Se seus resultados estão estagnados e sua empresa não consegue gerar um ROI positivo, talvez esteja na hora de repensar em como direcionar o seu marketing.

Já estamos indo para o penúltimo mês do ano e já está mais que na hora de planejar o orçamento de 2019.

Mas você já parou para pensar onde está o seu investimento de marketing? Você já fez um planejamento estratégico?

Se ainda não fez, pare tudo!

Você pode estar em um buraco maior do que imagina. Digo isso porque se a sua empresa não sabe onde quer chegar e não tem um planejamento para isso, qualquer ação pode parecer fazer sentido.

Independente do tamanho do seu negócio, “o planejamento de marketing auxilia no controle de gastos e no registro de ações para aumentar o número de vendas, por exemplo”,

– conta Marcos Bedendo, professor de marketing estratégico da ESPM.

Sei que muitas vezes somos ansiosos e queremos já colocar a mão na massa. Mas a verdade é que, se você quer atingir os objetivos da sua empresa, é necessário traçar metas, e para traçar metas, devemos bolar um plano. Não é mesmo? O plano servirá como mapa para que sua empresa chegue ao seu “destino”.

Quando você realiza um planejamento claro com cronograma e direcionamento para os próximos meses, as chances de tornar as ações mais assertivas são altas.

Dependendo do porte da sua empresa, isso pode significar a economia de milhares de reais ou um aumento no faturamento de milhões.

Vale fazer essa reflexão!

Então, pare e comece a pensar em estruturar a estratégia do seu negócio para que possa de fato impactar seus resultados em 2019.

Nunca é tarde para definir propósitos, objetivos, metas e resultados. Se precisar de uma mãozinha, conte conosco!

Um exemplo de planejamento de marketing pode conter coisas como:

  • Desenvolvimento de materiais de apoio para o time comercial;
  • Criação e ajustes no site para aumentar a conversão e performance deles;
  • Reposicionar a marca e identidade visual da empresa para geração de valor;
  • Criar anúncios segmentados para alcançar o público alvo de forma mais rápida e eficaz;
  • Aumentar a rede de relacionamento e engajamento com clientes nas redes sociais;
  • Desenvolver conteúdos de qualidade no blog para que sejam encontrados nos sites de busca orgânica, se tornar referência no segmento e aumentar o número de visitantes no site;
  • Gerar leads nas 4 principais etapas da jornada de compra, a fim de converter leads iniciantes mas também leads com bastante maturidade para vendas;
  • Trabalhar essa geração através de materiais ricos e landing pages;
  • Fazer automação de marketing afim de preparar os leads para o momento da compra, de acordo com o seu perfil e interesse, sempre trazendo para o fundo do funil, próximo a venda;
  • Nutrir, se relacionar e divulgar as ofertas da empresa com seu público através de envios de e-mail marketing;
  • Acompanhar e analisar os resultados a fim de encontrar melhorias e oportunidades de otimização.

….quanta coisa!

Por isso é hora de criar ou repensar o seu Planejamento Estratégico.

Para te ajudar, nós montamos um passo a passo resumido de como criar um Planejamento de Marketing de Sucesso, para que você tenha uma visão geral e um direcionamento.

Vamos lá:

1- Analise a Empresa, Mercado, Público e Concorrente

Algumas informações norteadores do planejamento são os itens de identidade organizacional da sua empresa. Os 3 mais importantes são: Missão, Visão e Valores. A partir dessas informações vamos conseguir definir e planejar metas.

Avalie também quais são os fatores externos e internos que podem influenciar a sua empresa. É preciso analisar o mercado do segmento e o produto e ver quais são as capacidades do negócio. Anote suas forças e fraquezas (análise SWOT) e o capital disponível para ações de marketing.

Além disso, entenda quem são seus clientes. Às vezes, o público alvo ideal não é o consumidor. Você pode ter como objetivo atender a classe A, mas o seu consumidor é o C, ou vice versa. Para orientar melhor, devemos desenhar o persona da sua empresa com descrições detalhadas e específicas. Não queira ser abrangente demais, para não pulverizar os seus esforços.

Depois disso, avalie de maneira detalhada quem são e quais são os objetivos dos seus principais concorrentes. Veja o que estão fazendo e o que você pode fazer melhor para se diferenciar.

Dica: se você se diferencia, você deixa de ter concorrentes indiretos e aumenta o seu valor de marca. 😉 Portanto, encontre seu diferencial estratégico!

2- Trace suas Metas e Objetivos

Todas as suas ações de marketing devem ter como objetivo o tipo de retorno que você precisa obter.

Toda meta deve ser pertinente com o seu nicho, sua estratégia, perfil da empresa e do público-alvo.

Lembre-se: o sucesso está nos detalhes e, para atingi-lo, é preciso dar um passo de cada vez.

Se for atrair mais clientes, por exemplo, todas as ações devem mirar nisso. Se for, aumentar a exposição da marca, trabalhe com branding, rede de display, peças institucionais e o ações voltadas à esse objetivo. Se for aumentar as vendas, precisa entender de onde vem o faturamento de suas venda e avaliar se o ideal é fazer com que os clientes comprem com mais frequência ou se a chave é buscar novos consumidores.

Aqui, simplicidade e foco resumem tudo.

3- Defina suas Estratégias e Ações

Para cada meta definida, faça uma projeção de ações para alcançar o resultado planejado.

É hora então de avaliar quais medidas serão adotadas pela empresa: em quais canais deve estar, se investe em anúncios, quais materiais e artes serão necessárias, o tipo de conteúdo a ser desenvolvido, a periodicidade disso, se haverá promoções, quais serão as ofertas, e por aí vai.

Precisamos ter ações e diretrizes para alcançar o que planejamos.

Se está com dúvidas de como começar, faça o Raio-X do Marketing da sua empresa. Essa ferramenta te dá um relatório com pontos positivos e negativos do seu marketing atual e te aponta melhorias.

4- Estabeleça um Cronograma

Chega a hora de criar um cronograma com as estratégias e ações definidas.

Recomendo que a sua projeção seja feita para no máximo 1 ano, mas se você estiver começando ou estiver em um mercado incerto, pode fazer a cada 3 meses ou 6 meses.

Se você já fez um planejamento anterior, avalie

  • o que deu certo nos últimos meses
  • o que foi feito e
  • o que falta fazer para alcançar seus objetivos.

Um dos principais problemas com o cumprimento do planejamento de marketing são os prazos não respeitados.

Portanto crie uma planilha, uma ferramenta ou um documento que esteja detalhado as ações e estratégias dos próximos meses, com datas, os responsáveis e as periodicidades. Controle-o diariamente e identifique com antecedência possíveis rupturas, para evitar atrasos e possíveis prejuízos.

5- Mensure os Resultados

Por fim, se você planejou e executou, precisa acompanhar os resultados e entender se eles estão saindo conforme planejado, pois assim pode realizar ações corretivas e pensar em novas estratégias para realizar no lugar de algumas que podem não estar dando certo.

Tão importante do que ter sua estratégia estruturada é ter a certeza de que ela:

  • está sendo bem executada,
  • que seus indicadores estão sendo bem acompanhados e,
  • acima de tudo, que as metas traçadas foram alcançadas.

Avalie qual a periodicidade necessária de avaliação desses resultados.

E-commerces e grandes portais, por exemplo, precisam ficar de olho no comportamento dos seus visitantes em tempo real, para identificar possíveis mudanças que possam indicar oportunidades ou riscos a serem evitados.

Sabemos que nem sempre podemos nos dar ao luxo de monitoramento em tempo real, mas manter uma periodicidade é importante.

Uma vez por mês é a periodicidade que geralmente nós aqui da Mkt Ideas mantemos com nossos clientes, assim conseguimos uma janela boa para avaliar resultados mais palpáveis e mensuráveis e gerar insights valiosos e concretos para as estratégias.

6- Reavalie sempre!

Todo planejamento de marketing não tem fim, por isso é recomendável que ele seja revisado, refeito e atualizado com dados como número de vendas, faturamento, rentabilidade e outros indicadores importantes de desempenho.

O consumidor e o mercado mudam o tempo todo, por isso é importante sempre manter seu planejamento atualizado com o cenário do momento.

Boa sorte!

Dica Plus: Sempre procure por empresas ou profissionais especializados

Você possui profissionais qualificados para estudar sua empresa, público alvo, mercado e construir o Planejamento Estratégico de Sucesso? Ou então uma equipe profissional para desenvolvimento das ações do seu Plano?

Se não, recomendo que você entre em contato conosco pra ontem. Vamos lá?

Nós vivenciamos todos os dias ações de marketing e comunicação, por isso sabemos a melhor forma te de ajudar, com soluções eficazes e com foco em resultados concretos.

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

 

 

Vivemos num momento que antecede o que muitos especialistas têm chamado de Quarta Revolução Industrial.

Porém, diferente das outras fases do modo de produção, essa influenciará os hábitos e formas de realizar os trabalhos bem mais rápida.

Essa nova revolução no processo produtivo relaciona-se intimamente com a tecnologia. E nessa próxima etapa da história humana, muitos processos serão automatizados.

Como as empresas serão impactadas por isso?

A melhor resposta diz que as empresas que acompanham o ritmo de mudanças, e permanecem prontas para as inovações, terão menos dificuldade para seguir no mercado.

Já organizações que ignoram o futuro, certamente enfrentarão problemas, e muito provavelmente fecharão suas portas.

Neste artigo, vamos entender um pouco mais sobre isso e apontar algumas estratégias eficientes que ajudarão as empresas de diferentes portes a sentirem menos os impactos da tecnologia:

Automação dos processos

Um dos mais conhecidos exemplos de automação vemos em alguns modelos de indústria. Já há muitos anos robôs ou braços mecânicos assumiram o posto nas linhas de montagem.

Do ponto de vista comercial, o impacto nesse caso foi positivo: maior agilidade na fabricação dos produtos, redução de custos operacionais e maior demanda de clientes.

Seguindo essa tendência, outros mecanismos foram sendo criados, dando mais dinamismo as empresas de todos os segmentos.

Hoje em escritórios, por exemplo, papéis têm sido abolidos. Os procedimentos internos de muitas empresas são sistematizados. Eficientes programas de gestão assumem formulários de solicitação entre setores. Essa ilustração é bem simples, e mostra uma diretriz.

Porém, a automação daqui para frente promete ir mais além.

Imagine um estoque sendo controlado a distância, de forma remota. É a imagem do que promete logo está presente
nas empresas, independente se pequena, média ou grande.

Marketing digital

A tecnologia atualmente é mais do que presente na sua forma de comunicação com o cliente.

E as estratégias de marketing já não são aquelas nas quais a empresa ia em busca do cliente. Hoje o consumidor vai até o produto. É nessa lógica que está baseada o “novo” marketing.

Esse novo formato de marketing é composto por incríveis ferramentas que impulsionam ou adequam os diferentes modelos de negócios. Esses instrumentos se tornarão condicionantes para qualquer empresa que queira espaço no mercado. Conhecê-las e usá-las tornou-se obrigação.

Imagine hoje não ter um site?

Quantas milhões de pessoas não conhecerão sua marca?

Com certeza um número impressionante, que deixa qualquer empreendedor abismado. E logo vê que não faz sentido abdicar de tecnologias assim.

O marketing digital tem estratégias bem interessantes, que inserem a marca nesse mundo que é a internet, e abre as portas para novos clientes.

Palavras como:

Estarão presentes daqui para frente no vocabulário dos melhores empresários.

A tecnologia versus os recursos humanos

Para muitos é a parte da empresa que sofre mais com o avanço tecnológico.

De certa forma, o que acontece não é a substituição, mas sim, a aplicação de melhorias em determinadas tarefas.

Um planejamento estratégico normal, já que empresas tem como objetivo básico realizar um trabalho da melhor forma para atender suas demandas.

A tecnologia disponibiliza às organizações formas de realizar essas atividades de maneira mais assertiva, proporcionando produtividade, e claro, melhores resultados da sua gestão financeira. Pensamento natural em qualquer empreendimento.

Porém, investimentos tecnológicos que sigam esse objetivo precisam constar no planejamento estratégico da empresa, ou seja, tudo deve ser previamente definido. A estrutura organizacional da empresa pode ser mudada em etapas, por exemplo, e a tecnologia não terá impacto direto no quadro de funcionários.

Outro ponto é manter a equipe qualificada, pronta para operar as novidades em tecnologia que serão integradas a empresa.

Na implantação de um sistema de ERP, por exemplo, treinar os funcionários que irão usar o programa, antes de
começar a rodar, trará excelentes resultados.

Sua empresa preparada para tecnologia

Como dissemos no início, as mudanças que a Quarta Revolução Industrial irá propor nas formas que as empresas trabalharão virão em grande velocidade.

Considerando os pontos levantados nesse texto, sua empresa estará pronta para acompanhar o pique e não ficar para trás!

Conte com consultorias que disponibilizem as melhores soluções de marketingsoftwares empresariais. Assim terá as ferramentas e profissionais certos para manter sua empresa atualizada e sem receios do impacto tecnológico.

Esse guest post foi escrito por Gabriela Miranda, analista de marketing da GestãoClick— software de gestão empresarial online.

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

As datas comemorativas são ótimas oportunidades para quem deseja alavancar seus negócios.

Dificilmente você vai encontrar um empresário ou gestor que não venda mais no Dia das Mães e não veja o faturamento subir na Black Friday, por exemplo.

Seja qual for o modelo da sua empresa, aproveitar as datas comemorativas, e também as sazonalidades, para orientar o planejamento de ações pode resultar em ações com mais apelo de engajamento e conversão.

Isso porque, as datas comemorativas são ótimas oportunidades para fortalecer a sua marca, aumentar o vínculo com seus clientes e melhorar as vendas.

Portanto, existem várias ideias e oportunidades através dessas datas comemorativas que podem ser aproveitadas para seu negócio.

Atualmente, as datas comemorativas mais importantes para a grande maioria são:

  • Páscoa
  • Dia das Mães
  • Dia dos Pais
  • Dia das Crianças
  • Black Friday
  • Natal

Essas duas últimas são consideradas as mais relevantes.

Mas também existem outras especiais, como Dia dos Namorados, Dia do Livro, Dia do Rock. Tudo depende do segmento e estratégia da sua empresa.

O calendário de 2018 está repleto de oportunidades para você aumentar o faturamento da sua empresa, se diferenciando da concorrência. É importante entendermos que promoções e ações sazonais são apenas parte de uma estratégia macro de marketing. Elas funcionam muito bem para dar um empurrãozinho e levar aquele contato que está em cima do muro a bater o martelo.

Para ter sucesso nas campanhas de datas comemorativas, independente do segmento, é importante estar atento a alguns detalhes. Um bom planejamento é indispensável para dar direção à ação estratégica que será adotada pelo seu negócio. Afinal, quando se tem um caminho claro a seguir, ganha-se tempo e dinheiro!

Diante disso, trago neste post algumas dicas para que você consiga aproveitar as datas comemorativas e as sazonalidades para atrair, se relacionar e vender muito mais.

Passo a passo para o plano

1 – Mapear as datas comemorativas

Levante as datas que são celebradas universalmente ou regionalmente e que fazem sentido para a sua persona e o posicionamento da sua marca.

Hoje temos data comemorativa para tudo e todos: Dia do Meio Ambiente, Dia Mundial da Água, Dia da Secretária, Dia do Médico, Dia do Advogado, Dia do Planeta e, pasmem, tem até Dia da Toalha, Dia do Cotonete e Dia da Praça!

Essas datas são ótimos gatilhos de oportunidade para você promover sua empresa e criar conteúdo e ações originais e criativas, atreladas ao seu negócio.

Lembrando que, de nada adianta você aproveitar as datas comemorativas se elas não “conversam” com seu posicionamento e seu persona. No Dia da Toalha, faz muito mais sentido uma loja de casa, mesa e banho ou até mesmo um hotel realizar uma ação do que uma consultoria de TI, não acha? Então se atente a isso na hora de mapear as datas.

2 – Realizar benchmarking

Buscar inspirações no mercado e até mesmo junto à concorrência pode auxiliar e muito no seu planejamento.

Analisar uma ação que já foi consumida pelo mercado é um meio de saber por onde começar, como identificar ações que tenham boa repercussão e evitar abordagens que possam não ter o efeito almejado.

3 – Fazer um resgate histórico

Se sua empresa já está no mercado há no mínimo 1 ano e já realizou qualquer tipo de ação de marketing, o resgate dessas ações pode trazer referências valiosas.

Seja nos formatos mais tradicionais, as datas comemorativas podem já ter sido foco de um planejamento anterior de marketing, agilizando assim a elaboração do planejamento deste ano.

4 – Definir uma campanha especial 

Agora é o momento de definir o propósito e o formato em que as ações serão trabalhadas:

Vendas?

Datas para ações comerciais: algumas datas comemorativas são importantes para o comércio e não devem ficar de fora, pois o seu concorrente provavelmente fará alguma ação nesse período. Como o mercado investe agressivamente nessas datas, a dica aqui é ir além do desconto e ser criativo para chamar atenção.

Exemplo #1 –  Loja de chocolate gourmet

  • Data Comemorativa: Páscoa
  • Ação: post sobre os benefícios do cacau + CTA para conhecer a linha de chocolates puro cacau da marca
  • Propósito: conteúdo topo de funil para atração, mas com gatilho para aumentar vendas
  • Formato: post em tópicos, rico em imagens, promovido no blog e redes sociais.

Exemplo #2 –  Clínica de estética

  • Sazonalidade: período de frio, onde as vendas de depilação caem
  • Ação: cupom de 20% de desconto na depilação com cera de chocolate
  • Propósito: é um conteúdo de fundo de funil, focado na geração de Leads e conversão em vendas
  • Formato: LP, peça gráfica simples a ser promovida nas redes sociais e via email marketing com sua base.

Exemplo #3 – Escola de culinária

  • Data Comemorativa: Dia da Gula
  • Ação: LP com 3 receitas irresistíveis com morangos
  • Propósito: conteúdo de meio de funil, para relacionamento com a base
  • Formato: conteúdo estilo eBook, link para vídeo e divulgado para a base de Leads via campanha de email marketing

Branding?

Datas para fortalecer a imagem da empresa: datas em que a empresa pode fazer alguma menção apoiando ou celebrando uma causa e que não necessariamente precise envolver uma promoção ou dar descontos. Dessa maneira, sua empresa reforça a imagem na cabeça dos seus consumidores, que poderão lembrar de você da próxima vez que precisar do seu produto ou serviço.

Exemplo #4 – Qualquer empresa

  • Data Comemorativa: Dia mundial do doador de sangue
  • Ação: banner estimulando a doação de sangue.
  • Propósito: conteúdo para relacionamento com a base
  • Formato: peça gráfica simples a ser promovida nas redes sociais

5 – Elaborar plano de execução

Depois de saber o que e por que fazer, é preciso definir como e quando fazê-lo, pois o planejamento de execução é tão importante quanto a definição da pauta e do planejamento de ações.

Em vez de deixar para promover a ação no dia que ela começar, procure estabelecer um senso de antecipação. Fale dela alguns dias ou semanas antes e mostre o que os clientes podem esperar. Isso é algo feito com muita frequência durante a Black Friday. Inclusive, veja o conteúdo deste artigo que criamos 1 mês antes do Black Friday do ano passado com o propósito de estimular as vendas dos nossos serviços da agência.

Aproveite e baixa gratuitamente nossos templates para criação das campanhas para o Black Friday e para o Natal.

Conclusão

Pode parecer clichê, mas o planejamento é o coração de uma boa estratégia de marketing digital.

Sendo assim, quebrar a cabeça para elaborar um planejamento bem embasado e estruturado e prezar pela produção de textos e peças relevantes e de qualidade deve ser visto pelas empresas como um verdadeiro investimento.

Leia também: 10 ideias para aumentar suas vendas com design e divulgação.

Portanto, se ainda não planejou e antecipou suas ações, corre que ainda dá tempo! Estamos no começo do ano ainda e você já pode planejar suas ações até o final do ano. Quanto antes, melhor!

Conhece alguma iniciativa interessante neste contexto? Tem alguma dúvida? Compartilhe com a gente nos comentários. Ficarei feliz em colaborar!

 

 Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

É…. 2017 foi um ano de desafios, não é mesmo? E continua sendo.

O fim do ano está próximo e as árvores de natal já começam a aparecer nas lojas.

Mas antes de Natal e Ano Novo, há uma outra ocasião muito relevante no aumento das vendas para o comércio eletrônico: a Black Friday, que, neste ano, acontecerá no dia 24 de novembro.

O evento já se tornou uma das datas mais lucrativas para o comércio eletrônico. Em alguns anos, chegou a superar datas consideradas tradicionais pelo setor, como o Dia das Mães.

Isso nos mostra que a Black Friday é um ótimo evento para os empresários conseguirem conquistar todas as vendas que não conseguiram realizar durante o ano.

Porém, mesmo com os rastros da crise que passamos nos últimos anos, esse ano será de grandes vendas?

Sim! O Black Friday esse ano tem tudo para ser um dos maiores da história do país.

Isso porque os consumidores brasileiros estão contendo cada vez mais suas despesas e se tornando verdadeiros caçadores de bons preços. As promoções nunca foram tão importantes para o bolso do consumidor.

Isso significa que o perfil de comportamento do consumidor online também se transformou, e os lojistas têm de estar preparados.

Uma das mudanças mais claras foi o planejamento dos consumidores para a data.

Como o Black Friday vem se consolidando como um evento de grande relevância dentro do calendário do comércio, o consumidor já está aprendendo a esperar pela data para adquirir os objetos de seu interesse e até mesmo antecipar as compras de Natal e Ano Novo.

Pesquisa divulgada pela equipe de varejo do Google Brasil mostra que 63% dos entrevistados pretendem gastar mais de R$ 200. Para 63% dos entrevistados, o principal motivador de decisão para compra é o preço.

Além disso, nos últimos meses houve uma melhora na economia. Pouca coisa para alguns mercados, mas significativa.

Dicas para ter sucesso na Black Friday:

1. Se planeje

O empreendedor que quiser garantir a sua fatia desse montante já deve ter começado a pensar em todos os detalhes. Portanto, para que essa data seja lucrativa, primeiramente é necessário um bom planejamento.

O Black Friday exige que os empresários preparem com antecedência o seu marketing, seja online ou offline, para atender os milhões de consumidores que estão em busca das melhores ofertas.

Não adianta deixar tudo para a última hora e improvisar. Pode até ser que dê algum resultado. Mas com um planejamento bem pensado e estruturado, os ganhos serão ainda melhores.

Leia também: Planejamento de Ações: como sua empresa pode usar as datas comemorativas para vender mais.

Se a expectativa é grande por parte dos consumidores, a preparação por parte das empresas também acontece com muita antecedência.

2. Ofereça descontos dignos de Black Friday

Primeiramente, é preciso criar ofertas reais e ser honesto com o consumidor.

Nas primeiras edições, a Black Friday no Brasil acabou sendo uma decepção para os consumidores e a data ficou mais conhecida como Black Fraude, em razão dos descontos irreais e das falsas ofertas.

A solução para mudar o senso comum é partir sempre da verdade e, realmente, dar ao consumidor as vantagens que sua campanha vende.

Aposte não só nos descontos, mas em cupons, vendas combinadas e até brindes especiais. Aproveite momentos como esse para trabalhar a fidelização dos clientes.

E… que esses descontos sejam condições exclusivas de Black Friday (se não, não fará muito sentido esperar essa data).

3. Ambientize seu site e/ou espaço físico

Outro ponto essencial é a ambientação do seu site/loja virtual e escritório/loja física que, assim como em datas comemorativas, deve estar estilizada.

Investir em selos, banners e até um logotipo especial fará toda a diferença no momento das vendas. Isso faz com que o consumidor sinta mais confiança na sua loja e esteja disposto a comprar nela.

Aposte ainda em adequações tecnológicas para que sua loja suporte o pico de acessos sem sair do ar. Invista em uma empresa especializada que possa te ajudar com isso, afinal, ficar offline em plena Black Friday é perda na certa.

4. Não se esqueça da versão Mobile

A medida que o número de smartphones aumenta e a concentração do tráfego deixa os limites do desktop para acompanhar seus usuários em qualquer situação, o mobile também ganha protagonismo no contexto.

Para este ano, a estimativa é que 20% das compras na data venham do mobile (smartphones e tablets).

5. Se atente no estoque e na logística

E não se esqueça de pensar no estoque e na logística.

Tenha um bom número dos principais produtos de sua loja em estoque, garanta ainda certa quantidade a mais por segurança, afinal cliente nenhum quer ver a mensagem de “produto indisponível” e você, certamente, não está interessado em perder vendas.

Mantenha ainda um olhar rigoroso sobre os processos de logística – a entrega pode ser um dos fatores decisivos no momento da compra. Caso haja a possibilidade de atrasos na entrega, expresse isso antes mesmo que o cliente faça a compra.

O custo do frete também deve ser pensado. Negocie custos com os parceiros de logísticas e estipule melhores prazos de entrega que sejam viáveis para ofertar na data.

6. Abuse das plataformas digitais para divulgação

Como estamos falando de um evento que “nasce” do ambiente virtual, é preciso se utilizar das diversas plataformas que a web oferece.

Use as redes sociais – publicações impulsionadas no Facebook podem dar ótimos resultados -, faça campanhas de e-mail marketing e aposte no “bom e velho” Google Adwords.

Também se prepare para o atendimento e suporte ao cliente nessas plataformas. Tenha uma equipe treinada para oferecer atendimento ágil e eficiente aos clientes na hora da compra. É uma maneira de evitar devoluções e reclamações.

7. Se antecipe

A diretora do Google chama atenção para o fato de que a Black Friday no Brasil não consiste apenas na sexta-feira. Há uma antecipação de 1 semana, isso é visto no aumento das buscas pelo termo no Google.

Em 2016, o pico de buscas se deu às 22h da quinta-feira, com a data concentrando 1/3 das compras de toda a Black Friday.

Além disso, esteja disposto a ajudar seu cliente, a resolver todos os problemas que estiverem a seu alcance.

8. Bônus: Template Editável

Para te ajudar, criamos um template de post para as redes sociais, para você divulgar suas ofertas! Confira:

E aí? Se interessou e quer participar da Black Friday?

Em momentos de crise, onde o mercado se vê fragilizado, datas comemorativas devem dar o fôlego necessário para os empresários se equilibrarem e pensar em estratégias para crescerem.

“Por conta da crise, os varejistas não estão conseguindo bater suas metas e eles estão contando com a data para isso. O consumidor também espera, pois sabe que fará um bom negócio”, afirma Claudia Sciama, Diretora de Negócios para Varejo do Google.

Muitos empresários estão investindo na Black Friday esse ano e veem nesse evento uma forma de dar um “up” nos seus lucros.

E para fazer isso dar certo, o marketing é essencial.

Está preparado?

Se você possui uma loja e não quer ficar de fora, entre em contato conosco agora mesmo para te ajudarmos com a criação do material gráfico, divulgação, criação de anúncios e estratégias!

 

 Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

A lógica empresarial se resume à velocidade. Você nunca verá a empresa mais devagar ganhando uma corrida!

É essencial sempre estar um passo à frente da concorrência para atingir grandes resultados. Mas mesmo assim, vemos muitas empresas que demoram muito a tomar uma decisão.

O que podemos falar é: essas empresas estão fadadas ao fracasso.

Demorar muito para decidir qual modelo de negócios melhor se encaixa ao seu produto, qual é a melhor forma de vender, dentre outros pontos, só retardam o crescimento de uma empresa.

Ser ágil, mais do que nunca, se faz necessário.

Quer saber como a pressa move o Vale do Silício? Como a pressa move um dos ambientes mais inovadores do mundo? Qual é o segredo dos EUA quando falamos de tecnologia e empreendedorismo?

Como a pressa diferencia uma startup de uma empresa?

Quem já trabalhou dentro de uma grande empresa, sabe que nelas existe uma cadeia de comando bem rígida. A comunicação ocorre de forma lenta e na grande parte das vezes, interesses políticos se sobrepõem ao resultado final.

Dessa forma, elas possuem uma dificuldade enorme para inovar. Até por isso, muitas delas acabam estruturando áreas de inovação fora da sua estrutura central para não ficarem para trás.

É só olhar a diferença entre uma General Motors e o Google.

Enquanto o primeiro demorou vários anos para se tornar o gigante, o outro precisou de menos de uma década.

A diferença é que em Startups, todos os membros das equipes estão com pressa. Seja de vender, inovar ou divulgar.

Enquanto o Google lançou o Google+ de forma mais rápida possível, a GM demora pelo menos um ano para testar um conceito no mercado.

Então já é possível imaginar que se o primeiro falhar, é muito mais fácil buscar uma alternativa. Já o segundo, precisa aguardar pelo menos um ano para testar algo novo no mercado. Sem contar que a estrutura do Google prioriza o feedback entre os times, enquanto em grandes empresas normalmente todas as áreas trabalham de forma separada.

Não é à toa que empresas como o Slack, Uber, RD Station, o próprio Google e etc. conseguem expandir tão rapidamente.

Mas como alinhar a pressa com a falta de dinheiro, que é tão comum no nosso mercado?

Simples: adote processos e metodologias que são comprovadamente vitoriosos! Não perca tempo com testes inúteis.

Tente aplicar o que é certo, rapidamente, sem medo de errar. Seja ágil

E o que vai fazer a sua empresa crescer rapidamente? Como validar o seu modelo de negócios de forma eficiente?

Simples: tenha pressa. Mas não faça isso da forma errada.

Veja esse vídeo da Cris Franklin:

Ao invés de ficar batendo a cabeça, tentando fazer tudo sozinho, contrate profissionais experts para te ajudar. E não pense duas vezes antes de tomar essa decisão.

Seja ágil, simples e prático!

Quem não quer uma empresa que pode se adaptar rapidamente às mudanças e ser flexível diante dos resultados?

Então, não perca tempo! Tenha pressa. É ela que te diferencia de uma grande empresa.

E além dessa comunicação aberta e vontade de inovar, quer saber qual é a metodologia que torna Startups muito mais rápidas que as grandes empresas?

Fazer acontecer

Simples, eles fazem acontecer!

O sucesso está relacionado à tomada de decisão. Mude o seu mindset para isso urgente. É preciso sair da zona de “comoditização”. Largue na frente.

Você pode estudar e ler o quanto quiser, mas nada acontece até que você execute uma ação. Faz sentido para você?

Esse é o motivo do qual várias empresas nadam tanto e morrem na praia. Muitas não estão preparadas para mudar na velocidade em que precisam.

Então vamos lá:

Existe uma ordem de atividades que devem ser estruturadas para sua empresa gerar resultados efetivos na sua estratégia.

Não adianta você implementar um processo de gestão ágil se a sua empresa não possui processos bem estruturados.

Então vamos lá aos principais passos para você fazer acontecer:

1°. Defina os Objetivos:

Se você não sabe aonde quer chegar, não adianta nada ter pressa.

Então o primeiro passo é: Defina aonde você quer chegar e como isso será feito.

Uma vez que você define seu objetivo e a estratégia que será usada para chegar lá, você deve montar a base para alavancar seu negócio.

Com essa metodologia, é possível acompanhar melhor os resultados das campanhas de prospecção e marketing em geral, avaliando o que deu certo, errado e também os pontos que mais tem atrapalhado os trabalhos dos times.

2°. Vá para a Ação:

Existe ferramentas de gestão, como o Trello, que podem te ajudar na agilidade dos processos.

Crie planilhas: “To do”; “Pendências”; “Doing”; e “Done”, por exemplo, e coloque suas ações que foram selecionadas de acordo com seus objetivos em prática.

A maior carência de grande parte das empresas no mercado hoje estão ligadas a dificuldade de definir estratégias que devem ser realizadas pelas áreas de marketing.

Logo, a primeira coisa que fazemos aqui na Mkt Ideas ao começar uma implementação, é desenhar um funil de marketing funcional, com atividades bem definidas por etapa.

Paralelamente, realizamos um estudo do marketing atual de nosso cliente, analisando todas as entradas que ele possui, além da estrutura e capacidade de conversão do site, dentre outros fatores.

Ao longo dessa etapa, realizamos atividades internas que vão desde a definição de estratégias de keywords (palavras chave) até a contratação de ferramentas necessárias para o processo funcionar de forma correta.

Por isso que fechamos contrato de parceria de 6 e 12 meses com nossos clientes, pois o setup inicial é trabalhoso e no meio do processo temos vários ajustes até a maquina funcionar.

Se você quiser ajuda, realize um diagnóstico do marketing da sua empresa através da nossa ferramenta gratuita de Raio X:

3°. Analise os Resultados:

Nós praticamos a consultoria Business Intelligence (Inteligência de Negócios) todo mês analisando os resultados obtidos nas ações de marketing e nos objetivos das empresas dos nossos clientes, com relatórios simples e focado nas métricas mais importantes.

Se quiser conhecer mais sobre esse trabalho aqui na agência, clique aqui.

Assim os processos e decisões passam a ser guiados por resultados, sendo as ações mais assertivas e permitindo o máximo rendimento.

As principais perguntas para colher o feedback são:

  • O que conseguimos entregar esse mês?
  • Quais obstáculos surgiram?
  • Quais foram os erros e acertos? 

Sucintamente, vale compartilhar boas práticas e erros percebidos, pois essa comunicação pode gerar insights e ajudar a equipe.

Com base nessas respostas, um re-planejamento e, em alguns casos, um re-briefing é feito a cada novo ciclo.

Nosso objetivo aqui é validar as ações mais eficientes, cortar as que não trazem resultados, e replicá-las. Dessa forma, conseguimos trazer resultado de forma rápida para todo o processo.

Vale a pena ir sempre com pressa?

O único caso onde não vale a pena correr antes da hora, é quando sua empresa não tem suporte que sustente uma demanda.

Por exemplo, não vale a pena vender em vários canais sem saber se sua empresa vai conseguir suportar todo o tráfego e clientes que irá receber.

Então, pense com carinho na hora de definir um objetivo. Se o seu produto não aguentar, sua empresa estará se metendo em uma roubada.

Conclusão: não perca tempo

Os seus concorrentes têm pressa. Os seus melhores colaboradores também têm pressa! Já percebeu que se você também não tiver, vai acabar ficando pra trás, certo?

Então, comece já a realizar suas ações de marketing e tenha pressa para ter sucesso. Ela não irá esperar os acomodados!

Em geral, empresas que não evoluem e não se adaptam o suficiente ao mercado, deixam de existir.

Vale lembrar que é normal ter medo ou inseguranças acerca do crescimento.

Crescimento normalmente dói pois nos faz sair da zona de conforto. Mas isso pode ser muito positivo, pois te ajudará com os resultados futuros. Então não deixe o medo te prender no lugar.

Se você deseja que sua empresa cresça, evolua e se multiplique, entre em contato conosco, pois você precisará de “braços” de profissionais qualificados.

Nós resolvemos problemas que economizam tempo e dinheiro. Vem com a gente!

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

Creio que você, como todo empresário e gestor, queira tornar seu negócio escalável. Estou certa?

Tenho certeza que sim!

Porém, com a mudança no processo de compra do consumidor vindas com o crescimento da internet, o desafio hoje passa a ser outro.

Hoje vamos falar sobre o “novo” desafio das vendas!

Muitos vendedores ainda não entenderam essa mudança e estão vendendo de forma errada, perdendo tempo, dinheiro e estressando o cliente em potencial.

Hoje os vendedores devem ser mais capacitados e apresentar uma alta qualidade na abordagem, ou não haverá espaços para conversas.

O foco aqui não está apenas em vender, mas em agregar valor ao cliente e vender de forma qualificada.

Por isso, hoje vamos falar sobre o modelo de vendas Inbound Sales e te mostrar como acompanhar o novo processo de compras do consumidor.

Vamos lá? Vamos!

O que é Inbound Sales?

Inbound Sales é o modelo de vendas que se baseia na atração de clientes via Inbound Marketing e que apresenta um processo mais consultivo, sem uma aproximação tão agressiva buscando um maior entendimento sobre quem está querendo comprar.

Se o termo Inbound Marketing soa estranho para você, leia esse artigo já: O que é Inbound Marketing e por que ela é tão importante para as empresas?

Em vez de empurrar o seu produto a qualquer preço, o vendedor passou a se pautar em 3 pontos:

  1. Verificar o que precisa ser feito;
  2. Descobrir um jeito de fazer o necessário para gerar resultado;
  3. Gerar resultado.

Por ser uma metodologia baseada em leads/prospects gerados via Inbound (ou seja, que foram atraídos), o vendedor não tem tanto esforço ao explicar do que se trata a solução pois o lead já vem mais preparado e mais maduro, portanto os esforços devem estar em mostrar como o produto ou serviço se encaixa perfeitamente à necessidade daquele consumidor.

A ideia é que os primeiros passos já tenham sido dados pelo marketing, através de conteúdos educacionais e relacionamento com o lead ao longo de sua jornada de compra.

Mãos a obra: Processo de Vendas

Abaixo, apresentamos um modelo de processo de vendas.

Porém, ela não é uma regra e sim uma referência. Cada empresa pode definir qual o melhor processo de acordo com sua realidade.

Lembrando que o Inbound Sales é baseado em um processo de compra. Portanto, leve em consideração as etapas pelas quais seu potencial cliente passa, e não as etapas que seu vendedor quer, pois a decisão é sempre dele (cliente).

Vamos à explicação de cada etapa:

1. Pesquisa:

Aqui é hora de reunir informações relevantes sobre o seu lead para que você, vendedor, possa fazer uma abordagem personalizada e que agregue valor. Pense em quais informações você precisa saber para conversar com o lead de forma mais direcionada e, importante: verifique se o lead é a persona ideal da sua empresa.

2. Prospecção

O objetivo dessa etapa é conseguir falar com o buyer lead (responsável pela decisão de compra). Caso o lead engajado com a empresa não seja o buyer lead, inicie a conversa mesmo assim (afinal, ele está engajado e será o provável promotor da sua marca) e procure envolver o tomador de decisão na conexão.

3. Conexão

Nessa etapa o objetivo é validar se o lead realmente tem FIT para o seu negócio, ou seja, se ele se é um comprador em potencial para a sua empresa. Pode vir muitos leads que não estão prontos para a compra, leads que não enxergam valor no produto ou serviço, leads com dúvidas ainda nas compras e etc, portanto, quando mais qualificado for o lead, melhor e mais fácil será o processo de venda, passando-o para a próxima etapa.

Uma forma de descobrir se o lead tem o fit é avaliando os seguintes pontos:

  • Orçamento: se possui capacidade para pagar por aquilo que você oferece.
  • Tempo/Urgência: se está interessado em comprar imediatamente.
  • Proposta de Valor: se entendeu os diferenciais de sua oferta e reconheceu a necessidade.
  • Poder de decisão: se o contato possui autonomia de decidir ou influenciar na compra.
  • Conveniência: se enxerga sua solução como a mais interessante e fácil de ser adquirida.

Se o lead não possui os 5 pontos, ele não é 100% qualificado ainda. Portanto, avalie o nível de qualificação dele, e se ele for pelo menos 50% qualificado, e esse nível for interessante para o seu negócio, dê andamento na próxima etapa.

4. Necessidade e Descoberta

Também conhecida em algumas empresas como Avaliação ou Diagnóstico, o objetivo desta etapa é descobrir a necessidade do cliente e, mais do que isso, fazer com que ele também perceba essa necessidade. Este é o momento de entender todos os principais objetivos do cliente (aumento de vendas, redução de custos, tempo para lazer, etc). Os clientes não discutem com os dados fornecidos por eles mesmos, por isso é fundamental fazer as perguntas, mesmo que pareçam óbvias. Deixe que seu lead fale do objetivo dele e o induza, por meio dos questionamentos, a concluir que precisa melhorar em algo, em vez de você mesmo apontar o erro. Se ficar evidente na avaliação que a sua empresa pode solucionar o problema do seu lead, encaminhe-o para a próxima etapa, a de solução.

5. Solução Ideal

Esta é a etapa onde o cliente já sente a necessidade e cogita soluções. Obviamente, ele só chega até aqui se a sua empresa realmente pode solucionar essa necessidade. Portanto, o objetivo aqui é apresentar os benefícios da sua solução ideal (produto ou serviço) relacionando com o que o lead relatou na etapa anterior e convencê-lo de que o passo mais lógico é a compra. Uma vez que a necessidade já está evidente, mantenha os argumentos, apontando os benefícios da sua solução e os possíveis impactos que uma demora na decisão pode acarretar (gatilho da urgência).

6. Fechamento

O objetivo final é converter a venda. Aqui o discurso se direciona automaticamente para a implementação, custos e atendimento ao cliente. Uma vez que a proposta foi encaminhada é fundamental garantir um follow-up adequado (acompanhar a venda). E a regra essencial para fazer esse acompanhamento é agregar valor a cada comunicação com o futuro cliente. Relembre as necessidades levantadas pelo mesmo juntamente com as dicas que você deu. Envie também artigos úteis e que ele possa aplicar no dia a dia e estimule a decisão de compra. Ah, e cases. Nada facilita mais a tomada de decisão nessa fase que Cases de Sucesso. Mostre como clientes parecidos alcançaram resultados tremendos. Busque sempre pelo “sim” do cliente. Vale a pena também montar uma apresentação em alguns casos – veja esse artigo: Como uma boa apresentação pode conquistar novos clientes.

Considerações e dicas finais

É comum que vendedores queiram ser otimistas e conduzir o que consideram um potencial cliente pelo funil de vendas mesmo que ele não tenha apresentado fit, empurrando a negociação para a frente.

Contudo, é importante reforçar que se o lead não apresentar o perfil adequado, essa é a hora de agradecê-lo e tirá-lo do pipeline de vendas para que não consuma mais tempo do vendedor.

Partindo do pressuposto de que as vendas são cada vez mais consultivas, o ideal é ser sincero e não empurrar clientes para dentro da empresa. Isso só aumenta as chances de um potencial cancelamento ocorrer.

Por isso, uma venda bem feita diminui as chances de cancelamento de produtos e serviços e aumenta as possibilidades de upsell (vender mais soluções para o mesmo cliente) e/ou cross-sell (vender produtos complementares ao mesmo cliente), aumentando o ticket dele (retorno do cliente para a empresa).

Para facilitar e otimizar o trabalho do time de vendas, tenha alguns templates de e-mails, apresentações e scripts prontos para apenas serem adaptados. Isso também evita a falta de padrão no discurso dos vendedores.

>> A agência Mkt Ideas possui templates de e-mails de vendas que são fornecidas gratuitamente para nossos clientes. Se você é nosso cliente e ainda não possui, solicite para nós o quanto antes 🙂

Se o cliente vier com algumas dúvidas e objeções, envie para o time de marketing para que possam criar conteúdos em cima dessas dores e apresentar pequenas saídas aos seus leads, sem citar exatamente a solução da sua empresa. Esses mesmos conteúdos podem ser usados pelos vendedores como apoio.

Caso perceba que o lead não está preparado para comprar no momento, o envie de volta para o time de marketing, que se encarregará de amadurecê-lo e nutri-lo, através das ações de Inbound Marketing.

A modelo estratégico de Inbound Marketing somada a inteligência na abordagem de Inbound Sales reduz o tempo e dinheiro investido em marketing e vendas, visto que os processos integrados são otimizados e potencializados. Ao conseguir essa redução, a empresa poderá se tornar escalável e ir em busca da expansão de mercado.

Nós sabemos disso, e por isso damos suporte e materiais bônus aos nossos clientes para que tenham sucesso também em Inbound Sales.

Espero que tenha gostado do conteúdo! Se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco ou deixe suas perguntas nos comentários. Aproveito para sugerir a leitura de nosso eBook gratuito sobre cases de marketing digital. Se inspire:

 

A Mkt Ideas é uma agência especializada em Inbound Marketing com foco em branding e performance. Resolvemos problemas que economizam tempo e dinheiro. Vem com a gente!

 Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

Para muitas empresas, definir uma estratégia para obter um melhor retorno financeiro é uma grande dificuldade.

Muitos se perguntam se mais vale mais a pena apostar na performance ou no branding, e vice versa.

As duas apresentam vantagens, mas o que vai proporcionar mais benefícios é a união de ambas.

Mas Veronica, por que?

Para ficar mais claro, vou fazer um breve resumo sobre cada uma e como elas podem ser aplicadas ao seu negócio.

Branding

De um lado temos as ações de branding, que refere-se a todo trabalho de construção de imagem, reputação e posicionamento da marca afim de gerar valor para sua empresa, sendo de extrema importância para a sua sobrevivência.

Portanto, o objetivo aqui é fixar a marca na mente do consumidor e aumentar o valor dela, fazendo com que seu público escolha pela sua empresa e o fidelize.

Por esse motivo, não se trata de uma campanha com retorno direto e imediato sobre os investimentos, como ocorre em performance, mas que pavimenta o caminho dos negócios, trazendo ganhos de médio e longo prazo.

Nesse sentido, o branding reforça os resultados finais – que é o objetivo final da performance.

Leitura recomendada: Quais as principais características de uma boa marca?

Performance

De outro lado, outra vertente de investimento é a performance/desempenho que, como o próprio nome diz, tem o intuito de conseguir o maior retorno direto de um investimento.

Portanto, nela contemplam ações que miram a conversão de uma ação, sejam as próprias vendas ou o cadastro de uma newsletter, por exemplo.

Quem optar por ela vai ter um pouco mais de trabalho para entender termos como ROI (Retorno de Investimento), CPC (Custo por Clique), conversão e vários outros.

Conforme já postamos aqui no blog nesse artigo, dar atenção à infraestrutura e ao funcionamento do site é um exemplo de quem aposta nela, pois essas medidas garantem que mais usuários acessem o site e que cumpram o objetivo da empresa.

Apesar das dificuldades iniciais, investir em ações e ferramentas consideradas “de desempenho” é vantajoso para quem busca ganhos financeiros mais rápidos.

Em qual investir?

Durante esses anos trabalhando com diversos profissionais e clientes, sempre me fizeram a pergunta: “Por que devo investir nessa mídia que não me traz venda imediata?”

Quando se olha apenas para o resultado imediato, a tentação é grande de migrar a verba toda para a mídia de performance, mas essa estratégia tem se mostrado falha.

Obtém-se uma pequena melhora do ROI de forma imediata, mas com o tempo cai o volume de busca, cai a venda direta, cai o volume de venda total e as campanhas de remarketing praticamente não tem para quem apresentar. Ela não se sustenta ao longo prazo. Você sempre dependerá da criação de novas campanhas.

Portanto, independente do perfil da sua empresa ou de qual objetivo deseja alcançar, é preciso unir as estratégias.

As empresas deveriam considerar que não há bons resultados para uma marca sem visibilidade e credibilidade no mercado. Da mesma forma, uma boa reputação não se sustenta sem o aumento no número de vendas acompanhado da formação de uma base sólida de consumidores.

Compreende?

Aí está o ponto que devemos enxergar: o equilíbrio ideal das ações de marketing para branding ou performance não está em nenhum dos lados da balança pois neste caso teríamos obrigatoriamente que abdicar de um em detrimento do outro, ou seja, mais performance significaria menos branding e vice-versa.

Conseguir trabalhar com as duas estratégias é, portanto, buscar unir fixação de marca e efetividade das suas ações. É a solução para quem procura um resultado maior e mais duradouro.

Assim o resultado tende a ser sólido, a imagem da marca se consolida ao mesmo tempo em que traz a reboque o aumento dos índices de Performance, vendas, cadastros, acessos, views, downloads e etc.

No longo prazo, um deve estar ancorado ao outro. E a base destas ações devem ser os dados e análises de BI (Business Intelligence) e tendências de mercado, sem os quais, qualquer planejamento de marketing pode naufragar.

Essa é uma preocupação da agência Mkt Ideas. Damos grande importância ao trabalho, garantindo que a imagem da marca (branding) seja preservada durante a implementação de uma campanha de performance. Por isso somos uma agência de publicidade focada em branding + performance, sendo esse um dos nossos diferenciais.

Inclusive, trabalhamos com a metodologia de Inbound Marketing, que unifica muito bem essas 2 estratégias.

Conclusão

A empresa que reserva orçamento para campanhas tanto de branding quanto de performance aliando resultado à construção de marca estão 10 passos à frente da concorrência.

Certo?

Certo!

Para terminar, vale uma reflexão sobre o slogan da marca Tostines:

“Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?”

Deixe sua opinião nos comentários! E aproveite e baixe gratuitamente nosso infográfico que une branding + performance:


Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

Não é novidade para nenhum empresário que o país tem passado por dificuldades econômicas nos últimos anos.

Momentos de crise costumam assustar a maior parte das empresas, que prefere buscar garantias e evitar riscos.

Devido à esse cenário, um desafio para as empresas dos mais diversos segmentos é se adaptar às mudanças e continuar gerando receita, não é mesmo?

E quando pensamos em gerar receita, a maioria das empresas investem parte de seus capitais em marketing, comunicação e design para alavancar seus negócios. Seja valorizar a marca, fidelizar clientes ou conquistar mais mercado.

Porém, quando se iniciam rumores sobre crises financeiras, algumas empresas resolvem enxugar seus investimentos e deixam de investir justamente nessas áreas, que é um grande erro, afinal, como a empresa vai conseguir divulgar suas ofertas e fidelizar seus clientes atuais se não investir em marketing?

Por mais que uma crise se avance em todo o país, é importante ter em mente que o corte total de gastos com marketing não será a solução para os problemas das empresas. E, além disso, pode ser um grande erro deixar de investir neste segmento em fases difíceis, justamente porque sua empresa pode perder seu valor e visibilidade, perdendo para a concorrência e correndo o risco de quebrar. Inclusive, investir em marketing passa a ser mais ainda um diferencial para se destacar dos concorrentes.

Agora, enxugar aqueles custos que não trazem retorno para o negócio é muito importante. Portanto, precisamos entender e saber como e onde investir em tempos de crise, para que a empresa não tenha o risco de quebrar.

Ou seja, fazer uma gestão empresarial inteligente.

Já ouviu dizer que a crise não é para todos? Pois bem, é sobre isso que iremos falar.

Por mais que seus clientes estejam em fases complicadas, eles ainda possuem as suas necessidades e precisarão das  soluções que sua empresa oferece.

Mas então por que o marketing é uma áreas das mais afetadas na crise?

A resposta é de certa forma simples: Muitas empresas, erroneamente, acham que o marketing é um gerador de despesa. O que está errado. Pois o marketing é uma área de apoio aos negócios, que traz resultados à curto, médio e longo prazo.

E por que isso acontece?

Porque a forma como o marketing trabalha e se posiciona afeta diretamente o modo como ela é vista dentro do negócio. E os resultados que o marketing entrega influenciam ainda mais a percepção da empresa sobre a função.

Como muitos profissionais e agências de marketing trabalham sem metas e sem planejamento, eles acabam se posicionando como gerador de despesas, levando os empresários a crerem que se cortar a verba de marketing, não haverá diferença.

Isso faz sentido, afinal, sem uma clareza na entrega, fica mais difícil relacionar ações e resultados.

Marketing como Despesa x Marketing como Investimento

Existe uma diferença muito grande entre o marketing que se posiciona como despesa (centros de custos) e entrega resultados intangíveis e outra, que ao contrário, é um investimento (fontes de receitas) para trazer resultáveis palpáveis ao negócio.

Diferenças:

– Marketing como Despesas: elabora seu planejamento pensando nos gastos que vai gerar para a empresa. Geralmente não apresenta relatórios, não pensa em métrica e nem colhe feedback com a empresa.

– Marketing como Investimento: faz um planejamento para cada ação desenvolvida, apresenta, compara e discute as métricas através de relatórios e feedback da empresa, e pensa em soluções e ajustes junto com a empresa para atingir seus objetivos.

Já passou por algum desses cenários?

Aí você pode pensar “mas é claro que todo marketing/agência deve trabalhar como o que foi citado em Marketing como Investimento”. Pois é, deveria,  mas muitas empresas infelizmente já passaram pelo Marketing como Despesa.

Você já deve ter passado ou conhece alguma empresa que passou pelo primeiro cenário, fazendo com que o pouco vínculo entre o marketing deixe a impressão de que poderá ser cortado sem prejudicar os resultados.

O Marketing deve ser visto, como o segundo cenário, como uma ferramenta estratégica de negócios que deve ser intensificada em tempos de crise.

Selecionei abaixo algumas soluções sobre como investir no Marketing de forma correta em tempos de crise.

Vamos lá?

Dicas de Marketing para se sair bem na crise:

 

1) MENSURE COM PRECISÃO OS RESULTADOS

Avaliar constantemente os resultados é importante para saber o que gera lucro e focar nele.

Por isso, o resultado de todas as ações deve ser criteriosamente analisado, desde uma call to action até um evento elaborado, assim é possível compreender se é o momento ideal para investir em determinadas ações ou se a melhor decisão é esperar um período mais oportuno para isso.

Com uma avaliação criteriosa você também conseguirá perceber o que realmente gera resultados em curto prazo e poderá focar nesses pontos.

É possível mensurar com melhor precisão principalmente se as ações forem trabalhadas no ambiente online. Cada ação que a empresa faz em seus negócios, é possível mensurar de forma simples e objetiva, gerando muitas possibilidades de tomadas de decisões com mais confiança.

Dentro do Marketing Digital podemos mensurar todos os tipos de resultados, por exemplo: Quando anunciamos no Google Adwords, conseguimos saber quantas vezes o anúncio apareceu, qual o custo de cada palavra, quais as palavras que consumiram mais ou menos créditos, etc. Dentro do site de uma empresa, é possível saber quantas pessoas visitaram, quantas pessoas retornaram, quais as páginas mais visitadas e quais estão trazendo o melhor desempenho ao seu negócio.

O marketing terá todas as ferramentas para avaliar a efetividade das ações executadas junto aos gráficos de análises, atualizados a todo instante, e as estratégias podem ser revistas caso necessário.

Identificar recursos e o retorno obtido é o primeiro passo para transformar custos em investimento.

 

2) OTIMIZE OS INVESTIMENTOS

Não deixe de investir em seu negócio, mas avalie opções sensatas para sua decisão. Como dissemos no item acima, faça um mapeamento dos recursos que são investidos hoje.

É importante ter em mente todos os recursos que estão sendo investidos hoje e quais são os retornos que são obtidos a partir deles. Ao entender para onde estão sendo destinados os recursos também será possível conseguir fazer uma gestão mais inteligente, dando novos fins ao que não está trazendo resultados.

Tendo em mente os custos que foram mapeados, a empresa consegue avaliar também o quanto suas ações agregam em resultados de longo prazo. Investir na construção de um ativo de marketing normalmente faz com que o custo de aquisição de clientes se torne mais baixo.

Resumindo, é preciso manter o foco nas divulgações de marketing, porém fazer uso de alternativas de menor custo e até com maior eficiência.

O marketing pode direcionar os investimentos e o posicionamento da companhia e ainda antever quais são os principais pontos de atenção e atuação em períodos mais críticos. As escolhas de onde investir ou cortar gastos devem estar pautadas nas estratégias, e não na crise.

Esse trabalho é conhecido como Business Intelligence (BI). Aqui na agência Mkt Ideas, nós realizamos a consultoria BI como bônus para todos os nossos clientes que possuem ações de marketing recorrentes pois sabemos da importância dele. Mas também o temos de forma avulsa para clientes que já possuem equipe interna e querem uma consultoria inteligente do negócio. Para saber mais, clique aqui.

 

3) CUIDE DA SUA MARCA

Manter o orçamento em ações focadas na marca da empresa faz com que você seja lembrado mesmo em momentos de retração do mercado.

A construção e, principalmente a percepção da marca, são fundamentais para a saúde da companhia.

Pense nisso e direcione ações para fortalecimento de sua marca, como criação ou redesign da sua identidade visual, material gráfico promocional e institucional, presença nas redes sociais, conteúdos para blogs e outras ações de branding (gestão da marca).

Veja nesse artigo aqui um case em legal de material gráfico que fizemos para um cliente.

Pequenas atitudes podem fazer com que o seu cliente pense duas vezes antes de trocar seu produto pelo do concorrente, que pode até ser mais barato, pelo simples fato de não ter uma relação com a sua marca.

 

4) GERE CONFIANÇA NA SUA EMPRESA

Gerar oportunidades de negócios é o objetivo de toda empresa. Mas em meio a uma perspectiva de economia em baixa, a qualidade de contexto, conteúdo e processos de vendas merecem ainda mais atenção e esforços.

Lembre-se que seu cliente também está vivendo o mesmo momento de ponderação, portanto, ele precisa se sentir seguro sobre suas decisões de compra.

Neste momento, investir em conteúdos sobre sua empresa, como apresentações institucionais, de serviços com cases e diferenciais faz toda a diferença. Treinar sua equipe para que esteja sempre preparada, prestativa e pronta também é um ponto relevante.

Gerar confiança trará mais vendas para sua empresa.

Sugiro a leitura do artigo: Como uma boa apresentação pode conquistar mais clientes?

 

5) ALINHE OS DEPARTAMENTOS DE MARKETING E VENDAS

O objetivo de alinhar as estratégias de marketing com a equipe de vendas é um só: gerar economia e eficiência.

O marketing vai muito além da comunicação dos produtos e serviços. É o setor que deveria direcionar os rumos de atuação de toda companhia.

Para isso, os especialistas devem atuar junto com a empresa, e principalmente com a equipe de vendas, para montar as ações com projeções e metas para o futuro, além de acompanhá-las de perto para garantir que os objetivos traçados aconteçam conforme previsto ou cheguem o mais próximo possível disso.

É um feedback entre o que é apresentado ao mercado (marketing) e o que é retornado para a empresa (vendas). Juntos, podem criar insights bem interessantes e produtivos.

 

6) SE RELACIONE E FIDELIZE

Se relacione com seu público alvo e fidelize os clientes que já estão na base.

Em um momento de crise é essencial manter o bom relacionamento com aquelas pessoas que já fazem parte da base de contatos.

Investir na comunicação através de e-mail marketing e na criação de fluxos de automação pode ajudar a empresa a vender mais para os atuais clientes, gerar novas oportunidades entre os leads que já existem e diminuir o ciclo de venda.

Existe uma estratégia relativamente nova chamada Inbound Marketing. É um método que consiste em vários processos de ações baseadas na jornada de compra dos seus clientes.

Se quiser se aprofundar mais, veja esse artigo que fizemos: O que é Inbound Marketing e porque ela é tão importante para as empresas?

No Inbound Marketing, além de atrair prospects interessados em seus produtos ou serviços, você deve nutrir esses contatos enviando conteúdo interessante e relevante para eles até o momento em que estarão prontos para receber sua oferta. Isso vale também para manter os clientes fiéis.

Esse relacionamento pode ser construído através de marketing de conteúdo, que ajuda a melhorar o posicionamento da empresa na busca orgânica (resultados onde sua página aparece na busca do Google sem custo) e se tornar autoridade na sua área de atuação. Ou seja, também é válido para fortalecimento da sua marca.

É um processo cuidadoso, que envolve pessoas qualificadas, disciplina, organização e ferramentas certas. Automatizar essa etapa significa entregar leads prontos para sua equipe de vendas, pessoas certas, na hora certa, e tudo em um fluxo continuo e muito mais eficiente. Vale a pena o investimento.

Confira alguns cases bem interessante sobre empresas que investiram no Marketing Digital e use-as como inspiração: 

 

7) SEJA CRIATIVO E INOVADOR

A cautela acaba se sobrepondo à disposição de ousar. Uma pena. Embora, de fato, tragam dificuldades, épocas de crise podem representar grandes oportunidades, principalmente para os empreendedores.

Lembra que no começo do artigo citei que a crise não é para todos?

Existem no Brasil vários exemplos de empreendedores que criaram negócios, prosperaram em tempos de crise em pouquíssimo tempo e estão crescendo rapidamente, como o Uber e Airbnb.

O segredo?

Foram empresas que resolveram parar de ver a crise como um empecilho e escolheram outra alternativa: acelerar os negócios.

As dificuldades impostas pela crise podem funcionar como impulsos para a inovação. A necessidade de reduzir custos é uma grande oportunidade para aperfeiçoar métodos e criar mecanismos novos que ajudem a otimizar o trabalho.

Temos que ser criativos e assertivos e, mais do que isso, nos prepararmos para o futuro.

Vale a reflexão: Você conhece bem seu cliente? Qual problema seu serviço ou produto de fato soluciona? Você faz a diferença na vida dessas pessoas? Essas e outras perguntas você deve fazer à sua empresa para realmente se diferenciar no mercado.

Manter os investimentos em novos produtos, novas soluções, sempre de forma estratégica, é essencial para garantir o futuro da sua empresa. Frear ou retardar novos lançamentos pode fazer com que você desvie o foco do futuro que já havia planejado e isso fará com que a empresa não atinja os objetivos esperados.

Além disso, não bata na mesma tecla de seus concorrentes. Seja inovador! Faça diferente! Se você não se atentar a isso, será somente mais um na multidão. O ideal é pensar e se comunicar de forma criativa e diferente, ressaltando sempre os melhores atributos do produto e da empresa, destacando os principais diferenciais de sua marca.

O que isso nos diz?

Que é possível prosperar em momentos de dificuldades, e que este é o momento de investir em inovação.

Está pronto para trabalhar seu Marketing como Investimento?

Seguindo nossas sugestões, o trabalho do marketing da sua empresa será uma arma extremamente poderosa no planejamento estratégico do seu negócios e, ainda, terá efeito propulsor nos resultados e performance da companhia.

É tempo de levantar a cabeça, pensar positivo e focar no que interessa.

Para conquistar o sucesso, é necessário compartilhar de informações e ter uma agência parceira profissional e qualificada para ajudá-lo a entender melhor todo o funcionamento do Marketing e ter uma área comercial mais antenada.

Assim, saberá como investir em tempos de crise, sem medo de ser feliz.

Nós somos uma agência que trabalha com todos os pontos que citamos e estamos ajudando muitas empresas a darem um “up” nos seus negócios.

Que tal marcarmos uma Mentoria Online Gratuita para avaliação do seu negócio?  

Basta se inscrever no botão abaixo para que possamos esclarecer as dúvidas que você, porventura, tenha e para que o orientemos sobre a maneira mais eficaz da sua empresa investir em marketing. *Para garantir a qualidade deste serviço, os profissionais envolvidos possuem uma agenda limitada, permitindo somente 5 consultorias por mês. Por isso, caso tenha interesse na mentoria, é importante que você entre em contato o quanto antes, para garantir a disponibilidade de um dos nossos consultores.

 Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas