Arquivo para Tag: marketing

Nada melhor do que aliar prazer e novos aprendizados, certo?

Os filmes e séries sobre marketing são uma bela forma de retratar o que acontece no mundo dos negócios de maneira lúdica, além de ser uma excelente maneira de expandir os nossos conhecimentos sobre as abordagens possíveis nessa área, mas sem abrir mão da diversão.

Ao mostrar o poder que um trabalho de marketing bem feito pode alcançar, fica fácil entender o quanto essa é uma ferramenta crucial para o andamento e sucesso de um negócio.

 

💡 Veja também:

 

Pensando nisso, preparamos uma lista maravilhosa com indicações de filmes e séries sobre profissionais (fictícios e reais) que deram a volta por cima e atingiram grandes resultados utilizando estratégias de marketing (alguns deles disponíveis na Netflix e Amazon Prime). Confira:

Já salve esse artigo nos favoritos para ver sempre que quiser!

1. Amor por contrato (2009)

Aí está uma história que ajuda a entender bem o poder de influência do marketing. Por isso, é considerado básico para quem atua nessa área.

O longa diverte, mas também convida à reflexão. A pessoa tem que ser muito insensível para não se questionar sobre a sua responsabilidade na determinação das relações de consumo.

Imagine a situação: de repente, você descobre que os seus vizinhos, muito simpáticos, na verdade são atores contratados para influenciar as suas decisões de compra.

O melhor do filme é acompanhar como as relações vão sendo construídas no dia a dia, que tipo de apelo pode ser mais eficiente, como as pessoas podem ser facilmente seduzidas.

Preste atenção em como eles são muito bons para dizer (e fazer) exatamente o que o público-alvo quer ouvir. Assim como acontece nas estratégias de marketing eficientes, eles adotam uma linguagem adequada para cada tipo de persona.

Enfim, é possível ter uma boa noção sobre o comportamento do consumidor —ainda que o objetivo seja fazer uma crítica ao consumismo.

Disponível na Netflix.

 

2. Abstract (2018)

Em formato de documentário divido em oito episódios, mostra como é o processo criativo dos designers mais inovadores do mundo.

A série reúne importantes nomes da cena e revela como esses gênios da arte visual pensam e qual a influência do trabalho deles em vários aspectos da nossa vida cotidiana.

Você aprenderá que pensar no visual, no design e no processo criativo da sua marca ou produto pode fazer a diferença durante a jornada empreendedora.

Disponível na Netflix.

 

3. Mad Man (2007)

A premiada série americana mostra o cotidiano de funcionários de uma agência de publicidade e marketing em 1960. Se você nunca parou para assistir essa série, então faça isso agora mesmo.

Mad Men é uma das melhores séries de marketing que existe. A série foi feita por Matthew Weiner e gira em torno de uma agência em Nova York.

O foco principal é no diretor de criação, Don Draper que entrega enredos que geram interesse tanto em sua vida pessoal, quanto profissional pois os insere em várias campanhas publicitárias.

A série é capaz de abordar os temas de marketing com especialidade, mostrando que os conceitos e suas aplicações, são atemporais.

Disponível na Prime Vídeo.

 

4. Phil Knight: O Homem que Conduz o Mundo (2012)

O documentário conta a história de Phil Knight, fundador da Nike, e mostra o surgimento e a ascensão da marca esportiva que se tornou uma das mais fortes do planeta. A Nike foi a primeira empresa a patrocinar jogadores profissionais, criando uma forma diferente de dialogar com o público.

O principal ícone do sucesso dessa estratégia é o jogador de basquete Michael Jordan. Os produtos associados a seu nome foram responsáveis por alavancar as vendas da marca em todo o planeta.

Você vai aprender como encontrar formas diferenciadas de posicionar o seu negócio e sua marca em meio a tantas opções já existentes no mercado.

 

5. The Circle (2017)

O filme conta a história de uma empresa que é responsável por reunir os dados das pessoas, relacionando suas informações com o serviço de email, as compras realizadas e outros detalhes da sua vida privada.

Para os profissionais de marketing, é uma boa oportunidade de refletir sobre o futuro da atividade.

O que se sabe é que teremos cada vez mais condições de entender o comportamento do consumidor, mas não há como fugir dos debates relacionados à questão da privacidade.

Voltando ao longa, há quem critique a forma como problemas tão complexos foram tratados. De qualquer forma, o que nos interessa é acompanhar de perto essas discussões.

Quem atua com marketing digital, por exemplo, precisa compreender muito bem as transformações que estão ocorrendo nas relações de consumo.

Disponível na Netflix.

 

 

6. Emily in Paris (2020)

O choque cultural entre uma novata publicitária dentro de uma empresa estrangeira é o fio condutor da série Emily in Paris.

A história se passa na vida de Emily Cooper, que se muda de Chicago para Paris em nome da agência de publicidade que representa.

Tendo que viver no meio de um escritório de publicidade francês sem dominar o idioma, Emily tenta levar a perspectiva americana para os negócios franceses.

A princípio, sua presença no local não é muito bem vinda, principalmente por conta da personagem não falar francês. Mas o trabalho que Emily realiza durante seus dias na cidade do amor acaba tendo uma boa repercussão e ela vai ganhando mais espaço.

A vida pessoal da personagem também é cheia de dramas, o que faz a série ter o equilíbrio correto.

Disponível no Netflix.

 

7. Do que as mulheres gostam (2012)

O nome já diz tudo, né?

O filme é uma comédia sobre o universo feminino e tem como cenário principal a agência de publicidade Sloane Curtis.

Mel Gibson interpreta o diretor de criação Nick Marshall que, de repente, ganha o dom de ouvir os pensamentos das mulheres. O enredo é bem divertido, principalmente ao tratar das relações dele com Darcy Maguire (interpretada por Helen Hunt).

Ela é contratada para ajudar o publicitário, mas nem imagina que ele tem formas bem eficientes de captar as suas ideias — acredita que ele tem o dom da empatia e muita sensibilidade para entender a alma feminina.

Para os gestores de marketing, o longa deixa excelentes lições. Evidencia muito bem a importância de se definir com precisão o persona. Além disso, mostra a relevância do trabalho em equipe e, para os mais observadores, dá boas dicas de como funciona o dia a dia de uma agência de propaganda.

Como destaca o filme, parece simples, mas a abordagem do consumidor depende de atenção com diversos detalhes envolvidos na composição das mensagens.

Disponível na Prime Vídeo.

 

8. The Pitch (2012)

Nem todas as séries sobre marketing se passam por meio da ficção.

Prova disso é The Pitch, uma série documentário faz você enxergar como é o bastidor de duas agências de publicidade reais.

Elas disputam uma única conta em cada episódio. Durante a trama, podemos acompanhar como cada profissional pensa, como suas ideias afloram, dentre outros assuntos.

 

9. Obrigado por fumar (2005)

Este filme traz uma trama absolutamente interessante. O protagonista do filme, Nick Taylor, é o profissional de relações públicas das grandes empresas de cigarro.

Seu trabalho consiste ativamente em fazer com que a imagem ruim do tabaco seja amenizada – vendendo a imagem que os mocinhos fumam.

Nick, então, ganha a vida defendendo os direitos do fumantes nos Estados Unidos, fazendo de tudo para evitar que uma imagem negativa recaia sobre o cigarro.

O filme então relata a visão que se tem de dentro das fabricantes e como elas fazem para que a imagem negativa não afete os negócios, mostrando o poder que uma boa publicidade tem para passar uma imagem positiva para um produto.

 

10. Jobs (2013)

Não há quem não conheça a história de Steve Jobs. Uma das maiores mentes que já habitou a terra, trouxe uma revolução no mundo digital através de seus produtos.

O filme mostra a trajetória do fundador de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, Apple.

Jobs foi um mestre do marketing e salvou por diversas vezes sua empresa de uma crise justamente por saber como fazer um show em suas apresentações e aguçar a curiosidade do público através da ativação do senso de exclusividade.

O longa ainda traz um bom apanhado de memórias de sua carreira e também algumas lições práticas, como saber lidar com investidores. Apostar em ideias, perseguir um ideal, fazer melhor do que os outros e as palavras chave “inovação” e “paixão pelo que faz” são os lemas dessa história.

Disponível no Netflix.

 

Está gostando do conteúdo? Aproveite e faça como os 5.347 inscritos: assine grátis nossa newsletter e faça parte da nossa lista VIP:

11. O lobo de Wall Street (2014)

O filme (“The Wolf of Wall Street”, 2013) é baseado nas memórias de Jordan Belfort, um ambicioso ex-corretor da Bolsa de Valores de Nova York que começa a trabalhar com a venda de ações de pouco valor. Diante de uma crise, Jordan vai atrás de desenvolver novas estratégias de vendas e uma maneira diferenciada de abordar e negociar com seus clientes. Pouco a pouco, Jordan vai dominando o mercado de venda de ações.

Além de mostrar as consequências de uma ambição sem fim, o enredo tem muito a ver com enxergar oportunidades e não ter medo de arriscar. O filme traz uma pessoa que começa trabalhando para outras. Nisso, ele consegue identificar uma oportunidade e resolve ele próprio montar seu negócio.

É importante observar como o protagonista atinge seus objetivos com seu poder de persuasão podendo fazer até o cliente mais desinformado a comprar o seu produto. A narrativa também comprova a importância de pensar positivo, ter uma boa visão do futuro, adotar estratégias para alcançar o sucesso e, claro, agir com ética.

Disponível na Prime vídeo.

 

12. A Rede Social (2010)

Como não ver o filme que revela os bastidores da criação do Facebook?

Hoje a empresa lidera com larga vantagem este universo das redes sociais, tão importante para as nossas estratégias de marketing e de comunicação, mas não foi fácil alcançar essa posição.

O filme (“The Social Network”) conta a história de Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook, mostrando a criação da rede dentro da universidade de Harvard, em 2003. Em apenas seis anos, Mark Zuckerberg é o mais jovem bilionário da história.

Com a proposta de levar as interações entre pessoas para o mundo virtual, o Facebook se tornou a maior rede social do planeta. Assim como em Steve Jobs, o filme demonstra que a genialidade não garante a consolidação de uma marca. Mais do que criatividade, é preciso ter extrema dedicação para colocar o sonho em prática.

O filme é ideal para entender como esta ferramenta foi idealizada e como esse mecanismo funciona, além disso, compreender “a visão do criador dessa rede”.

Disponível no Netflix.

 

13. Chef (2014)

A comédia dramática traz a história de um homem que, após abandonar o emprego por conta de uma crítica pesada, decide abrir um foodtruck próprio e se reconciliar com a família.

Nessa passagem, preste atenção aos embates que ele trava com o dono do restaurante. Enquanto o chef quer oferecer novas experiências para o público que frequenta o local, o proprietário prefere a regularidade, ou seja, apostar no que já deu certo.

Eles se esforçam para o negócio dar certo, apostando em marketing digital! Com o uso das ferramentas apropriadas, ele ajuda o pai a trabalhar adequadamente a sua presença digital.

Quem trabalha na área consegue identificar as estratégias empregadas e, quem ainda não está com a mão na massa, pode ter uma boa noção de como isso funciona.

Disponível na Prime vídeo.

 

14. Steve Jobs (2015)

Dirigido por Danny Boyle, o longa retrata três fases da vida de Steve Jobs (Michael Fassbender), sócio-fundador da empresa Apple e gênio da tecnologia: o lançamento do Macintosh, da NeXT e do iMac. 

Diferentemente de Jobs — que mencionei mais acima –, a história não abrange apenas a vida profissional do personagem. Mais intimista, é focada também na vida pessoal dele.

Esse filme inspira empreendedores à medida que comprova como coragem, foco e persistência são essenciais ao sucesso de qualquer negócio. Também revela o impacto que o marketing tem sobre uma marca, já que Jobs sempre conseguiu cativar o público e a mídia, apesar de sua personalidade forte e polêmica.

 

 

Conclusão

Preparado para maratonar os filmes sobre marketing?

Esperamos que sim, porque não há nada mais inspirador do que ter alguns momentos de diversão. Sem falar que quanto mais repertório cultural, mais condições você tem de mostrar que tem boas referências para trabalhar na gestão de marcas.

Conte aqui se você já assistiu algum desses da lista e nos diga também se despertou interesse em assistir algum outro. Compartilhe esse conteúdo com mais pessoas que tenham interesse pelo assunto.

E que tal avaliar o marketing que você faz em sua empresa? Disponibilizamos pra você nossa ferramenta gratuita. Faça um autodiagnóstico rápido e receba o resultado na hora:

raio-x do marketing

 

Se quiser continuar maratonando, sugerimos ver essa lista de 21 filmes inspiradores de gestão que vão ajudar o seu negócio.

 

 

Continue nos acompanhando nos melhores canais para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio:

  facebook  instagram  blog  grupo do whatsapp  youtube  linkedin

#TakeaNote #TakeIdeas

 

 

Nós somos seres em constante transformação e evolução. Mudamos nossos pensamentos, hábitos, comportamentos e consumo. Diante disso, todo ano, pelo menos, é necessário rever o negócio e compreender as tendências para, assim, inovar, se adaptar e engajar seu público. E o marketing tem um papel fundamental nesse processo.

Se o ano passado foi para se recuperar de uma crise da covid-19, este ano é para responder e prosperar em um mundo pós-pandemia.

As expectativas, objeções e exigências do público estão diferentes, então, as ações e campanhas desenvolvidas pelas empresas precisam estar alinhadas a essa nova realidade para que a marca seja atrativa para o consumidor.

Assim, é preciso saber o que está acontecendo para criar estratégias que posicionem favoravelmente a empresa frente às oportunidades e aos desafios que se apresentam.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo com as 9 principais tendências de marketing para você ficar de olho em 2023:

As principais tendências de marketing em 2023

1.  Ferramentas tecnológicas

Os consumidores buscam comodidade, personalização e compra online

cs brasileiros mudaram a forma de comprar durante a pandemia da Covid-19, e isso continuará  impactando as formas de fazer negócio.

Os brasileiros são os líderes no crescimento das compras online, sendo os que mais adotaram essa prática, com 30% de incremento. Esse novo comportamento, mais caseiro e digital, fez com que a comodidade se tornasse um ponto crítico na hora de decidir por uma compra. 

Há pouco tempo atrás, os momentos decisivos da compra eram, muitas vezes, “olho no olho”. Ali, a empresa e o comprador se colocavam frente a frente para fazer a negociação, certo?

Agora, em muitos casos, é preciso atrair e converter o cliente à distância, sem a presença ativa do vendedor. Por isso, o atual cenário faz com que as organizações tenham que criar um ambiente propício aos negócios e o uso de ferramentas digitais para melhorar essa experiência, é um dos elementos-chave.

Ferramentas como User Experience (UX), Big Data e Analytics, e, Inteligência Artificial (IA) têm o cliente como centro da empresa (Customer Centric) e focam na experiência do usuário em tudo (no produto, serviço, processo de compra, etc), na coleta de dados para nortear decisões da empresa e, em automatizar e personalizar o atendimento, e em muito mais.

Com o desenvolvimento de chatbots, por exemplo, a interação entre empresa e cliente pode ser ainda mais rápida, personalizada e eficiente. Utilizando-se de tecnologias de processamento de linguagem natural e inteligência artificial, os chatbots podem ser programados para responder às perguntas e demandas dos clientes em tempo real, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Com isso, é possível proporcionar uma experiência de atendimento diferenciada e de qualidade, aumentando a satisfação do cliente e fidelizando-o à marca.

2.  Experiências híbridas

A jornada de compra no varejo será on e offline

Dando continuidade ao item anterior, os espaços físicos não serão abandonados, mas terão uma nova função, servindo como vitrine física para conhecer produtos ou como uma opção de lazer.

As experiências híbridas omnichannel, ou seja, que mesclam experiências on e offline merecem destaque em 2023. A tendência é manter as compras digitais e ter a loja física como extensão (das lojas virtuais), onde o consumidor pode tocar e experimentar aquilo que vê no digital, incluído componentes digitais como display com touch screen para realizar compras, óculos de realidade aumentada para conhecer ambientes e objetos ainda em produção, espelhos virtuais para experimentar roupas e maquiagens, entre outros.

Com a “fidigitalização” dos negócios (união entre o físico e o digital), é importante buscar sempre ter o controle sobre a qualidade e unificação das informações para garantir a fluidez da jornada do cliente.

3.  Marketing data-driven

O marketing precisará cada vez mais ser baseado em dados

Acabou o achismo, hein. A tendência é que os dados sejam cada vez mais responsáveis por guiar as campanhas de marketing e ajudem as marcas a realizar ações mais assertivas

A coleta ordenada e consentida do público proporcionará a criação de estratégias de marketing mais eficientes. Tudo isso porque o perfil do comportamento do consumidor poderá ser mapeado de maneira mais objetiva e precisa, da mesma forma que será mais fácil enxergar as tendências de consumo para os próximos ciclos de vendas

Nesse sentido, as empresas devem mostrar que o cliente vai encontrar o que realmente precisa: um produto ou serviço desenvolvido para satisfazer necessidades específicas.

4.  Marketing conversacional

O marketing conversacional será simplificado pelos chatbots

Hoje em dia, as pessoas valorizam uma conexão próxima e imediata com as empresas das quais compram. Mas nem sempre é fácil criar essa proximidade online. 

As pessoas não querem preencher um formulário de lead e esperar um ou dois dias para receber uma resposta da sua empresa. Em vez disso, eles querem iniciar uma conversa imediatamente e serem cada vez mais autônomas nas interações. Portanto, os chatbots serão cruciais em 2023.

Eles devem estar inseridos nas mais diversas camadas da sua empresa. Além de ter página de atendimento e FAQ, deve-se utilizá-los em outras páginas do site, como a de contato, compras, blog e também nas redes sociais, agregando e otimizando a jornada de compra do usuário e tornando o ciclo de compra mais curto.

Somado a inteligência artificial, as pessoas sentem que o contato é mais natural – com humor, honestidade, vulnerabilidade e tudo mais que buscamos em nossos relacionamentos interpessoais – isso influencia na continuação do contato com o robô. 

Juntamente com a automação, fornecendo respostas pré-programadas, gera mais agilidade para os clientes e para a empresa – e ainda serve como um “filtro”, encaminhando os clientes aos atendentes certos.

5.  Conteúdo em vídeo

O conteúdo de vídeo curto será um dos maiores investimentos de marketing

Os brasileiros têm preferência pelo consumo de conteúdos em vídeo. A tendência mostra que os vídeos curtos estão mais em alta. Instagram Reels, TikTok, Youtube Shorts estão aí para comprovar isso.

90% dos profissionais de marketing aumentarão ou manterão seus investimentos em vídeos curtos, enquanto 1 em cada 5 profissionais de marketing planeja aproveitar o vídeo curto pela primeira vez em 2023.

Porém, vale ressaltar que os vídeos médios e longos também mantém sua tendência e que as estratégias de tamanhos mudam conforme cada plataforma e estratégia. Enquanto o YouTube permite e valoriza conteúdos mais longos, explicativos e com descrições maiores, no TikTok e no Instagram fazem sucessos os vídeos mais curtos e objetivos. Então, é importante avaliar quais formatos de vídeo fazem sentido para a sua empresa e estratégia.

Essa tendência já era de se esperar, uma vez que a internet é um ambiente dinâmico e os vídeos oferecem essa praticidade e o entretenimento que as pessoas estão buscando. São conteúdos mais fáceis de consumir em comparação com os textos.

💡 Se você quiser ter ideias de conteúdo, não deixe de ver esse artigo com os termos mais pesquisados no Google.

6.  Podcasts

Os podcasts se popularizaram e são promessa em 2023

Os podcasts – inclusive os cortes – invadiram as redes sociais. E isso se tornou uma das ferramentas de marketing para 2023. 

Esse formato não para de crescer. Assim como mencionamos no item anterior, é um conteúdo fácil de ser consumido, já que o usuário pode apenas escutar.

O marketing de podcast funciona muito bem porque as ações não exigem que o usuário mantenha muita concentração, como acontece em outros canais, e não é preciso fazer um investimento muito grande para a sua produção.

Além disso, 81% dos ouvintes realizam uma ação depois de ouvir os anúncios. Essa ação (CTA) pode ser: curtir a marca nas redes sociais, pesquisar o que ouviram e/ou discutir sobre o assunto com as pessoas ao seu redor.

Isso porque, os anúncios de terceiros ou anúncios da própria empresa nos podcasts faz com que a propaganda soe genuína para os telespectadores. Mas lembre-se: afaste-se do roteiro detalhado, palavra por palavra, adotado pelos anunciantes de rádio.

 

💡 Leia também:

 

7.  Marketing de influência

O marketing de influenciadores se tornará uma tática de marketing comum

O marketing com influenciadores e “garotos-propaganda” é algo que existe há anos. Entretanto, sua forma mudou com o passar do tempo. Hoje, os influencers de uma marca não são apenas “garotos propaganda”, mas sim, verdadeiros embaixadores da marca

De acordo com uma pesquisa, 73% dos respondentes já compraram algum produto recomendado por influencers. No entanto, a grande aposta para esse ano está nos microinfluenciadores.

Do ponto de vista do cliente, eles são considerados mais confiáveis, pois são considerados “pessoas comuns” em sua comunidade. 

Portanto, em 2023, prevemos uma queda nos endossos caros de celebridades e um aumento nas classificações dos microinfluenciadores. As marcas estão aprendendo que mesmo os usuários com poucos seguidores podem ter o maior impacto. Desde que seu conteúdo esteja totalmente alinhado com sua marca, seus seguidores confiarão em seu conteúdo e agirão.

8.  TikTok

Os usuários e o engajamento na plataforma têm crescido cada vez mais

O TikTok é apontado como a plataforma com mais investimento de marketing em 2022. Como falamos mais acima, existe uma tendência entre os usuários de consumir vídeos mais curtos, e é por isso que o TikTok decolou.

Em 2021, ele foi o aplicativo mais baixado e somou mais de 1 bilhão de usuários ativos em todo o mundo. Embora o montante seja menor do que o do Facebook e do Instagram, o engajamento dos usuários no aplicativo é muito maior. Em 2022, a rede continuou em crescimento, aumentando inclusive a concorrência também com o youtube.

O Brasil é o segundo país que mais usa o TikTok no mundo, ficando atrás apenas da China. São cerca de 4,72 milhões de brasileiros que passam cerca de 5,4 horas por dia na rede.

Tudo aponta para ainda mais sucesso, e é por isso que essa rede social é uma forte tendência para o marketing em 2023.

9.  Responsabilidade social e ambiental

É necessário trabalhar cada vez mais com a diversidade, inclusão e meio ambiente

Esses são os compromissos que uma marca deve assumir se deseja se manter em alta, se destacar no mercado e conquistar público.

Gerações a partir dos millenials têm essa característica muito em evidência. São pessoas que se preocupam com a inclusão das minorias e a garantia dos direitos para esses grupos, que estão engajadas com questões relacionadas à preservação do meio ambiente e à sustentabilidade.

Algumas ideias: legendar os vídeos para que todos possam entender a mensagem; criar campanhas ilustradas por pessoas reais e de diferentes origens, cores e gêneros ressaltando a diversidade; posicionar-se e defender causas de responsabilidade ambiental, frisando a sustentabilidade, por exemplo.

Hora de colocar a mão na massa!

Os recursos digitais, a busca pelo bem-estar, por alternativas sustentáveis e uma maior exigência por rapidez e comodidade serão os pontos-chaves para qualquer empresa.

Agora que você está por dentro das tendências de marketing para 2023, é o momento de entender quais delas fazem sentido para sua empresa. Assim, você pode colocar a mão na massa e fazer o seu negócio crescer!

Essa tarefa vai ficar mais simples se você aprender um pouco mais sobre inbound marketing com este e-book gratuito que preparamos:

Baixe grátis o ebook:

 

Vale lembrar que cada negócio possui uma realidade e um ritmo próprio. Por isso, antes de tentar se adequar às tendências, busque analisar o que é bom para a sua empresa e para o seu público. Nem sempre o que é novidade se aplica a qualquer situação.

Na dúvida, busque o auxílio de especialistas para traçar o melhor caminho para sua empresa. E conte sempre com a Mkt Ideas!

 

Continue nos acompanhando em nosso blog, fanpage, instagram, linkedIn e Grupo no Whatsapp para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😁

#TakeIote #TakeIdeias

 

Elon Musk, o homem mais rico do mundo, fundador da Tesla e da SpaceX, agora também é oficialmente dono do Twitter. Nesta quinta-feira, dia 27 de outubro, Musk comprou o microblog por US$ 44 bilhões (R$ 235 bilhões) que estava em negociação desde abril, e agora planeja mudar as coisas.

Sua primeira medida foi demitir 4 dos principais executivos da empresa, incluindo o CEO, Parag Agrawal, segundo informou a imprensa americana. Musk havia confirmado que iria concretizar a compra da rede social e disse que estava fazendo isso “pelo futuro da civilização”.

Esta é uma das principais razões pelas quais esta notícia explodiu como um ponto final para a intriga sobre a aquisição do Twitter que circulou nas últimas semanas, e que ao mesmo tempo traz consigo novas controvérsias em torno das mudanças e perspectivas que a rede social terá a partir de agora.

Enquanto alguns analistas elogiam o valor do negócio para os acionistas, a aquisição planejada de Musk desperta preocupações com a saída de anunciantes, mudanças imprevisíveis de produtos e metas de receita pouco claras.

 

Leia também:

 

O futuro do Twitter sob Elon Musk

A afinidade de Musk com a rede pode permitir que ele melhore algoritmos e a experiência de uso em geral. Entretanto, alguns internautas demonstraram preocupações em relação à nova aquisição, temendo que a rede deixe de se tornar um espaço inclusivo para todos.

Até o momento, Musk informou que ainda está trabalhando em seus planos. No entanto, existem alguns indicadores sobre as intenções do homem mais rico do mundo, que ele expôs no próprio Twitter. Confira:

 

1. RESTAURAÇÃO DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO

A principal mudança que Musk busca no Twitter é expandir a liberdade de expressão na plataforma. Musk mencionou em mais de uma ocasião que o Twitter é “a praça da cidade” e que deveria ser um local adequado para qualquer pessoa se expressar da maneira que quiser. Isso é especialmente incisivo após as medidas que o Twitter aproveitou para tentar amenizar a desinformação que levou ao bloqueio de Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos, no início de 2021.

Após a compra no Twitter até agora, a única mensagem oficial de Musk em sua conta foi um aviso: “Espero que até meus piores críticos permaneçam no Twitter, porque é isso que significa liberdade de expressão“. Será que esse novo posicionamento irá trazer novos públicos pra rede?

 

2. SEM ANÚNCIOS NA PRAÇA

Musk acredita que para o Twitter atender ao propósito de “praça pública”, ele não deveria conter anúncios. Afinal, isso deixaria a plataforma dependente do dinheiro de empresas anunciantes e consequentemente, estaria sujeito a manipulações de acordo com o interesse de terceiros. Por isso, seu modelo de assinatura deve eliminar anúncios entre tweets.

No entanto, atualmente 90% da receita da rede é através da publicidade. Porém, Musk declarou que para redução de custos pretende descontinuar a sede da empresa em San Francisco ou então, eliminar o salário dos membros do conselho, economizando cerca de 3 milhões de dólares por ano. Além disso, aparentemente haverá uma forma de monetização através do Twitter Blue, que falaremos mais pra frente.

 

3. FUNÇÃO PARA EDITAR TWEETS

Uma das constantes e principais reclamações de vários usuários, inclusive do próprio Elon Musk, é que os tweets devem ser editáveis, e logicamente essa será uma das primeiras mudanças que poderemos ver na rede social. 

 

4. UM TWITTER DE CÓDIGO ABERTO

Outro dos planos que Musk compartilhou é a transferência do código do Twitter para um open sourcing, para que qualquer pessoa possa recomendar mudanças e novas funções, com as quais os desenvolvedores terão total liberdade para reestruturar o aplicativo e, claro, encontrar soluções viáveis ​​para os problemas que enfrentam.

Os algoritmos sempre proporcionam muito debate nas redes sociais. Ao longo dos anos, os usuários estão cada vez mais exigentes sobre a usabilidade das plataformas. Musk, parece querer contribuir para esse futuro de maior autonomia para aqueles que desejarem utilizar o Twitter.

 

5. CONTAS VERIFICADAS QUE PODEM SER COMPRADAS

Se até agora as contas verificadas no Twitter serviam para reconhecer essas personalidades ou empresas com base em sua relevância na rede social, agora Musk poderia adicionar a verificação de perfil aos seus assinantes do Twitter Blue, como mais uma garantia de autenticação da conta – que é pago e pode ser o modelo de monetização que mencionamos mais acima.

Esse ponto é polêmico, porém, para Musk, a autenticação diminuiria a presença de bots na plataforma. Um problema cada vez maior, acelerando a divulgação de fake news pela web, além da disseminação de discursos de ódio.

 

Futuro do marketing no Twitter: a rede social que revolucionou o mundo da mídia

Apesar de estar sempre à sombra do Facebook, o Twitter ainda hoje é influente e define tendências. Não há evento ou notícia mundial que não seja comentada nele.

A rede vem incorporando recursos que agradam usuários veteranos e engajam novos. A inclusão de várias fotos ou gifs nos tweets, a opção de fazer pesquisas, eliminar o limite de caracteres para mensagens privadas ou ampliar o limite de caracteres para 280 visam aproximar a rede social de seu público.

Ele foi projetado para ser um lugar para “notícias de última hora”, onde pessoas comuns se tornam emissoras, dando pequenas rajadas de informações em tempo real. Quanto mais as pessoas falam sobre um assunto, maior a probabilidade de ele “virar tendência” e chamar a atenção das principais notícias. 

De fato, muitas personalidades do mundo da política, do esporte ou da cultura utilizam a plataforma como mais um meio de comunicação. Embora outras redes sociais como Facebook e Instagram tenham um número maior de usuários, a viralidade de um comentário no Twitter ainda não tem concorrência direta. O Twitter é e tem sido uma revolução da Internet e da comunicação.

No entanto, nem todas as mudanças nos últimos anos agradaram a todos. Uma das mais notórias foi a mudança em sua linha do tempo, em que os tweets apareceriam em ordem de relevância e não em ordem cronológica. Isso não agradou aos fãs do Twitter, que logo começaram a usar a hashtag #RIPTwitter no Trending Topic.

E os impactos?

O que sabemos com certeza é que tudo o que ele fizer afetará muitas pessoas (o twitter tem cerca de 200 milhões de usuários em todo o mundo), e, portanto isso respingará aos profissionais de marketing que trabalham com a gestão de conteúdos e de anúncios nessa rede, devendo se preparar e ajustar suas estratégias.

Se Musk realmente reconsiderar seu plano de remover anúncios, os profissionais de marketing devem reavaliar onde investir melhor o orçamento que estão usando na publicidade paga do Twitter, migrando para outras redes sociais, por exemplo, como Instagram, Facebook, LinkedIn e Google Ads, e até mesmo em redes que talvez você ainda não tenha experimentado como TikTok , Snapchat ou Pinterest, visando, inclusive, que talvez haja migração dos usuários do twitter para esses canais. Pra te ajudar, confira esse artigo: Redes Sociais: minha empresa precisa estar presente em todas?

Sempre há alternativas para atingir seu público-alvo – seja claro com seus objetivos, pense no que você estava tentando alcançar no Twitter e ajuste sua estratégia de acordo.

Porem, é importante não esquecer que o Twitter tem atualmente mais de 200 milhões de usuários ativos diários. Sem poder investir em anúncios, uma estratégia orgânica forte se tornará ainda mais vital para manter uma presença na plataforma. Portanto, reavalie sua estratégia atual do Twitter e considere onde você pode aprimorá-la. Mantenha seu conteúdo relevante, mantenha a voz da sua marca e analise qual tipo de conteúdo terá valor para seus seguidores e sua comunidade.

Os tweets têm uma vida útil notoriamente curta, então invista algum tempo planejando com antecedência, usando a ferramenta de agendamento para aumentar sua frequência diária e manter uma forte presença no feed.

Por fim, essas são algumas das previsões que o Elon Musk expôs no twitter e tudo pode mudar, ou não. Mas uma coisa é certa, os profissionais de marketing não podem se dar ao luxo de apenas sentar e assistir o desenrolar.

Mantenha-se atualizado, seja dinâmico com sua estratégia e saia na frente da concorrência, estando preparado para se adaptar assim que for a hora certa!

.

E você, o que acha que vem por aí?

Deixe seu comentário e aproveite e faça como os 5.347 inscritos: assine grátis nossa newsletter e faça parte da nossa lista VIP:

 

Continue nos acompanhando em nosso blog, fanpage, instagram, linkedIn e Grupo no Whatsapp para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😁

#TakeaNote #TakeIdeias

 

Empreender significa estar disposto a lidar com riscos, expectativas e paixão. E os filmes podem ser uma grande fonte de inspiração, inclusive no mundo do empreendedorismo. Milhares deles retratam histórias motivacionais, sejam elas de ficção ou baseadas na realidade.

Conhecer histórias de profissionais de sucesso e saber como surgiram algumas empresas (fictícias e reais) pode ser fundamental para os empreendedores e gestores  que estão em busca de inspiração e novas ideias para seu negócio.

 

💡 Veja também:

 

Quantas vezes você não terminou de ver um filme e ficou empolgado com uma ideia genial? Mensagens abertas e ideias malucas permitidas para um filme podem ser o ponto de partida para encontrar aquela ideia incrível que você tanto procura.

Pensando nisso, preparamos uma lista com 21 filmes incríveis (alguns deles disponíveis na Netflix e Amazon Prime):

 

1. Joy: O Nome do Sucesso (2015)

O mundo dos negócios não é feito só de homens. Pelo contrário: apesar de todos os desafios, o empreendedorismo feminino no Brasil cresceu 34% em 14 anos, chegando a 7,9 milhões de empresárias em 2014. 

Na obra, Jennifer Lawrence interpreta Joy Mangano, jovem divorciada e mãe de três filhos. Com uma vida difícil e repleta de conflitos familiares, ela acredita que seu destino é o fracasso. Entretanto, Joy inventa um esfregão revolucionário e, com ele, alcança o sucesso

O filme é uma emocionante lição de superação e encoraja mulheres que desejam entrar e se destacar no mundo dos negócios.

 

2. O Segredo do Meu Sucesso (1987)

O filme conta a história do jovem Brantley Foster, que deixa uma cidadezinha no Kansas para tentar o sucesso em Nova York. Ao chegar lá, as coisas não saem como planejadas e ele se vê obrigado a pedir um emprego ao tio que controla uma empresa milionária. 

Como o trabalho é modesto, Brantley, decide levar uma vida dupla, criando um personagem chamado Carlton Whitfield, um executivo de ideias brilhantes, mas que ninguém sabe de onde veio.

Com atitude fresca e novas ideias, consegue se passar por um alto executivo da empresa, trazendo inovação e crescimento para o negócio.

Disponível no Prime Video.

 

3. O Jogo da Imitação (2014)

O filme conta a história do matemático Alan Turing, que fez parte da equipe formada pelo governo britânico para quebrar um código usado pelos alemães na Segunda Guerra. 

Apesar de sua dificuldade em trabalhar em grupo, o matemático logo começa a liderar a equipe que busca construir uma máquina capaz de decifrar o código. 

Para empreendedores, o filme traz a importante mensagem de que é necessário acreditar na sua ideia, mesmo com as dificuldades que aparecem pelo caminho. Também é uma ótima inspiração sobre a importância de se trabalhar em equipe.

Disponível na Netflix e Prime Video.

 

4. O Sushi dos Sonhos de Jiro (2011)

O filme apresenta Juro Ono, um japonês de 85 anos, também conhecido como o mestre dos sushis. 

Ele é proprietário de um renomado restaurante, o Sukiyabashi Jiro, localizado em uma estação de metrô de Tóquio. O local, que recebeu diversos prêmios, serve pratos minuciosamente preparados e oferece aos clientes experiências gastronômicas únicas.

Extremamente perfeccionista, Juro Ono é exemplo de humildade, dedicação, disciplina e verdadeiro amor pela profissão. O japonês, que trabalha com sushis desde os 10 anos de idade, não perde o foco na busca pela receita perfeita. Para ele, o bom não é o suficiente. Por conta disso, O Sushi dos Sonhos de Jiro é um filme que com certeza irá motivar quem deseja empreender ou aprimorar seu negócio.

 

5. Decisões Extremas (2010)

Os filhos do casal Aileen e John Crowley têm uma doença degenerativa. Marcados pela falta de esperança, suas trajetórias mudam quando descobrem um cientista que pode trazer a cura. Mas para isso, John precisa abrir uma empresa para fabricar os remédios.

O filme mostra que as empresas precisam ter um propósito para serem criadas e o empresário tem que acreditar nela e no que produz. A partir de problemas pessoais, o personagem encontra uma saída, que é a abertura de uma startup.

 

6. Amor & Outras Drogas (2010)

Não se deixe enganar pelo nome. Esse filme tem o foco na vida de Jamie Randall, um vendedor, demitido da loja de eletrodomésticos em que trabalhava, que se torna um dos maiores representantes comerciais da indústria farmacêutica.

O personagem é constantemente bombardeado e é essa avaliação que deve chamar a atenção dos jovens empreendedores.

O personagem também é um ótimo exemplo de como o discurso coeso e o posicionamento com foco podem abrir novas oportunidades de negócio.

Disponível na Netflix e Prime Video.

 

7. O Negócio (2018)

Série de televisão brasileira que segue a jornada de Karin, Luna e Magali, três jovens mulheres que decidem se tornar empresárias do sexo e transformam a prostituição em um negócio bem-sucedido.

Elas criam uma agência de acompanhantes de luxo, oferecendo serviços exclusivos para clientes ricos e bem-sucedidos. A série aborda questões como a liberdade sexual, o empoderamento feminino e as relações de poder na indústria do sexo.

“O Negócio” é uma série provocante e bem-humorada, que explora um tema controverso de forma criativa e inteligente.

 

8. Golpe de Gênio (2009)

O filme é extremamente recomendado para aqueles que estão sem motivação para os empreendimentos ou mesmo desacreditados de seus projetos.

O longa traz a história de um personagem motivado e de criatividade duvidosa, que conta sempre com o apoio de seu amigo que é dono de uma habilidade natural para vendas e para criação de estratégias. No decorrer do filme, a história mostra que os negócios da dupla desandam e começam a tomar um rumo muito diferente do desejado.

Entretanto, a persistência e a coragem de tentar mais uma vez poderão ser fundamentais para dar a volta por cima.

Disponível no Prime Video.

 

9. Julie & Julia (2009)

O filme mostra a vida de duas mulheres, de tempos diferentes, em paralelo, comparando suas frustrações com a carreira e a vida cotidiana e como encontraram na culinária uma maneira de se desvencilhar da desmotivação que as assolava.

A história é fundamental para entendermos sobre a importância de não nos estagnarmos em nossas profissões, e como a busca por soluções para a vida profissional podem estar em qualquer lugar. Até mesmo em um livro de receitas.

Disponível no Prime Video.

 

 

 

10. Amor Sem Escalas (2009)

O filme conta a história de Ryan, um homem que tem a função de demitir pessoas, e por isso se torna uma pessoa insensível à angústia alheia – ele adora o que faz. Porém, a vida de Ryan começa a se complicar quando vê seu emprego ameaçado por um sistema que faz demissões por videoconferência

A falta de sensibilidade com a necessidade dos outros e a substituição de um emprego por um sistema automático são situações que podem acontecer em qualquer empresa, o que torna este filme uma boa pedida para quem não quer cair em armadilhas.

Disponível no Prime Video.

 

11. Quem Quer Ser Um Milionário (2008)

Um dos maiores sucessos do cinema indiano, o filme mostra o jovem Jamal Malik num famoso programa de perguntas e respostas na TV.

Um filme que mostra como você pode criar sua própria sorte. Mostra a história de um garoto de origem pobre e violenta que lutou para conseguir seu emprego em uma empresa de telemarketing. Um dia ele se inscreve no popular programa de TV “Quem Quer Ser um Milionário?” e sua vida tem mais uma reviravolta a partir desse ponto.

Jamal busca em sua própria história, marcada por uma infância miserável e violenta, as respostas para as questões perguntadas pelo apresentador. É um exemplo de busca de força interior, algo essencial para empreendedores.

 

12. Um Bom Ano (2006)

O filme nos apresenta um investidor bem sucedido que acaba herdando uma luxuosa propriedade na França. O personagem, sem qualquer noção de ética, prefere colocar sua vaidade à frente da boa administração, o que gera uma série de conflitos na gestão do negócio.

O filme traz uma série de reviravoltas, mas mostra-nos como o ego e a ganância cega podem por fim a qualquer império, por mais sólido que pareça.

Não só isso, é uma boa chance de refletir sobre a obsessão com o trabalho e como isso pode impactar na qualidade do seu serviço.

 

13. O Diabo Veste Prada (2006)

O Diabo Veste Prada (“The Devil Wears Prada”) é um bom filme para o empreendedor que acha que seu período como funcionário não ajudou em nada na sua carreira. O filme é estrelado por Anne Hathaway e Meryl Streep.

O sonho de Andy é ser jornalista, mas ela acaba como assistente da famosa editora Miranda Priestly. Após um tratamento humilhante, Andy se adapta e começa a usufruir dos benefícios da indústria da moda. Ela precisa fazer uma decisão entre manter seu emprego atual ou perseguir seus sonhos anteriores.

O filme mostra que muitas vezes é preciso passar por um emprego não tão positivo para ganhar experiência de vida. 

 

14. Em Boa Companhia (2004)

O filme fala sobre uma situação comum nas empresas: um chefe na casa dos 50 anos perde seu posto para um jovem com a metade da sua idade e precisa se segurar no emprego para pagar as contas em casa. 

Toda empresa passa por períodos de mudança, portanto, o filme traz mensagens importantes para quem quer estar preparado para elas.

 

15. Mestre dos Mares – O Lado Mais Distante Do Mundo (2003)

Russell Crowe é Jack Aubrey, capitão do H.M.S. Surprise, um dos principais navios de guerra da marinha britânica. Com seu país em guerra contra a França de Napoleão Bonaparte, Aubrey é atacado por um navio inimigo mais poderoso, que fere boa parte de sua tripulação e ainda danifica o navio. Aubrey então se sente dividido entre cumprir seu dever e tentar derrotar o inimigo ou retornar para cuidar dos feridos.

A liderança de Jack é notável. Com sua tripulação ferida e com medo ele consegue engajar e encorajar sua equipe focando na estratégia de explorar a fraqueza do adversário. Coragem, ousadia e análise para agir nas adversidades e no momento certo. Além da necessidade de estar preparado para enfrentar as alterações imprevistas e críticas.

Disponível no Prime Video.

 

16. Cidadão Kane (1941)

Não se assuste com a idade do filme. Os mais de 70 anos que se passaram desde o seu lançamento não reduzem o mérito de ser uma das grandes obras primas do cinema clássico.

A história conta sobre a vida de Charles Kane, um personagem fictício que trabalha na área editorial e tem uma vida fundada em idealismos que acabam se tornando obsessões loucas pelo poder. O filme mostra sua inegável capacidade de conquistar tudo o que deseja, mas, ao mesmo tempo, de perder tudo o que lhe é caro.

Essa é uma abertura fundamental para discutirmos o que está em jogo em nossas ambições, lembrando-nos de pesar nossos atos dentro e fora das empresas.

Disponível no Prime Video.

 

17. Clube da Luta (1999)

Jack é um executivo jovem, trabalha como investigador de seguros, mora confortavelmente, mas ele está ficando cada vez mais insatisfeito com sua vida medíocre. Para piorar ele está enfrentando uma terrível crise de insônia, até que encontra uma cura inusitada para o sua falta de sono ao frequentar grupos de auto-ajuda.

Nesses encontros ele passa a conviver com pessoas problemáticas como a viciada Marla Singer (Helena Bonham Carter) e a conhecer estranhos como Tyler Durden (Brad Pitt). Misterioso e cheio de ideias, Tyler apresenta para Jack um grupo secreto que se encontra para extravasar suas angústias e tensões através de violentos combates corporais.

O interessante é como o “Clube da Luta” é administrado. Com regras bem estabelecidas e conhecidas por todos, a cultura organizacional é sempre respeitada, servindo de motivação e inspiração aos seus participantes, fazendo com que muitos queiram fazer parte!

Disponível no Prime Video.

 

18. Jerry Maguire, a Grande Virada (1996)

É um filme que interpreta um agente esportivo bem-sucedido que é afastado dos negócios por acreditar que os agentes deveriam dar um tratamento mais humano aos atletas. 

Este ato de “lucidez” provoca sua demissão em um curto espaço de tempo e ele começa a perder de uma só vez todos os seus clientes, sendo obrigado a concentrar toda a sua energia e potencial em seu único cliente, um temperamental jogador negro de futebol americano. “Me ajuda a te ajudar!”

O filme mostra a dificuldade de montar um negócio em um mercado competitivo, que é possível vencer depois de um fracasso e, que, independente das consequências imediatas que isso possa acarretar, sempre mantenha seus valores éticos e morais.

Disponível no Prime Video.

 

19. Coração Valente (1995)

Quando se fala em líder e personagens de cinema, impossível não lembrar de William Wallace e o seu comovente discurso em nome da liberdade.

Quantas vezes os empreendedores são os únicos que acreditam em suas ideias? E é a paixão por elas que o faz seguir em frente. Mais uma bela história para encorajá-lo a ir firme no seu propósito.

 

20. Forrest Gump – O Contador de Histórias (1994)

O filme conta a história de Forrest Gump, uma pessoa de baixo QI que acaba se tornando um herói que decide fazer só o que o deixa feliz. A partir daí, o filme mostra uma sucessão de conquistas. Ele se torna, entre outras facetas, proprietário de uma cadeia de restaurantes especializados em camarão e sócio-fundador da Apple.

Mais do que isso, a história pode ser vista como a trajetória de uma pessoa simples que, com seu esforço, consegue superar seus problemas individuais e vencer na vida.

Ainda que de uma maneira caricata, o filme mostra que, às vezes, a chave para o sucesso está bem embaixo do seu nariz.

Disponível no Prime Video.

 

21. O Sucesso a Qualquer Preço (1992)

O filme mostra as disputas de uma equipe de vendas sob pressão.

A chegada de um novo chefe mexe com a dinâmica do ambiente. Os empreendedores são vendedores. Eles têm que vender sua visão, produto, empresa e propósito em tudo que fazem. E, geralmente, o fechamento da venda é a parte mais difícil, mas deve ser sempre perseguido.

 

Prontinho. Ufa!

Vocês já assistiram algum desses filmes? O que acharam? Deixem seus comentários! Se quiser continuar maratonando, sugerimos ver essa lista de 21 documentários e histórias reais de sucesso que todo gestor deve assistir.

Lembre-se sempre: espaços para respirar e pensar fora da caixa é fundamental.

Para te trazer mais ideias, que tal baixar nosso ebook 100% gratuito com 6 ideias de como inovar seus produtos e serviços e sair na frente da concorrência ainda hoje? Clique no banner abaixo e ganhe agora:

 

 

 

Continue nos acompanhando nos melhores canais para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio:

  facebook  instagram  blog  grupo do whatsapp  youtube  linkedin

#TakeaNote #TakeIdeas

 

Vamos trocar uma ideia?


À essa altura você já está mais que ciente do Covid-19 e já está sentindo as mudanças nas suas rotinas pessoais e profissionais, correto?

Você não está sozinho.

Essas mudanças afetam e transformam todos os setores da sociedade e todos os segmentos de negócios.

Contudo, as empresas que vão lidar melhor com a crise são aquelas capazes de mudar e se adaptar rápido.

Mudar já não é mais uma opção e pode ser questão de sobrevivência para algumas organizações.

Neste momento desafiador de quarentena em que muitos se lamentam, é hora dos verdadeiros líderes se prepararem para novos tempos e novos desafios que surgirão.

Temos que mudar nosso mindset e adotar medidas, processos e ferramentas que, até então, eram desconhecidas e pouco relevantes para a sobrevivência dos negócios.

Temos que sair fora de nossa zona de conforto, ter visão e encontrar oportunidades.

Nós da Mkt Ideas estamos comprometidos em fazer com que a roda continue girando e a crise seja menos agressiva possível.

Por sermos uma agência que sempre foi 100% digital, parte do time trabalha de forma remota desde sempre. Por isso, estamos tirando de letra os pedidos das autoridades por isolamento. Nossas operações estão funcionando normalmente e com níveis de produtividade ainda maiores

Tudo ainda é muito novo para todos nós, o que torna fundamental o compartilhamento de experiências e boas práticas.

Pensando em algumas formas de ajudar você a manter a economia ativa, trouxemos algumas ideias de estratégias + 10 ideias de ações de marketing para realizar nessa quarentena e estarmos muito bem preparados para quando tudo estiver normalizado.

Mas antes…

O que os brasileiros esperam das marcas?

Precisamos nos antecipar às mudanças no comportamento dos consumidores, e nada melhor que ter um embasamento em dados de pesquisas, não é?

Pesquisa recente da Kantar (consultoria e líder global em dados e insights), revela que 2 atitudes são importantes para os brasileiros com relação às marcas diante da pandemia do coronavírus: serem exemplos e liderarem a mudança e serem práticas e realistas.

Essa entrevista (realizada com 500 entrevistados entre os dias 13 e 16 de março), revelou que o coronavírus já preocupava 80% dos brasileiros e, quando questionados com relação ao tipo de publicidade em que as marcas brasileiras deveriam continuar investindo, mais de 80% dos entrevistados concordaram completamente que elas devem comunicar: seus esforços para enfrentar a situação e sobre como podem ser úteis nesse novo dia a dia, assim como evitar explorar a situação do coronavírus para promover suas marcas.

As marcas devem refletir sobre que tipo de comunicação utilizar e como devem agir. Afinal, não apenas seus consumidores, mas também colaboradores e demais stakeholders esperam um posicionamento das marcas, empatia e uma real preocupação com o ser humano num momento marcado pela insegurança e pelo medo.

O que os entrevistados esperam com relação ao posicionamento das marcas no Brasil?

  • Que sirvam de exemplo e guiem a mudança (25%)
  • Sejam práticas, realistas e ajudem consumidores no dia a dia (21%)
  • Ataquem a crise e demonstrem que ela pode ser derrotada (20%)
  • Usem seu conteúdo para explicar e informar (18%)
  • Reduzam a ansiedade e entendam as necessidades dos consumidores (11%)
  • Sejam otimistas e pensem de formas não convencionais (3%)

Veja mais resultados da pesquisa:

 

Portanto, se você tinha dúvidas sobre a importância do papel das marcas, esses novos dados revelam o poder e a indispensabilidade delas, bem como a urgente necessidade de agir.

As marcas devem encontrar soluções, em vez de vender entusiasmo ou imagem. Elas precisam ser tangíveis e rápidas, não impressionistas e conceituais.

É preciso reagir para garantir a existência do seu negócio hoje e nos próximos meses.

Nesse momento, o marketing se torna uma grande ferramenta para superar os impactos.

Para isso, procure posicionar sua marca na crise, tranquilizar seus clientes e cuidar do seu caixa, investindo em branding, marketing digital e de conteúdo, através de redes sociais, blogs, e-mails e outras ações que falaremos no decorrer desse artigo.

Agora com base nesses dados, vamos à ideias de estratégia para você realizar na sua empresa.

Veja também:

Quais os próximos passos?

 

 

Como reimaginar as estrategias diante de tudo isso? S

Será preciso mudar algumas rotas:

  • destacar o por que o seu produto é importante
  • reavaliar o posicionamento da marca
  • estar presente nos canais onde os clientes estão (não adianta focar numa estratégia onde você tem uma eficiência menor)
  • entender se é possível ter uma entrega ou experiência alternativa dentro do seu business
  • demonstrar cuidado e empatia (é preciso avaliar a forma como se comunicar para não parecer ser oportunista com essa situação)
  • entender quem são os seus consumidores e perceber o que eles vão querer ouvir de você

 

Agora vamos às 10 ideias de ações para você colocar em prática hoje mesmo:

Ideias de Ações: 10 tendências digitais em tempos de coronavírus

Conforme já dissemos nesse artigo “Como driblar a crise com a ajuda do marketing?“, o foco dos planos de marketing durante essa quarentena será em posicionamento e awareness, campanhas que ajudem a gerar lembrança de marca sem deixar de fora estratégias de venda.

Existem ações que você pode implementar de forma mais rápida e simples e outras, mais estruturadas, que demandam uma estratégia de médio e longo prazo.

São elas:

 

1. Branding (Marca):

Avalie a maturidade atual da sua empresa.

Se ela está nas redes sociais, mas não tem um logo, uma identidade profissional ou um planejamento consistente, este é um bom momento para dar esse novo passo.

Sua marca é muito mais do que você divulga ou anuncia, ela é construída com base no que você faz. Por isso, reveja o propósito da marca da sua empresa e leve informação qualificada ao público.

Seu posicionamento em meio à crise certamente gerará um impacto na sua imagem no médio e longo prazo.

 

2. Websites:

Publique um aviso sobre como sua empresa irá lidar com o momento. Se os seus atendimentos serão total ou parcialmente fechados, ou qualquer outra mudança.

Agora, se você não tem site, aproveite o momento para fazer um, repensar melhorias se você já tiver ou mesmo crie um novo adequado aos seus objetivos e planos.

Confira algumas dicas aqui: Dicas sobre design que irão alavancar as conversões do seu site.

Se sua empresa vendia por pontos físicos e ainda não tem e-commerce, a dica é começar ingressando em um marketplace ou plataforma de loja virtual, que já oferece uma estrutura funcional.

 

3. SEO e Conteúdo:

A internet é fonte de conteúdo para entender como agir nesse momento. São conteúdos úteis que fazem a diferença na vida do cliente e, mais do que isso, ajudam a construir ou fortalecer a reputação da sua marca.

Pela observação no Google Trends (serviço do Google que revela as tendências de buscas na Internet), é possível constatar um pulo gigantesco de buscas para o termo “coronavírus” e para itens ou serviços relacionados a ele.

Desde meados de janeiro, as buscas por esse termo dispararam e devem continuar crescendo até o fim da pandemia. Então adicione esses termos no conteúdo do seu blog.

Agora o mais importante é servir e informar seu público. Isso também cria uma oportunidade ética e eficaz de posicionar sua empresa positivamente hoje e no futuro.

Além disso, a maioria dos seus clientes e leads estarão em casa, pesquisado sobre seus problemas e desafios que a sua empresa pode resolver.

Como é um investimento de médio à longo prazo, é necessário investir nesse tipo de atividade para garantir o futuro da visibilidade da sua empresa.

Portanto, comunique-se. O mundo precisa de você.

 

4. Redes Sociais:

Essa merece uma atenção redobrada nesse período. É provável que exista um fluxo bastante intenso de pessoas perguntando e interagindo com suas publicações, especialmente se seu público for B2C.

Lembre-se de garantir conteúdo útil e também de ajustar os conteúdos ao cenário atual.

Outra boa ideia é humanizar a sua empresa com stories e lives nas redes sociais, mostrando os bastidores.

Por exemplo, compartilhar o cenário da sua equipe no home office pode ajudar a se conectar melhor com os clientes e servir de base para apoiá-los. No caso de restaurantes atendendo por delivery, é interessante mostrar quais cuidados têm sido tomados na cozinha para evitar contaminações. Vale ainda compartilhar as dores do negócio, como o desafio de pagar as contas ou gerenciar a equipe remota.

Se você não consegue vender agora, pode lançar um voucher para depois. Vender um voucher de R$ 10 por R$ 7 é uma estratégia de marketing e pode ajudar muito o fluxo de caixa.

Em tempos de quarentena, comunicar-se via redes sociais não é apenas jogada de marketing. Esteja atento a esse canal.

 

5. Anúncios:

Nesse momento é interessante focar em branding e conteúdo educativo nos anúncios do Google e Social Ads.

Aproveite que nesse período você vai ter menos concorrência, o que torna mais fácil de se obter resultados, principalmente por conta da baixa do CPC (Custo por Clique) e fatores de busca x demanda.

Além disso, conforme já falamos nesse artigo aqui, no caso do Google, os anúncios de search (rede de pesquisa) são mostrados para o usuário no momento exato em que ele está buscando pelo seu produto ou serviço, Por isso é importante também continuar com essa estratégia.

Em caráter mais promocional, divulgue os vouchers que mencionei no tópico anterior e ofertas que ajudarão de fato o seu público, como cursos, consultorias, sessões, etc. Se for de graça ou com valor mínimo de entrada, melhor ainda

Vou dar algumas ideias no próximo tópico.

 

6. Landing Pages e Materiais Ricos:

Invista na geração de leads.

Em linhas gerais, leads podem ser definidos como pessoas ou empresas que entraram em contato com sua empresa e têm potencial para se tornarem clientes.

Mesmo que eles não fechem negócio agora, ter essa base de pessoas pode gerar resultados no médio e longo prazo.

Uma das formas comuns de gerar leads é oferecer algo de valor, como as ofertas que mencionei acima ou um material rico (ebook, templates, infográfico, etc), por meio de um formulário de cadastro (especialmente em landing pages). Se você não sabe o que é landing pages, descubra aqui e use-as a seu favor.

Conseguindo esses contatos na sua base de emails, será muito mais fácil construir o relacionamento.

Veja também: 3 estratégias infalíveis para gerar leads pro seu negócio e 4 formas de transformar leads em oportunidades de venda.

 

7. Emails Marketing:

Essa é uma ótima oportunidade pra você se relacionar mandando emails para os seus leads e clientes, oferecendo para eles alguns benefícios, como conteúdos exclusivos de relacionamento e informação, e, condições e ofertas especiais que ajudem a decisão de compra.

Com os leads que entram na sua base através das landing pages que mencionei no tópico anterior, você pode criar um fluxo de automação (sequência de emails) que acompanhe a jornada de compra do seu consumidor. Pense que se, em média ela leva 3 à 6 meses, se você começar agora, já estará colhendo os frutos quando essa pandemia passar.

Esse canal é super valioso para se relacionar e vender mais e sempre. Saiba mais aqui: Como o email marketing ajuda na margem de lucro da empresa.

 

8. Mídia Tradicional:

Da mesma maneira que as mídias pagas, foque em construir sua marca (branding) e informar o público ao investir em TV, rádio, impressos, etc,

O ruim dos canais offline, é que é difícil trocar a comunicação de um dia para o outro, principalmente se tratando de impressão. Então se for atuar nessa mídia foque no institucional sempre, que nunca sai de moda.

 

9. Vídeos:

É a oportunidade de desengavetar aquele projeto de um canal no Youtube ou no IGTV do Instagram, ou até mesmo realizar webinars.

Existem muitos aplicativos para videoconferência, a começar pela própria ferramenta do WhatsApp, ou então o Google Hangout, Google Meet, Zoom, Skype ou outros.

Com mais tempo, as pessoas estão consumindo mais vídeos. Então, pra começar, transforme seus conteúdos do blog em videos. Ou comece pegando apenas alguns trechos e transformando em “pílulas de conteúdo” nos seus stories ou vídeos de 1 minuto.

 

10. Co-Marketing e Parcerias:

Você pode buscar na sua rede de contatos ou na internet empresas, profissionais ou influenciadores que tenham uma boa audiência com temas relacionados aos da sua empresa para realizar parcerias.

Exemplo: guest posts, link building, materiais em conjunto, e até ofertas.

 

Vocês perceberam que muitas ideias de uma ação, podem ser atribuídas e também integradas com outras, né? Por exemplo, a ideia dos vouchers podem ser aplicadas em todas ações. E o conteúdo do vídeo pode fazer parte de um conteúdo do blog e o mesmo pode ser divulgado nas redes sociais e via e-mail mkt.

Trabalhe de forma integrada nas ações e maximize seus resultados.

Enfim, essas são algumas ideias que estamos aconselhando todos os clientes a como eles devem ajustar sua estratégia de marketing em resposta à pandemia do Covid-19. Espero que essas recomendações sejam úteis à você também.

Analise sua empresa e seu mercado, verifique os gaps e oportunidades de melhorias e pense fora da caixa.

Para contribuir com sua empresa disponibilizamos uma mentoria gratuita de 1 hora, em que avaliamos sua estratégia digital e propomos ideias de melhorias que melhor atenderá aos seus objetivos de negócio:

Acesse agora e solicite sua avaliação gratuitamente. 😉

Conclusão

O melhor momento para crescer é quando ninguém está fazendo isso.

A situação é passageira e cada dia de trabalho duro, planejamento e preparação vai impactar diretamente no crescimento do seu negócio quando as operações se normalizarem.

Como dissemos, tudo ainda é muito novo e não temos histórico. Se trata de algo sem precedentes. É bem provável que a jornada de compra do consumidor tenha mudado nessa quarentena.

Seus clientes estão mais cautelosos, mas ainda compram. Eles podem estar gastando menos, mas é necessário descobrir em que estão gastando seu dinheiro. Eles não querem arriscar perder um centavo. Eles querem comprar os produtos certos de empresas em que podem confiar.

Portanto teste, meça, aprenda, teste, reaprenda, etc, em um fluxo contínuo até entender suas métricas.

Tão logo a crise passar, o poder de compra irá subir e aos poucos o mercado irá se estabilizar novamente. Lembre-se de que quem está trabalhando para isso desde já, terá vantagens no futuro.

Essa crise global mudará fundamentalmente como pensamos, nos comportamos e consumimos.

O novo mundo terá a confiança em sua essência e a expectativa sobre as marcas será maior para que resolvam problemas, protejam, cuidem e colaborem com todos. As pessoas estão contando com a gente para isso.

Você vai sair dessa crise muito melhor do que você entrou!

Esperamos que este conteúdo tenha contribuído com este momento de enormes desafios. E se você entende que precisa dar os próximos passos, fale com a gente!

 

Se quiser receber mais ideias assim, faça como os 5.347 inscritos, assine grátis nossa newsletter abaixo e faça parte da nossa lista VIP:

Continue acompanhando nosso blogfanpage, linkedin e instagram para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

 

Você sabia que uma maneira extremamente efetiva de aumentar a taxa de cliques e conversão no seu site, por exemplo, consiste na simples adição de um botão Call to Action?

Pois é! Ficou meio perdido e bastante interessado com essa pergunta?

Então continue lendo este artigo para saber o que é botão call to action e conferir as melhores ideias para você atrair cada vez mais resultados para seu negócio.

O que é Call To Action?

“Compre”, “confira”, “acesse”, “não perca”, “aproveite”… você já deve ter lido essas frases em vários lugares por aí. Esse tipo de pedido, que incentiva quem lê a realizar uma ação, é chamado de call to action. 

Sendo assim, as call to action (CTA), ou, em bom português, “chamadas para ação”, podem ser imagens, textos, banners, botões ou links que instigam os visitantes ou leads a realizarem uma ação que você deseja. Funciona como um guia para o usuário até a conversão final.

Essa ação pode ser algo como baixar um eBook, se inscrever na sua newsletter, comprar um produto ou até ler um outro texto a respeito de determinado assunto.

Por esse motivo, em geral, botões CTA são escritos de maneira persuasiva.

É comum ver esse tipo de botão ao final de artigos, vídeos, emails e outros conteúdos. Mas também é possível criar um pop-up que indique uma ação quando seu cliente acessa seu site.

Outro uso muito comum de botões call to action são nas páginas de captura de leads, ou seja, nas landing pages.

Em geral você oferece um benefício e incentiva seu cliente a disponibilizar seu email em troca de tal benefício. Ao fim do formulário de captura você coloca, então, uma botão CTA para incentiva o cliente a aceitar a oferta.

Leitura recomendada: 3 estratégias infalíveis para gerar leads para o seu negócio

Por que a CTA é importante?

Usabilidade e Conversão. 

Essas são as palavras que definem o call to action. Afinal, ele melhora a navegação do usuário de forma que tudo fique mais claro, ajudando-o a tomar uma ação.

Os botões CTA são itens importantíssimos para uma estratégia de inbound marketing porque permitem que você converta leads e leve-os mais próximos do fundo do funil de vendas.

Imagine que você quer comprar uma roupa em uma loja virtual, mas ao chegar na página da determinada peça não encontra com facilidade um botão de “compre agora”. Você desiste, certo? Ou se você se interessou pelo conteúdo de um site e quer receber as notificações dele, mas, opa!, cade o campo da newsletter para você se inscrever?

Essas situações mostram a perda de uma oportunidade de venda e de uma geração de um novo lead pelo simples fato de não ter uma CTA efetiva. A oferta era boa, mas o visitante não sabia onde e nem como agir.

Vantagens da utilização de botões call to action

Você sabia que, de acordo com a WordStream, adicionar um único botão call to action pode aumentar a taxa de cliques em mais de 3x?

E tem mais: você consegue aumentar a taxa de vendas em até 16x.

De fato, quando se trata de uma campanha de marketing digital, o maior erro é não colocar um botão CTA ao longo do mesmo. Essa é uma das principais falhas que as empresas têm quando chegam até nós.

Além disso, um botão call to action bem posicionado e bem feito pode aumentar o engajamento e o tempo gasto no seu site.

Se ao fim (ou ao longo) de cada artigo você coloca chamadas para ação, você consegue aumentar significativamente o tempo médio que um visitante passa no seu site (ótimo também para SEO).

Esses dois fatores juntos significam que a utilização de um CTA reduz o tempo médio para que você converta um lead.

Como o visitante passa mais tempo no seu site, lendo artigos ou entendendo os produtos e serviços que você oferece, então ele estará nutrido mais rapidamente.

Ao mesmo tempo, ele também irá se transformar em cliente com mais frequência, tendo em vista os dados da taxa de cliques e vendas que citei acima.

Ou seja…

se você quer aumentar sua taxa de conversão de leads e vendas, adicionar botões de CTA é uma ótima ideia!

Como utilizar os botões call to action

O primeiro passo para definir como será seu botão de CTA é descobrir qual resultado você quer obter.

Seu desejo é aumentar a taxa de vendas? Aumentar o tempo que determinado usuário passa no site? Garantir a aquisição de novos leads? Decidir isso irá te guiar no processo de colocação deste CTA e ajudará a definir o design do mesmo, além de ajudar na elaboração do texto.

Leitura recomendada: Dicas sobre design que irão alavancar as conversões do seu site

Por exemplo, considere um lead novo, lendo um artigo que explica um aspecto básico do seu produto. Seu objetivo provavelmente será continuar o processo de nutrição e aprendizagem deste lead. Logo, seu botão de CTA irá direcioná-lo para um outro artigo, que explica algum outro aspecto sobre o mesmo assunto (coisa que eu fiz no parágrafo acima).

Agora, suponha que seu objetivo seja aumentar as vendas. Neste caso é normal que você adicione botões CTA focados em vendas nos emails direcionados à leads mais quentes. Aqueles que estão mais no fundo do funil de vendas, no estágio de decisão de compra.

Isso, portanto, é um aspecto importante sobre os botões call to action. Em geral o botão é feito pensando no estágio que o lead se encontra no funil de vendas. A ação que você quer que um lead no topo do funil tome é totalmente diferente da ação desejada para um lead mais ao fundo.

 

Por exemplo, se é uma página de produtos, ela deveria ter uma CTA para compra ou para fazer um teste gratuito. Se for um post no blog, ele pode ter uma CTA para um conteúdo rico ou para assinar a newsletter. Já em uma página de história da empresa, que tal um CTA para assistir um webinar com o CEO da empresa ou para entrar em contato via e-mail?

Mas as suas call to action não precisam estar restritas ao seu site. Você pode utilizá-las em e-mails, redes sociais, materiais ricos e vídeos da empresa. O importante é guiar o visitante para tomar a ação que você deseja.

Onde o botão call to action deve estar?

O que causa muita dúvida nas pessoas que estão iniciando na criação de call to action é em quais páginas elas deveriam estar. A resposta é simples: em todas as páginas.

Isso porque, teoricamente, todas as páginas do seu site deveriam ter um propósito bem definido e por isso mereceriam uma CTA.

De acordo com um estudo realizado por Neil Patel, colocar o botão CTA ao final da página é o mais indicado.

Botões logo no começo podem reduzir a taxa de cliques em até 17%, quando comparados com botões posicionados mais ao fim das páginas.

Mas não se engane, o desempenho do botão não está ligado simplesmente à sua colocação. A ideia de colocar o mesmo ao fim de uma página tem como objetivo explicar a oferta antes de oferecer a mesma ao cliente. E faz sentido, é muito mais fácil persuadir o cliente antes e oferecer algo depois.

Nós da Mkt Ideas, testamos diferentes botões CTAs ao longo da página, dependendo do canal e da oferta. Geralmente no meio fazemos uma chamada mais “natural” e no final um pouco mais persuasiva (afinal, é a última chamada). Mas depende muito do canal (se é um artigo do blog, um email ou uma landing page) e da oferta (se o objetivo é geração de leads ou vendas, por exemplo). Tem que planejar e saber o timing certo.

Outro ponto quanto à localização está relacionada à clareza ao redor do botão. Muitos elementos gráficos chamativos podem “camuflar” o botão. Evite, portanto, colocar o botão em locais com vários outros banners. Lembre-se: seu objetivo é que seu cliente saiba exatamente onde ele deve clicar e que isso esteja extremamente óbvio.

Outro local que deve ter um botão CTA é na sua página de captura. Ou melhor em todas as suas landing pages. Este botão é o que indicará ao seu cliente que você quer que ele troque o email por um eBook, vídeo ou outro material relevante.

Por fim, é sempre bom ter pelo menos alguns botões CTA ao longo dos seus artigos. Seja na área lateral (como fazemos aqui no blog da agência) ou ao final dos mesmos. Isto garante que os leitores passem mais tempo no site, lendo novos artigos ou fazendo eventuais compras.

Colocando a mão na massa

Agora que você já sabe o que são call to actions e toda a sua importância dentro de uma estratégia de Inbound Marketing, é hora de aprender a criar CTAs na prática.

A dica final que fica é pesquisar bastante antes de criar seus CTAs. Procure referências, olhe páginas de empresas que você admira, veja o que os grandes players de otimização da conversão estão fazendo. Analise também os emails, mídias sociais e anúncios dessas empresas.

Não se esqueça de, ao fazer essa pesquisa, olhar por uma ótica crítica, pensando nas etapas do AIDA (Atenção > Interesse > Desejo > Ação), na proposta de valor da página, nos elementos que estão em volta do CTA, etc.

E para finalizar esse artigo, não seria diferente mandar uma call to action :)

Se quiser receber mais ideias assim, faça como os 5.000 inscritos, assine grátis nossa newsletter abaixo e faça parte da nossa lista VIP:

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage, instagramlinkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio ;) #TakeaNote #TakeIdeas