre os leads que já existem e diminuir o ciclo de venda.

No Inbound Marketing, além de atrair prospects interessados em seus produtos ou serviços, você deve nutrir esses contatos enviando conteúdo interessante e relevante para eles até o momento em que estarão prontos para receber sua oferta.

É um processo cuidadoso, que envolve profissionais qualificados, disciplina, organização e ferramentas certas.

Automatizar essa etapa significa trazer leads prontos para sua equipe de vendas, pessoas certas, na hora certa, e tudo em um fluxo continuo e muito mais eficiente. Vale a pena o investimento!

Confira alguns cases bem interessantes sobre empresas que investiram no Marketing Digital e use-as como inspiração:

[eBook] 10 Cases de Marketing Digital para você se inspirar!

 

10) MENSURE COM PRECISÃO OS RESULTADOS

Avaliar constantemente os resultados é importante para saber o que gera lucro e focar nele.

Por isso, o resultado de todas as ações deve ser criteriosamente analisado, desde uma call to action até um evento elaborado, assim é possível compreender se é o momento ideal para investir em determinadas ações ou se a melhor decisão é esperar um período mais oportuno para isso.

Com uma avaliação criteriosa você também conseguirá perceber o que realmente gera resultados em curto e médio prazo e poderá focar nesses pontos.

É possível mensurar com melhor precisão principalmente se as ações forem trabalhadas no ambiente online.

Cada ação que a empresa faz em seus negócios, é possível mensurar de forma simples e objetiva, gerando muitas possibilidades de tomadas de decisões com mais confiança.

Dentro do Marketing Digital podemos mensurar todos os tipos de resultados, por exemplo: Quando anunciamos no Google Ads, conseguimos saber quantas vezes o anúncio apareceu, qual o custo de cada palavra, quais as palavras que consumiram mais ou menos créditos, etc. Dentro do site de uma empresa, é possível saber quantas pessoas visitaram, quantas pessoas retornaram, quais as páginas mais visitadas e quais estão trazendo o melhor desempenho ao seu negócio.

O marketing terá todas as ferramentas para avaliar a efetividade das ações executadas junto aos KPIs (indicadores-chave de desempenho), atualizados a todo instante, e as estratégias podem ser revistas caso necessário.

Identificar recursos e o retorno obtido é o primeiro passo para transformar custos em investimento.

 

11) OTIMIZE OS INVESTIMENTOS

Não deixe de investir em seu negócio, mas avalie opções sensatas para sua decisão.

Como dissemos no item acima, faça um mapeamento dos recursos que são investidos hoje.

É importante ter em mente todos os recursos que estão sendo investidos hoje e quais são os retornos que são obtidos a partir deles. Ao entender para onde estão sendo destinados os recursos também será possível conseguir fazer uma gestão mais inteligente, dando novos fins ao que não está trazendo resultados.

Investir na construção de um ativo de marketing normalmente faz com que o custo de aquisição de clientes (CAC) se torne mais baixo.

Resumindo, é preciso manter o foco nas divulgações de marketing, porém fazer uso de alternativas de menor custo e de maior eficiência.

As escolhas de onde investir ou cortar gastos devem estar pautadas nas estratégias, e não na crise.

Esse trabalho é conhecido como Business Intelligence (BI). Aqui na Mkt Ideas, nós realizamos a consultoria BI como bônus para todos os nossos clientes que possuem ações de marketing recorrentes pois sabemos da importância dele. Mas também o temos de forma avulsa para clientes que já possuem equipe interna e querem uma consultoria inteligente do negócio. Para saber mais, clique aqui.

 

Está pronto para trabalhar seu Marketing como Investimento?

Trabalhando bem essas estratégias, depois que isso tudo passar, é só sucesso. Você irá sair na frente dos concorrentes que não foram visionários nesse momento!

O trabalho do marketing da sua empresa será uma arma extremamente poderosa no planejamento estratégico do seu negócios e, ainda, terá efeito propulsor nos resultados e performance da companhia.

É tempo de levantar a cabeça, pensar positivo e focar no que interessa.

Para conquistar o sucesso, é necessário compartilhar de informações e ter uma agência parceira profissional e qualificada para ajudá-lo a entender melhor todo o funcionamento do Marketing e ter uma área comercial mais antenada.

Assim, saberá como investir em tempos de crise, sem medo de ser feliz.

Nós somos uma agência que trabalha com todos os pontos que citamos e estamos ajudando muitas empresas a darem um “up” nos seus negócios.

Que tal participar de nosssa Fast Mentoring? Uma Mentoria Online Gratuita para avaliação do seu negócio?

Basta se inscrever no botão abaixo para que possamos esclarecer as dúvidas que você, porventura, tenha e para que o orientemos sobre a maneira mais eficaz da sua empresa investir em marketing. Fast Mentoring: Mentoria Online Gratuita da Mkt Ideas

 

Atenção: Para garantir a qualidade deste serviço, os profissionais envolvidos possuem uma agenda limitada, permitindo somente 5 mentorias gratuitas por mês. Por isso, caso tenha interesse na mentoria, é importante que você entre em contato o quanto antes, para garantir a disponibilidade com um dos nossos consultores.

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage, linkedin e instagram para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

 

 

À essa altura você já está mais que ciente do Covid-19 e já está sentindo as mudanças nas suas rotinas pessoais e profissionais, correto?

Você não está sozinho.

Essas mudanças afetam e transformam todos os setores da sociedade e todos os segmentos de negócios.

Contudo, as empresas que vão lidar melhor com a crise são aquelas capazes de mudar e se adaptar rápido.

Mudar já não é mais uma opção e pode ser questão de sobrevivência para algumas organizações.

Neste momento desafiador de quarentena em que muitos se lamentam, é hora dos verdadeiros líderes se prepararem para novos tempos e novos desafios que surgirão.

Temos que mudar nosso mindset e adotar medidas, processos e ferramentas que, até então, eram desconhecidas e pouco relevantes para a sobrevivência dos negócios.

Temos que sair fora de nossa zona de conforto, ter visão e encontrar oportunidades.

Nós da Mkt Ideas estamos comprometidos em fazer com que a roda continue girando e a crise seja menos agressiva possível.

Por sermos uma agência que sempre foi 100% digital, parte do time trabalha de forma remota desde sempre. Por isso, estamos tirando de letra os pedidos das autoridades por isolamento. Nossas operações estão funcionando normalmente e com níveis de produtividade ainda maiores

Tudo ainda é muito novo para todos nós, o que torna fundamental o compartilhamento de experiências e boas práticas.

Pensando em algumas formas de ajudar você a manter a economia ativa, trouxemos algumas ideias de estratégias + 10 ideias de ações de marketing para realizar nessa quarentena e estarmos muito bem preparados para quando tudo estiver normalizado.

Mas antes…

O que os brasileiros esperam das marcas?

Precisamos nos antecipar às mudanças no comportamento dos consumidores, e nada melhor que ter um embasamento em dados de pesquisas, não é?

Pesquisa recente da Kantar (consultoria e líder global em dados e insights), revela que 2 atitudes são importantes para os brasileiros com relação às marcas diante da pandemia do coronavírus: serem exemplos e liderarem a mudança e serem práticas e realistas.

Essa entrevista (realizada com 500 entrevistados entre os dias 13 e 16 de março), revelou que o coronavírus já preocupava 80% dos brasileiros e, quando questionados com relação ao tipo de publicidade em que as marcas brasileiras deveriam continuar investindo, mais de 80% dos entrevistados concordaram completamente que elas devem comunicar: seus esforços para enfrentar a situação e sobre como podem ser úteis nesse novo dia a dia, assim como evitar explorar a situação do coronavírus para promover suas marcas.

As marcas devem refletir sobre que tipo de comunicação utilizar e como devem agir. Afinal, não apenas seus consumidores, mas também colaboradores e demais stakeholders esperam um posicionamento das marcas, empatia e uma real preocupação com o ser humano num momento marcado pela insegurança e pelo medo.

O que os entrevistados esperam com relação ao posicionamento das marcas no Brasil?

  • Que sirvam de exemplo e guiem a mudança (25%)
  • Sejam práticas, realistas e ajudem consumidores no dia a dia (21%)
  • Ataquem a crise e demonstrem que ela pode ser derrotada (20%)
  • Usem seu conteúdo para explicar e informar (18%)
  • Reduzam a ansiedade e entendam as necessidades dos consumidores (11%)
  • Sejam otimistas e pensem de formas não convencionais (3%)

Veja mais resultados da pesquisa:

 

Portanto, se você tinha dúvidas sobre a importância do papel das marcas, esses novos dados revelam o poder e a indispensabilidade delas, bem como a urgente necessidade de agir.

As marcas devem encontrar soluções, em vez de vender entusiasmo ou imagem. Elas precisam ser tangíveis e rápidas, não impressionistas e conceituais.

É preciso reagir para garantir a existência do seu negócio hoje e nos próximos meses.

Nesse momento, o marketing se torna uma grande ferramenta para superar os impactos.

Para isso, procure posicionar sua marca na crise, tranquilizar seus clientes e cuidar do seu caixa, investindo em branding, marketing digital e de conteúdo, através de redes sociais, blogs, e-mails e outras ações que falaremos no decorrer desse artigo.

Agora com base nesses dados, vamos à ideias de estratégia para você realizar na sua empresa.

Veja também:

Quais os próximos passos?

 

 

Como reimaginar as estrategias diante de tudo isso? S

Será preciso mudar algumas rotas:

  • destacar o por que o seu produto é importante
  • reavaliar o posicionamento da marca
  • estar presente nos canais onde os clientes estão (não adianta focar numa estratégia onde você tem uma eficiência menor)
  • entender se é possível ter uma entrega ou experiência alternativa dentro do seu business
  • demonstrar cuidado e empatia (é preciso avaliar a forma como se comunicar para não parecer ser oportunista com essa situação)
  • entender quem são os seus consumidores e perceber o que eles vão querer ouvir de você

 

Agora vamos às 10 ideias de ações para você colocar em prática hoje mesmo:

Ideias de Ações: 10 tendências digitais em tempos de coronavírus

Conforme já dissemos nesse artigo “Como driblar a crise com a ajuda do marketing?“, o foco dos planos de marketing durante essa quarentena será em posicionamento e awareness, campanhas que ajudem a gerar lembrança de marca sem deixar de fora estratégias de venda.

Existem ações que você pode implementar de forma mais rápida e simples e outras, mais estruturadas, que demandam uma estratégia de médio e longo prazo.

São elas:

 

1. Branding (Marca):

Avalie a maturidade atual da sua empresa.

Se ela está nas redes sociais, mas não tem um logo, uma identidade profissional ou um planejamento consistente, este é um bom momento para dar esse novo passo.

Sua marca é muito mais do que você divulga ou anuncia, ela é construída com base no que você faz. Por isso, reveja o propósito da marca da sua empresa e leve informação qualificada ao público.

Seu posicionamento em meio à crise certamente gerará um impacto na sua imagem no médio e longo prazo.

 

2. Websites:

Publique um aviso sobre como sua empresa irá lidar com o momento. Se os seus atendimentos serão total ou parcialmente fechados, ou qualquer outra mudança.

Agora, se você não tem site, aproveite o momento para fazer um, repensar melhorias se você já tiver ou mesmo crie um novo adequado aos seus objetivos e planos.

Confira algumas dicas aqui: Dicas sobre design que irão alavancar as conversões do seu site.

Se sua empresa vendia por pontos físicos e ainda não tem e-commerce, a dica é começar ingressando em um marketplace ou plataforma de loja virtual, que já oferece uma estrutura funcional.

 

3. SEO e Conteúdo:

A internet é fonte de conteúdo para entender como agir nesse momento. São conteúdos úteis que fazem a diferença na vida do cliente e, mais do que isso, ajudam a construir ou fortalecer a reputação da sua marca.

Pela observação no Google Trends (serviço do Google que revela as tendências de buscas na Internet), é possível constatar um pulo gigantesco de buscas para o termo “coronavírus” e para itens ou serviços relacionados a ele.

Desde meados de janeiro, as buscas por esse termo dispararam e devem continuar crescendo até o fim da pandemia. Então adicione esses termos no conteúdo do seu blog.

Agora o mais importante é servir e informar seu público. Isso também cria uma oportunidade ética e eficaz de posicionar sua empresa positivamente hoje e no futuro.

Além disso, a maioria dos seus clientes e leads estarão em casa, pesquisado sobre seus problemas e desafios que a sua empresa pode resolver.

Como é um investimento de médio à longo prazo, é necessário investir nesse tipo de atividade para garantir o futuro da visibilidade da sua empresa.

Portanto, comunique-se. O mundo precisa de você.

 

4. Redes Sociais:

Essa merece uma atenção redobrada nesse período. É provável que exista um fluxo bastante intenso de pessoas perguntando e interagindo com suas publicações, especialmente se seu público for B2C.

Lembre-se de garantir conteúdo útil e também de ajustar os conteúdos ao cenário atual.

Outra boa ideia é humanizar a sua empresa com stories e lives nas redes sociais, mostrando os bastidores.

Por exemplo, compartilhar o cenário da sua equipe no home office pode ajudar a se conectar melhor com os clientes e servir de base para apoiá-los. No caso de restaurantes atendendo por delivery, é interessante mostrar quais cuidados têm sido tomados na cozinha para evitar contaminações. Vale ainda compartilhar as dores do negócio, como o desafio de pagar as contas ou gerenciar a equipe remota.

Se você não consegue vender agora, pode lançar um voucher para depois. Vender um voucher de R$ 10 por R$ 7 é uma estratégia de marketing e pode ajudar muito o fluxo de caixa.

Em tempos de quarentena, comunicar-se via redes sociais não é apenas jogada de marketing. Esteja atento a esse canal.

 

5. Anúncios:

Nesse momento é interessante focar em branding e conteúdo educativo nos anúncios do Google e Social Ads.

Aproveite que nesse período você vai ter menos concorrência, o que torna mais fácil de se obter resultados, principalmente por conta da baixa do CPC (Custo por Clique) e fatores de busca x demanda.

Além disso, conforme já falamos nesse artigo aqui, no caso do Google, os anúncios de search (rede de pesquisa) são mostrados para o usuário no momento exato em que ele está buscando pelo seu produto ou serviço, Por isso é importante também continuar com essa estratégia.

Em caráter mais promocional, divulgue os vouchers que mencionei no tópico anterior e ofertas que ajudarão de fato o seu público, como cursos, consultorias, sessões, etc. Se for de graça ou com valor mínimo de entrada, melhor ainda

Vou dar algumas ideias no próximo tópico.

 

6. Landing Pages e Materiais Ricos:

Invista na geração de leads.

Em linhas gerais, leads podem ser definidos como pessoas ou empresas que entraram em contato com sua empresa e têm potencial para se tornarem clientes.

Mesmo que eles não fechem negócio agora, ter essa base de pessoas pode gerar resultados no médio e longo prazo.

Uma das formas comuns de gerar leads é oferecer algo de valor, como as ofertas que mencionei acima ou um material rico (ebook, templates, infográfico, etc), por meio de um formulário de cadastro (especialmente em landing pages). Se você não sabe o que é landing pages, descubra aqui e use-as a seu favor.

Conseguindo esses contatos na sua base de emails, será muito mais fácil construir o relacionamento.

Veja também: 3 estratégias infalíveis para gerar leads pro seu negócio e 4 formas de transformar leads em oportunidades de venda.

 

7. Emails Marketing:

Essa é uma ótima oportunidade pra você se relacionar mandando emails para os seus leads e clientes, oferecendo para eles alguns benefícios, como conteúdos exclusivos de relacionamento e informação, e, condições e ofertas especiais que ajudem a decisão de compra.

Com os leads que entram na sua base através das landing pages que mencionei no tópico anterior, você pode criar um fluxo de automação (sequência de emails) que acompanhe a jornada de compra do seu consumidor. Pense que se, em média ela leva 3 à 6 meses, se você começar agora, já estará colhendo os frutos quando essa pandemia passar.

Esse canal é super valioso para se relacionar e vender mais e sempre. Saiba mais aqui: Como o email marketing ajuda na margem de lucro da empresa.

 

8. Mídia Tradicional:

Da mesma maneira que as mídias pagas, foque em construir sua marca (branding) e informar o público ao investir em TV, rádio, impressos, etc,

O ruim dos canais offline, é que é difícil trocar a comunicação de um dia para o outro, principalmente se tratando de impressão. Então se for atuar nessa mídia foque no institucional sempre, que nunca sai de moda.

 

9. Vídeos:

É a oportunidade de desengavetar aquele projeto de um canal no Youtube ou no IGTV do Instagram, ou até mesmo realizar webinars.

Existem muitos aplicativos para videoconferência, a começar pela própria ferramenta do WhatsApp, ou então o Google Hangout, Google Meet, Zoom, Skype ou outros.

Com mais tempo, as pessoas estão consumindo mais vídeos. Então, pra começar, transforme seus conteúdos do blog em videos. Ou comece pegando apenas alguns trechos e transformando em “pílulas de conteúdo” nos seus stories ou vídeos de 1 minuto.

 

10. Co-Marketing e Parcerias:

Você pode buscar na sua rede de contatos ou na internet empresas, profissionais ou influenciadores que tenham uma boa audiência com temas relacionados aos da sua empresa para realizar parcerias.

Exemplo: guest posts, link building, materiais em conjunto, e até ofertas.

 

Vocês perceberam que muitas ideias de uma ação, podem ser atribuídas e também integradas com outras, né? Por exemplo, a ideia dos vouchers podem ser aplicadas em todas ações. E o conteúdo do vídeo pode fazer parte de um conteúdo do blog e o mesmo pode ser divulgado nas redes sociais e via e-mail mkt.

Trabalhe de forma integrada nas ações e maximize seus resultados.

Enfim, essas são algumas ideias que estamos aconselhando todos os clientes a como eles devem ajustar sua estratégia de marketing em resposta à pandemia do Covid-19. Espero que essas recomendações sejam úteis à você também.

Analise sua empresa e seu mercado, verifique os gaps e oportunidades de melhorias e pense fora da caixa.

Para contribuir com sua empresa disponibilizamos uma mentoria gratuita de 1 hora, em que avaliamos sua estratégia digital e propomos ideias de melhorias que melhor atenderá aos seus objetivos de negócio:

Acesse agora e solicite sua avaliação gratuitamente. 😉

Conclusão

O melhor momento para crescer é quando ninguém está fazendo isso.

A situação é passageira e cada dia de trabalho duro, planejamento e preparação vai impactar diretamente no crescimento do seu negócio quando as operações se normalizarem.

Como dissemos, tudo ainda é muito novo e não temos histórico. Se trata de algo sem precedentes. É bem provável que a jornada de compra do consumidor tenha mudado nessa quarentena.

Seus clientes estão mais cautelosos, mas ainda compram. Eles podem estar gastando menos, mas é necessário descobrir em que estão gastando seu dinheiro. Eles não querem arriscar perder um centavo. Eles querem comprar os produtos certos de empresas em que podem confiar.

Portanto teste, meça, aprenda, teste, reaprenda, etc, em um fluxo contínuo até entender suas métricas.

Tão logo a crise passar, o poder de compra irá subir e aos poucos o mercado irá se estabilizar novamente. Lembre-se de que quem está trabalhando para isso desde já, terá vantagens no futuro.

Essa crise global mudará fundamentalmente como pensamos, nos comportamos e consumimos.

O novo mundo terá a confiança em sua essência e a expectativa sobre as marcas será maior para que resolvam problemas, protejam, cuidem e colaborem com todos. As pessoas estão contando com a gente para isso.

Você vai sair dessa crise muito melhor do que você entrou!

Esperamos que este conteúdo tenha contribuído com este momento de enormes desafios. E se você entende que precisa dar os próximos passos, fale com a gente!

 

Se quiser receber mais ideias assim, faça como os 5.347 inscritos, assine grátis nossa newsletter abaixo e faça parte da nossa lista VIP:

Continue acompanhando nosso blogfanpage, linkedin e instagram para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

 

Sempre que chega uma nova oportunidade de negócio para o seu time comercial, os vendedores começam uma jornada que tem como objetivo conquistar esse lead e transformá-lo em cliente.

 

Mas você sabe quais são essas etapas?

Possuir e compreender o ciclo de vendas é essencial para a saúde de qualquer negócio.

Com ele você consegue tornar o processo de vendas mais previsível.

Neste post vou então explicar o que é ciclo de vendas, sus importância e dicas para você montá-lo.

Vamos lá?

O que é ciclo de vendas?

Ciclo de Vendas é composto por uma série de etapas necessárias para realizar uma venda, que começa desde o primeiro contato do cliente com sua empresa até o fechamento da venda.

Em outras palavras, o ciclo de vendas é a duração de todo o processo que vai transformar um lead em cliente. A partir do momento em que um prospect ou lead faz o primeiro contato com o seu vendedor e é agendado uma reunião, o ciclo se inicia.

Vendas Simples x Complexas

Para quem já conhece o conceito de vendas simples e vendas complexas sabe que o ciclo de vendas é um dos fatores para categorizar ambos os tipos de vendas.

Em vendas simples temos ciclos de vendas reduzidos podendo acontecer em um dia, hora ou minutos, como em um ecommerce, por exemplo. E em vendas complexas temos ciclos de vendas maiores variando entre dias, semanas, meses e, em alguns casos, anos, como em uma imobiliária, por exemplo.

As etapas do ciclo de venda

Conforme já abordamos nesse artigo sobre Inbound Sales, não importa se você atua com vendas simples ou complexas, existem algumas etapas comuns para a maioria dos segmentos.

Essas etapas são:

  • Pesquisa: reunir informações relevantes sobre o seu lead em potencial para você abordar.
  • Prospecção: conseguir falar com o lead em potencial.
  • Conexão: fazer contato com o lead em potencial através de email ligação ou envio de brinde por exemplo.
  • Necessidade e Descoberta: fazer uma avaliação e descobrir a necessidade do cliente.
  • Solução Ideal: apresentar uma proposta comercial e os benefícios da sua solução ideal.
  • Fechamento: efetivação da compra.

 

Expliquei de forma mais aprofundada as etapas neste artigo: Inbound Sales: Processo para tornar suas vendas eficientes e escaláveis. Vale a pena a leitura e aplicar o passo a passo hoje mesmo na sua empresa.

No entanto, as etapas que apresentei são um exemplo. Algumas empresas podem precisar adicionar ou eliminar algumas etapas.

Além disso, os efeitos do ciclo de vendas são diferentes se você trabalha com inbound ou outbound. Podemos nos aprofundar sobre isso nos próximos artigos, farei isso se me pedir nos comentários 🙂

Como montar um ciclo de vendas matador?

Após definir as etapas de forma adequada ao seu caso, o primeiro passo para montar um ciclo de vendas eficiente é conhecer bem o seu funil de vendas e ter as etapas bem definidas

Estamos falando de uma construção que tem objetivos e metas estabelecidas de acordo com a estratégia do seu negócio, alinhadas com o processo de compra do cliente. Os hábitos do cliente são vitais aqui.

Você precisa investigar detalhes sobre o seu persona, como:

  • quando o cliente compra;
  • quem o influencia;
  • como ele pesquisa;
  • para quem ele pode pedir indicações;
  • quando costuma estar mais disponível;
  • que lugares frequenta;
  • o que é importante para ele; etc.

Esses são questionamentos que ajudam a determinar não apenas sobre o que fazer, mas como, onde e quando.

Quanto mais informação conseguir levantar, mas fácil vai ser elaborar uma abordagem natural, que ocorra no tempo e de acordo com os desejos do cliente.

Depois, é importante entender onde estão concentrados os seus esforços de marketing. É na educação dos leads? É na geração de leads? É em se tornar referência no mercado?

Esses pontos ajudam o vendedor a estabelecer uma estratégia de venda. Leads menos educados precisam de mais reuniões e mais conteúdo, por exemplo.

Finalmente, é preciso mapear as reuniões de vendas — quantas são feitas, e quando — para entender qual é a duração média do processo.

Depois, é hora de otimizar tudo!

Quais são os benefícios do ciclo de vendas?

Primeiro, você conhece mais o tipo de comprador que está se tornando cliente, quais são suas preferências e qual discurso de vendas é o mais interessante para converter esse lead.

O ciclo de vendas também ajuda a alinhar melhor as áreas de marketing e de vendas, já que ajuda a mostrar pontos a serem melhorados dentro da geração e nutrição de leads.

Toda empresa de sucesso tem um ciclo de vendas definido e bem montado. Se a sua ainda não tem um, não perca tempo! Siga nossas dicas e comece agora mesmo.

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage, instagramlinkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

 

Não existe uma agência perfeita.

Existe a agência mais adequada às suas necessidades naquele momento.

Por isso – depois de ler nosso artigo e saber se vale a pena contratar uma agência – é preciso pesquisar, conhecer as opções disponíveis e identificar qual é a mais adequada.

Existem tantas agências de marketing, com nomenclaturas e atividades diferentes, que fica difícil achar a agência certa para suas necessidades.

E não é necessariamente por uma questão de qualidade boa ou ruim de umas em comparação com outras. Simplesmente acredito que cada agência cabe para um cliente diferente em momentos diferente.

Como responsável pelo marketing, uma agência parceira terá muitos papéis para preencher, que influenciam diretamente o seu negócio.

Portanto, confira a seguir os principais pontos a serem considerados na hora de tomar a decisão sobre qual agência parceira escolher e quais são as suas principais entregas.

Esse é um artigo focado nas ações de marketing e performance, e não de branding e design (temos essas soluções também mas não é o foco nesse artigo)

    | Leia também: Consultoria de Marketing: o que é e como pode me ajudar?

Pontos para você levantar:

1. Defina seu processo de escolha

É importante começar a relação com o futuro parceiro de forma transparente.

Deixe claro como será o processo de escolha, informe quantas agências estão participando e passe a ele o máximo de informações que puder sobre sua necessidade.

Caso seja uma concorrência, é importante ter uma metodologia clara de avaliação ou gestão do processo.

Você também pode utilizar o guia de concorrências digitais feito pela ABRADi.

Evite comparar mais de cinco agências sob o risco de não conseguir administrar o processo e perder qualidade na escolha.

Informe também o budget disponível ou a faixa de valor de investimento se você tiver. Assim você pode avaliar de forma mais específica qual agência pode atendê-lo melhor dentro da verba/orçamento disponível.

Sem isso, certamente você vai receber propostas com enorme variação de escopo e valor, dificultando a avaliação e diminuindo as chances de uma boa escolha.

Fique tranquilo, uma agência séria vai sempre buscar oferecer a maior qualidade possível dentro das possibilidades.

2. Saiba quais são os serviços que a agência oferece

Antes de escolher a agência parceira, você precisa saber quais são os serviços que ela oferece e se eles suprirão as suas necessidades.

Por isso, estruture bem as metas da sua empresa para definir quais ações poderão ser exploradas para atingir os objetivos dentro de seu planejamento de marketing.

Assim, ficará mais fácil escolher uma agência que ofereça os serviços que você necessita. Além disso, analise se vale a pena o custo-benefício ou você ainda terá que investir em outras agências para ter um serviço completo.

Muitas agências focam em realizar apenas uma parte do marketing. E não há problema nenhum nisso. Porém se for preciso contratar uma agência que foque nas redes sociais, outra em anúncios e outra em blog-posts, por exemplo, é bem provável que não haja sincronia na estratégia pelo fato das equipes serem separadas.

Nesse caso, é melhor procurar uma agência que atenda todas as demandas da empresa, assim os esforços serão maximizados e trará melhor retorno em lucro e tempo para você.

3. Avalie o custo benefício

O orçamento de marketing é bem restrito na grande maioria das empresas, e por isso deve ser bem investido.

Hoje existem agências que cobram bem mais barato pelo serviço que você deseja, que são as agências menores, e outras que cobram um valor muito além do que você pode pagar, por estarem há mais tempo no mercado.

Porém, não se apegue apenas ao preço.

Em qualquer projeto, ainda mais no marketing, não se conta muito o valor da receita do projeto, o diferencial está na otimização dos custos.

Observe o custo-benefício desse investimento, quais os serviços que você realmente precisa, o quanto a agência poderá ser eficiente nisso, se há algum tipo de plano de contratação ou se eles cobram pelos serviços de forma separada. Assim, você poderá investir o dinheiro que tem disponível na agência certa.

4. Qual o ticket médio para a contratação?

Outra coisa importante a entender é se a agência com quem você conversa tem o tamanho e a estrutura certa para te atender.

Veja bem, isso não significa que precisa ser necessariamente grande, mas do tamanho certo para o seu projeto.

Por exemplo, se você tem um investimento de R$ 2.000/mês, você precisa de uma empresa focada em pequenas e médias empresas, pois uma empresa maior, acostumada a trabalhar com valores bem maiores, poderia subestimar o seu orçamento.

Já se o orçamento da sua empresa é de R$ 20.000/mês, a agência que vai te atender precisa ter uma capacidade de resolução de problemas complexos bem mais avançada, processos mais estruturados e comprovados ao longo do tempo.

Economia só é boa se você estiver em condições de economizar.

Se você tem a possibilidade de crescer com o marketing digital, não hesite em investir, pois as vendas e os clientes não cairão do céu.

5. E o prazo do contrato?

Normalmente o período mínimo praticado é de 12 meses.

Mas independentemente do modelo de contrato o que é importante é a ideia de estabelecer uma parceria a longo prazo.

Em cada processo gasta-se mais energia na iniciação do mesmo do que no mantenimento. Porque tem muito gasto de energia na implementação do projeto, no entendimento das suas necessidades, na criação de elos entre cliente-agência que é feito no início da parceria.

Este uso de energia faz sentido se depois o processo criado se mantém no tempo, ou seja, na parceria a longo prazo.

Aqui na Mkt Ideas, nós praticamos um modelo um pouco diferente. Como investimos em parcerias a longo prazo e temos uma situação financeira saudável, nós aceitamos não cobrar o valor de implementação (nos casos de parcerias a longo prazo). É a nossa forma de investir em parcerias.

Então, por exemplo se o cliente fica 2 anos, valeu a pena investir o valor implementação. Caso saia depois de 2 meses, por exemplo, aí sim, precisa pagar o valor da implementação. Deixando claro que não é uma multa, mas um valor devido por um trabalho feito e não cobrado. Justo, né?

Na definição do contrato entra também o tempo. Em quanto tempo o tal objetivo pode ser atingido. Esta definição será a base da duração do contrato.

Conforme já falamos nesse artigo aqui, os resultados em marketing não são imediatos, e demoram certo tempo para aparecerem. Por isso, é interessante saber qual é o prazo mínimo que a agência determina para apresentar esses resultados.

No entanto a parceria a longo prazo precisa ser sustentável, pois precisa manter uma energia de relacionamento positiva no dia a dia.

Isso não depende apenas da entrega da agência. Depende das promessas acordadas no início do projeto, como preenchimento de briefing, prazo para apresentação, prazo para feedback, data de reuniões, etc.

    | Leia também: Consultoria de Marketing: Quando é a hora certa de contratar

Agora que você já sabe o que precisa definir, saiba quais são os principais aspectos que uma agência de marketing deve ter e veja se a que você está negociando possui essas entregas:

Quais as entregas de uma agência de marketing

1. Trabalhar em cooperação com o departamento comercial: O marketing orientado à resultados contempla os dois departamentos e por isso um não anda separado do outro. O marketing serve de apoio às vendas, então a agência deve trabalhar em estreita colaboração com o pessoal de vendas. Desta forma, é mais fácil que as metas de faturamento obtenham sucesso.

2. Entregar leads qualificados: Após um acordo entre marketing e vendas, a agência normalmente tem como objetivo ajudar a empresa a otimizar sua receita. E para isso, sua maior entrega são os leads qualificados para o comercial. O acompanhamento do projeto de marketing é fundamental para filtrar os leads qualificados daqueles que não se enquadram adequadamente. Lembrando que a qualificação só é possível após alguns ciclos de análise.

3. Elaborar propostas de melhorias na estratégia: Uma agência de marketing deve sugerir melhorias nos processos de marketing e de negócio. Ela adquire esse conhecimento para auxiliar o CEO na tomada de decisão através de testes, utilizando softwares de automação de marketing (como RD Station e Hubspot), CRM de vendas e outras pesquisas data-driven.

4. Ter cases de sucesso: Conferir o portfolio e os depoimentos de clientes da agência é outra prática que pode ajudar você a tomar a melhor decisão para seu negócio ao contratar uma agência de marketing digital como parceira. Isso vai ajudar você a alinhar suas expectativas, pois você conhecerá o grau de satisfação dos clientes com os serviços e atendimento desta agência, sabendo exatamente qual é a imagem que ela transmite a eles e o grau de eficiência de suas ações. Vale também conhecer o trabalho que a agência desenvolve para ela mesma: como são suas redes sociais, como eles captam novos leads e com quais metas eles trabalham. Esse é um termômetro importante para saber se realmente a agência terá capacidade para cumprir tudo que oferece.

5. Possuir certificações e parcerias: As agências de publicidade, marketing, criação e web precisam estudar e se atualizar constantemente para dominar o mercado e sempre estar apto a oferecer um serviço de alta qualidade. Analise então quais parcerias e certificações elas têm e veja qual se encaixa mais no perfil de sua empresa e nos seus objetivos. As agências que atuam no marketing digital e são parceiras ou certificadas por empresas como Resultados Digitais, Google e Hubspot apresentam mais confiança para entregar serviços de qualidade.

    | Leia também: A agência Mkt Ideas conquista certificação em Inbound Marketing

6. Contar com uma equipe qualificada: As atividades de marketing são muito mais complexas do que as pessoas imaginam. Cada ferramenta ou recurso possui uma peculiaridade, o que exige manter diversos profissionais para atender a todas as necessidades, executar as tarefas corretamente e alcançar o resultado desejado. Portanto, entenda o nível de experiência e qualificação dos profissionais da agência parceira que serão envolvidos no seu projeto.

7. Ter um gerente dedicado: O atendimento de uma agência é um dos grandes responsáveis pelo sucesso de sua estratégia. Este será o responsável por identificar as necessidades de seu negócio, orientando todo o time de criação no desenvolvimento de sua estratégia. O atendimento ou gerente também vai ajudar você a tirar suas dúvidas e solucionar pequenos problemas que podem vir a acontecer. Portanto, vocês estarão sempre em contato. É de extrema importância que você escolha uma agência que ofereça um atendimento de qualidade, prestativo e, acima de tudo, comprometido com o sucesso de sua empresa.

8. Se preocupar com a apresentação de resultados: Se você está buscando uma agência para cuidar de sua estratégia de marketing, você está em busca de resultados ainda melhores para sua organização, correto? Sendo assim, é muito importante que você verifique se a agência que você deseja contratar oferece um serviço de Business Intelligence (Inteligência de Negócios), mostrando exatamente qual é o retorno sobre o investimento de cada uma de suas estratégias. Só assim você será capaz de otimizar suas estratégias, garantindo a conquista de seus objetivos. Por isso, observe quais delas oferecem reuniões periódicas para apresentarem esses resultados à sua empresa e otimizar ainda mais as suas ações de marketing.

Conclusão

No oceano vermelho do marketing digital não é nada fácil escolher a agência que vai resolver os seus problemas.

De fato a escolha de uma agência de marketing depende também da situação da sua empresa e da sua maturidade, Assim como em um casamento, pode funcionar ou não, não necessariamente por culpa ou mérito de um ou outro, mas por uma sincronia que se cria ou não.

Mas o mais importante é que saiba, que independentemente da agência que vai te assessorar, uma estratégia de marketing depende principalmente de um planejamento assertivo a nível de business, pois o marketing é um braço do seu negócio.

Por isso, para que todas as estratégias funcionem corretamente e tenham os melhores resultados, tanto agência quanto empresa devem caminhar juntas nesse processo.

A agência precisa entregar os materiais, relatórios e resultados. Já a empresa, precisa honrar com a entrega de informações que são importantes para a construção de campanhas, como história da empresa, fotos e diversos outros materiais solicitados pela agência. Isso inclui o briefing.

Com uma agência eficiente, você será capaz de atrair mais clientes e gerar novas oportunidades de negócio, influenciando positivamente nos lucros do seu negócio e se destacando da concorrência.

Infelizmente, não são todas as agências que fazem um trabalho tão robusto como o que citamos aqui nesse artigo.

Por isso, valide uma agência que conte com uma boa equipe, com profissionais capacitados e experientes, que possua certificações e tenha boas avaliações.

Se atentar a isso fará uma grande diferença para fazer os seus investimentos valerem a pena.

Então se você quer resultados, a Mkt Ideas pode te ajudar! Temos uma equipe de profissionais e parceiros altamente experientes em diferentes áreas de especialização que estão prontos para trabalhar em suas necessidades específicas.

Entre em contato conosco e conheça nossas soluções e clientes:

 

Se quiser receber mais ideias assim, faça como os 5.000 inscritos, assine grátis nossa newsletter abaixo e faça parte da nossa lista VIP:

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage, instagramlinkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas