Seu site vende?

Quando pergunto se o seu site vende, não estou me referindo a uma venda propriamente dita, como aquela realizada por uma loja virtual. Me refiro ao quanto o seu site está preparado para transformar visitantes em clientes.

E como seu site pode transformar visitantes em clientes?

Direcionando o visitante do seu site a converter a uma ação, seja ela um cadastro na newsletter, preenchimento do formulário de contato e até mesmo uma ligação.

Portanto, você já parou para pensar que a taxa de conversão de uma ação em seu site está diretamente relacionada ao seu design?

Assim como já falamos aqui sobre criar um Blog focado em Resultados, para alcançarmos êxito na projeção de um site é fundamental entendermos como podemos usar o design a nosso favor para criarmos sites e layouts que realmente alcancem seus objetivos e que resultem em conversões.

“Você nunca terá uma segunda chance de causar uma boa impressão” – diz o velho ditado.

O que é verdade sobre sua aparência pessoal também é verdade sobre o seu site. Concorda?

Muito mais do que garantir beleza e usabilidade, o design é capaz também de gerar e aumentar os resultados do seu negócio gerando mais leads, vendas, visitas e … lucros!

Estudos mostram que nossas reações imediatas sobre um site (aquelas que ocorrem nos primeiros dois segundos ao visitá-lo pela primeira vez) tem um impacto duradouro sobre a forma como nos sentimos em relação ao site e ao negócio por trás deles. Poucos segundos após o carregamento inicial, seus visitantes já decidiram o que eles acham sobre seu site. Se eles o acham inteligente, engraçado, profissional, acessível, útil, competente e confiável – tudo isso em pouquíssimos segundos.

Veja algumas estatísticas:

  • 94% dos usuários que abandonam um site é devido ao seu design;
  • 46% dos usuários móveis relataram ter dificuldade de interagir com uma página web, e 44% reclamaram que a navegação era difícil;
  • Apenas 55% das empresas estão atualmente realizando algum teste online de experiência do usuário;
  • Mais de 80% dos empresários consideram como sendo de alta prioridade o aumento global da conversão para seus programas de otimização de sites;
  • 86,6% das pequenas e médias empresas citam os sites como a sua tática de marketing mais importante;

Portanto, neste artigo veremos como um Design focado em Conversão pode nos ajudar a melhorar os resultados das páginas que criamos, alavancando a audiência e as vendas.

Tenho certeza que depois de ler até o final, seu site não será mais o mesmo! 🙂

Agora, se você ainda não tem nem visitantes no site, leia esse artigo: 4 ações que você precisa fazer para atrair mais visitas.

Design focado na conversão

É o design focado em resultados. É o design focado em atingir um único objetivo.

Esses objetivos podem ser:

  • Mais visitas
  • Maior volume de leads
  • Mais ligações de clientes
  • Mais vendas
  • Mais cadastros no blog

Isso significa criar um layout onde o principal objetivo é potencializar o poder de decisão do usuário através do direcionamento para ações, guiando-o para completar uma ação específica, utilizando design persuasivo e gatilhos mentais como meios de aumentar as conversões.

Todo usuário tem um objetivo, mesmo que inconsciente.

E como você consegue persuadir um visitante a completar seus objetivos de conversão usando design?

Ao se projetar um layout não basta somente pensar no fator estético e visual. É preciso projetar também para que o design cumpra a função para qual ele foi concebido. Esse é o principal objetivo dele, antes de qualquer coisa = Design Funcional.

Um design eficaz faz que o usuário não procrastine em sua decisão a ponto de deixar facilmente o seu site, ou pior, executar ações em sites concorrentes.

O design para conversão motiva, incentiva e direciona o usuário a uma ação planejada na interface, diminuindo ao mínimo possíveis ruídos que causem dispersões.

Com isso alia-se a parte de usabilidade, arquitetura da informação, navegabilidade e acessibilidade, mais a parte estética e a psicológica, para influenciar o comportamento do visitante e alcançar realmente o objetivo do site.

O design é um poderoso aliado e influencia diretamente os visitantes e consumidores.

A importância do Design focado na Conversão

Com o avanço do Marketing Digital, das vendas pela internet, do número de infoprodutores e das oportunidades de negócio nesse meio, criar um design centrado na conversão se tornou essencial para o sucesso das empresas, pois um maximiza os resultados do outro.

De nada adianta anunciar no Google, por exemplo, levar vários visitantes qualificados ao seu site, se seu site não atrai, não interage, não vende, não funciona.

Não se pode criar um site somente “bonito” e deixá-lo no ar torcendo para que os visitantes realizem as ações pretendidas. Cada vez está mais caro e concorrido conseguir tráfego para o seu site, blog, loja virtual e landing page, por isso você deve aproveitá-lo ao máximo, tentando fazer com que os seus visitantes realizem as ações pretendidas.

Faz sentido né?

Por isso Design, Usabilidade e Conversão andam lado a lado.

Estudos apontam que:

  • Empresas que investiram na melhoria no design tiveram aumento de lucratividade;
  • O design de um site é responsável por 94% da credibilidade transmitida ao visitante;
  • Melhorias no design aumentam muito a taxa de conversão de um site.

Poucas empresas dão a devida atenção no seu site, seja por falta de conhecimento ou falta de visão a esse poder que o design tem de gerar e otimizar resultados.

Poucos webdesigners criam pensando na usabilidade, experiência do usuário, cores, tipografia e etc; como forma de conseguir mais conversões. #TakeIdea!

Aplicando o Design focado na Conversão

Separei alguns itens essenciais na projeção de um site focado em conversão. Vamos lá:

– Contrastes e Cores

As cores produzem reações em nosso cérebro e influenciam nossas escolhas e ações. As cores têm significados.

Existem estudos sobre a influência emocional que as cores tem em nosso comportamento, também conhecido como Teoria das Cores.

A importância da Teoria das Cores é algo que artistas e designers têm estudado há muito tempo. O impacto visual é muito determinado pela cor e suas combinações de cores, e pode até nos levar a ter diferentes respostas emocionais.

Abaixo listamos as cores e quais influências psicológicas elas provocam:

  • Vermelho: Perigo, pare, negativo, emoção, quente, dinâmica, paixão
  • Azul: Calma, confiança, segurança, tecnologia
  • Verde: Crescimento, positivo, confortante, saúde, tranquilidade
  • Amarelo: Emocional, positivo, cautela
  • Branco: Puro, limpo, honesto
  • Preto: Sério, pesado, morte, sofisticado
  • Cinza: Integridade, neutro, fresco, maduro
  • Marrom: Saudável, orgânica, despretensiosa
  • Ouro: Conservador, estável, elegante
  • Laranja: Emocional, positivo, energia, alegria, calor
  • Roxo: Contemporâneo, nobreza, poder
  • Rosa: Jovem, feminino, moderno

Isso pode ajudá-lo a seguir um caminho de cores e agregar valor a uma mensagem que o layout queira passar.

Mas, não vá usar várias cores diferentes juntas e fazer do seu site um carnaval, que não vai funcionar e, ao contrário, irá confundir a mente do usuário.

Uma dica é explorar a roda das cores para contrastar cores quentes com cores frias para ter um destaque maior em seu call to action (chamada para ação).

Sugerir onde clicar pode ser uma good idea quando algumas pessoas precisam de um empurrãozinho, pois quanto mais escolhas disponíveis, menor as chances de uma decisão e de colocá-la em prática. Sendo assim, tente enfatizar e destacar certas opções de escolhas.

Fazer CTA (call to actions) um pouco mais chamativo e distinto dos elementos que o cercam, tornará sua interface mais chamativa.

– Imagens e Elementos

Sabe aquele monte de texto, que tem bastante importância, mas que o usuário não lê por preguiça?

Utilize imagens, fotografias e elementos para facilitar a leitura e identificação dos textos que você está abordando para o usuário. Além de ter o poder de equilibrar interfaces discretas e minimalistas

Dependendo do tipo de produto ou serviço que você possui, a utilização de imagens podem ter alto impacto na sua conversão.

– Facilidade e Simplicidade

Menos é mais. Uma mente confusa não toma decisão alguma.

Quanto menos opções você dá para seu cliente, menos confuso ele fica e mais fácil é de converter.

Esse é um conceito muito simples para a própria homepage de seu site ou para as suas landing pages.

Quanto menos elementos você coloca, menos você está concorrendo pela atenção do usuário. Ou seja, aquele elemento principal que você quer destacar, seja um formulário de contato ou uma CTA, precisa estar em evidência não só entre os outros elementos, mas entre o menor número de elementos possíveis.

Em vez de tentar colocar todas as informações possíveis em uma página, faça o mínimo para que a taxa de conversão se torne maior.

– Direcionamento

O direcionamento no design se resume basicamente em indicações visuais que levam para uma área de foco.

Elas ajudam a guiar os visitantes para ações desejadas, deixando claro o propósito da página assim que elas a visualizam.

Podem ser setas, pessoas olhando para uma direção determinada, caminhos, estradas e outras formas que direcionam o visitante para algum lugar.

O olho humano tende naturalmente a seguir essas direções.

– Diagramação UX e UI

A diagramação em uma estrutura UX (User Experience ou Experiência do Usuário) e UI (User Interface ou Interface do Usuário) representa o conjunto da obra.

A disposição dos elementos e textos conta muito, então é necessário deixar tudo o mais harmônico possível e de fácil compreensão para o público.

Dê destaque para o campo de buscas, no topo do site, de forma elegante, por exemplo.

Se o objetivo de uma página for voltado totalmente à uma conversão, manter uma só coluna dá a você mais controle sobre sua narrativa, guiando seus leitores de cima para baixo.

Nesse caso, aplica-se facilidade e simplicidade no layout. Novamente, menos é mais. O layout com várias colunas corre o risco de distrair os leitores do propósito central de uma página.

Você já percebeu que landing pages ou páginas de vendas só possuem 1 coluna?

Foi o que abordamos em simplicidade e facilidade. Quanto menos elementos você coloca, menos você está concorrendo pela atenção do usuário.

No entanto, se sua página for longa, repita a CTA ao invés de mostrá-la uma vez só. Quando as pessoas chegam ao fim da página, elas param e pensam no que fazer depois – e este é um lugar em potencial para fazer uma oferta ou fechar um negócio. Elas aguardam seu empurrãozinho, seu incentivo sobre o que fazer. Basta você ajudar 😉 #TakeIdea

– Estrutura AIDA

Você já deve conhecer o acrônimo de AIDA. Para aqueles que não sabem ainda, AIDA significa Atenção, Interesse, Desejo e Ação.

São as 4 fases, muito utilizada na publicidade, que todo cliente deve passar antes de tomar uma decisão de compra. E isso também se aplica na criação do design do site.

  1. Atenção: Atraia a atenção do visitante assim que ele acessar o seu site;
  2. Interesse: Deixe seu cliente interessado com um design atrativo e navegação intuitiva;
  3. Desejo: Use imagens e cores que despertem o desejo do cliente seguir em frente;
  4. Ação: Deixe sempre bem claro qual o próximo passo necessário para a conversão (ex: call to action e direcionamentos)

Há uma infinidade de técnicas e estratégias de design que podem não só deixar o seu site mais atrativo, bonito e confiável, mas também mais rentável.

Aliás, como estratégia de conversão, pense em ter no seu site um blog e landing pages. Recomendo a leitura: Ter um blog dá resultados? Sim, mas só depende de você.

Por fim, realize testes em seus layouts

Boa parte do sucesso, de qualquer ação da sua empresa, está nos testes.

Às vezes você cria algo legal, harmonioso, funcional, mas que não converte. Por isso é muito importante realizar testes. Não se pode criar uma interface e não acompanhar o seu desempenho.

Selecionei abaixo alguns testes que uso:

  • Teste A/B
  • Mapa de Calor (Heatmap)

 

– TESTES A/B

É um dos testes mais conhecidos e efetivos.

Esse teste consiste em dividir o tráfego de uma determinada página em 2 versões: a atual e a versão “concorrente”.

A versão desafiante contém modificações que podem ser desde novas cores até alterações nos conteúdos.

A partir disso mede-se qual é a versão que apresenta maior taxa de conversão.

Por exemplo, a mudança na cor de somente um botão simples pode aumentar a taxa de conversão.

Por exemplo, a CTA da nossa homepage tinha 2 botões da cor verde, que é a principal cor da nossa marca. Porém não nos contentamos com os resultados pois nosso principal objetivo era que o visitante entrasse em contato e agendasse um bate papo.

Decidimos então realizar testes trocando as cores do botão, deixando “o de objetivo principal” na cor rosa.

Mantivemos o mesmo conteúdo na página e texto no botão.

Resultado: 21% mais pessoas clicaram no botão rosa do que no botão verde.

 

– MAPA DE CALOR

Heatmap, ou mapa de calor, é uma ferramenta que mostra os pontos mais acessados e clicados pelos visitantes do seu site.

Através dos mapas de calor é possível identificar a usabilidade e analisar o layout, encontrando possíveis problemas e, assim, propiciar a realização de correções certeiras.

Você tem que saber quais seções de sua página de destino irá atrair clientes com maior potencial. É cabeçalho, barra lateral, acima da dobra ou o título?

Para usar o fluxo de pessoas a seu favor, você precisa gerenciar os pontos mais quentes do seu site.

Algumas dicas:

  • Mapeie os processos, faça testes e pesquisas, encontre indicadores e colete os dados;
  • Identifique os problemas e as possibilidades de melhoria do seu layout;
  • Avalie e monitore os resultados para garantir as melhorias;
  • Menos é mais. Elimine distrações do seu layout;
  • Melhorias devem ser feitas de forma gradual e contínua;
  • Faça design voltado para os processos essenciais do projeto.

Conclusão

O que adianta investir em publicidade se as pessoas que visitam o seu site não se cadastram na sua lista? O que adianta trazer tráfego para sua loja virtual se ela não vende os produtos?

A criação de um site deve ir muito além da parte estética (que é importante pois atrai seu cliente). Ele precisa funcionar de verdade e sozinho, ser uma máquina e alcançar os reais objetivos para qual ele foi criado.

É preciso zelar pela harmonia entre beleza estética, questões funcionais, de usabilidade e de conversão.

Design não é apenas o que parece e o que se sente. Design é como funciona.” – Steve Jobs

Espero que esse post tenha te ajudado a olhar seu site de outra forma.

Se ele não estiver convertendo, você já sabe que pode nos procurar! 😉

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

 

 

Na hora de divulgar a empresa, muitos empresários pensam que a publicidade é como ir ao dentista: algo que você só precisa fazer a cada seis meses.

Mas, quando a publicidade é contínua e focada, os negócios ficam mais fáceis.

Se os possíveis clientes tiverem uma visão positiva dos seus produtos e da sua reputação antes de você abordá-los ou antes de eles começarem a comprar, você terá muito mais chances de fechar uma venda, concorda?

Para te ajudar então, selecionei aqui 10 ideias para fazer isso sem gastar muito:

1. Faça os clientes se sentirem especiais.

Os clientes gostam de ser reconhecidos, isso é fato. Quem não gosta?

Coisas simples como um brinde, um cartão ou um e-mail fazem a diferença.

Um ecommerce ou loja física de moda pode enviar, por exemplo, um sachê de perfume junto com a compra. E uma consultoria de TI pode enviar uma agenda com carta de agradecimento escrita à mão.

São coisas que custam apenas alguns centavos, mas acrescenta algo especial à experiência de compra.

2. Crie materiais que os clientes queiram guardar.

A maioria dos cartões de visita é descartada algumas horas depois de uma reunião. Salvo aqueles que são criativos (e podemos trazer alguns em outro post, basta nos pedir isso nos comentários para sabermos o conteúdo que vocês querem 😉).

Mas, que tal investir também em um material institucional que as pessoas realmente usem, como um bloquinho de anotações com suas informações de contato em todas as páginas? Ou uma pasta canguru e sacola que permite que as pessoas reutilizem para arquivar seus documentos? Ou, porque não, um porta-cartão?

O bloco de anotações, por exemplo, é consultado quase todo dia, guardado por uns 30 dias e deixa uma lembrança forte. A Sacola é um outdoor ambulante da sua empresa que pode durar 1 ano ou mais.

Percebe que são materiais pontuais, porém recorrentes no uso do cliente? Ou seja, o marketing continua ativo.

Veja estes materiais que criamos para a empresa Metrópole Logística.

3. Tenha um CRM e mande cartas por e-mail e correio.

Se você não sabe o que é, CRM (Customer Relationship Management) é um termo usado para o gerenciamento do relacionamento com o cliente.

Faça cartas e envie por e-mail ou correios para clientes antigos e possíveis clientes com algo que eles queiram ler, como uma newsletter, ofertas especiais, mensagens em datas comemorativas ou um agrado personalizado (um desconto na próxima compra, por exemplo).

> Leia também: Planejamento de ações como sua empresa pode usar as datas comemorativas para vender mais.

Essa correspondência tem que ter valor para quem lê e tem que refletir o valor dos seus produtos ou serviços.

4. Participe de feiras e conferências. 

Você pode criar rapidamente folders interessantes com informações de contato, encartes com novidades sobre produtos ou um pequeno site sobre um evento, por exemplo.

O bom dos eventos é o networking que você faz.

Então procure por eventos do seu segmento em que seu público está, e mão na massa!

> Leia também: 10 ideias para aumentar suas vendas com design e divulgação.

5. Combine os negócios com prazer e solidariedade.

Realize um evento, festa ou conferência por uma causa que você apoie.

Isso traz a possibilidade de conhecer várias pessoas e exibe suas habilidades de liderança.

6. Seja ativo na internet.

Que a internet é uma mídia mais em conta que o offline, todo mundo sabe.

O problema é que as pessoas não utilizam a internet como meio de gerar negócios do jeito certo.

Não basta ter um canal da sua empresa lá. É preciso estar presente. E isso se traduz em estar ativo e atualizado.

Faça parte das redes sociais, tenha um site, um blog, mantenha esses canais atualizados periodicamente, participe de grupos e foruns, por exemplo.

7. Crie uma experiência.

Uma livraria com uma cafeteria dentro. Uma loja de móveis com profissionais para cuidar dos filhos dos clientes.

Por quê?

Para que os clientes passem algum tempo lá.

Uma manhã de domingo na livraria torna-se uma agradável rotina de fim de semana, em vez de somente uma compra. Take Idea! Pegue essa ideia.

8. Torne-se um especialista online.

Essa é uma estratégia de “degustação/amostra” para conquistar negócios.

Pesquise listas de discussão por e-mail e grupos online relevantes para sua empresa e seus clientes. Participe de vários deles publicando comentários para resolver problemas ou respondendo a perguntas.

Pode ser necessário fazer isso durante um tempo. Mas a recompensa aparece na forma de clientes e indicações.

Aqui na agência Mkt Ideas, nós oferecemos o Raio X do Marketing Digital de forma gratuita para as empresas e nos disponibilizamos a discutir, também gratuitamente, sobre os resultados instruindo os profissionais às melhores ações de acordo com os objetivos da empresa.

Nós fazemos uma avaliação do marketing, entregamos um relatório de performance, estruturamos estratégias e melhorias e sanamos eventuais dúvidas. Isso abre espaço para as empresas nos conhecerem e, consequentemente, mais oportunidade de futuros negócios.

Aliás, se você quer um diagnóstico do seu marketing, solicite já:

Conteúdos gratuitos como artigos em blog, vídeos, hangouts, infográficos e ebooks também têm esse poder. Esse artigo mesmo que estou criando agora me permite mostrar do que entendo. Se isso transmitir valor para você, bingo!

Happy Christina Aguilera GIF by The Voice - Find & Share on GIPHY

9. Não deixe os clientes escaparem.

Faça um esforço para fidelizá-los e trazê-los de volta.

Custa muito menos trazer de volta um cliente insatisfeito ou que não aparece há muito tempo do que atrair um novo.

Se você não vê um cliente há algum tempo, mande um e-mail personalizado (esse processo pode ser automatizado) perguntando se está tudo bem. Para um cliente que passou por uma situação ruim, use o telefone, reconheça a situação e pergunte se há algo que você possa fazer. Um desconto também é bom.

10. Por fim, Torne seus clientes evangelizadores da marca

Cliente satisfeito faz marketing boca-a-boca, e isso é muito poderoso!

Quantos clientes você já não conseguiu por indicações? E por uma boa avaliação na sua página? Ou por um case de um cliente? É o gatilho mental de Prova. Você prova que sua empresa tem um produto e solução que funciona.

Inclusive, leia esse artigo em que damos dicas de como e porque conseguir os depoimentos de seus clientes.

Ser gentil com os clientes é a propaganda mais inteligente e barata que você pode fazer.

Muitas dessas ações são de Branding com um direcionamento para Performance (resultados).

> Leia também: Branding ou Performance: Qual a aliada ideal para o sucesso da sua empresa? 

 

Nós vivenciamos todos os dias os negócios das empresas de diversos segmentos e entendemos o quão fundamental se faz uma divulgação. Ainda mais com a economia que estamos vivendo e a concorrência que tem crescido nos últimos tempos.

Mas, só os fortes sobrevivem. Basta você escolher e vir para a Mkt Ideas! 😄

Espero ter ajudado! Deixe seu comentário abaixo.

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

Com a chegada do final do segundo semestre do ano, você já deve ter começado a pensar em ideias para aumentar suas vendas de final desse ano e para o início do próximo, correto? Espero que sim!

Para garantir que as vendas sejam bem sucedidas e, assim, aumentar o seu faturamento é necessário começar seu planejamento o mais cedo possível. 

Para o consultor de marketing do Sebrae São Paulo, Gustavo Carrer, é preciso começar cedo. “Quem começa logo aproveita melhor. Aqueles que chamarem atenção primeiro vão sair na frente”, afirma. 

Um dos principais fatores que precisam/devem/necessitam estar no seu planejamento é o desenvolvimento do design das peças dos materiais de divulgação.

Por que?

Um fator que mostra a importância do design do material e de peças gráficas para vendas é que ela influencia, e muito, na decisão de compra dos clientes.

Lembre-se: “Quem não é visto, não é lembrado”.

Você com certeza já ouviu essa frase e isso é a pura verdade. O design vai transformar sua ideia e sua empresa em “imagem”, para ser vista. O objetivo é claro: guiar os olhos e atrair a atenção dos clientes.

Não são todos as empresas que dão o devido valor ao design na hora de analisar criticamente e planejar o crescimento de suas empresas. Isso porque delegam ao design uma função secundária.

Alguns, até mesmo, acham que trata-se de apenas uma estética, uma forma de embelezar a marca e tornar o seu símbolo um pouco mais lembrado pelos clientes.

Enganam-se.

Muitos estudos sobre a imagem da marca já relacionam um design bem feito com o aumento do faturamento e da visibilidade da empresa.

Ou seja, a identidade visual está fortemente atrelada ao sucesso.

Ainda não está convencido?

Se você estivesse vendo seus e-mails, ou passando pela rua, ou até rolando a timeline das redes sociais e vendo as ofertas de natal ou outra época do ano, qual dessas peças abaixo chamaria mais a sua atenção?

Eu aposto que você escolheu o da direita, estou certa?

Mesmo que o produto ou serviço da empresa da direita fosse melhor, “a primeira impressão é a que fica”, não é mesmo? – Outra frase que você já deve ter ouvido falar e também é a mais pura verdade.

Isso acontece porque é a primeira opinião que nós conseguimos ter. Faz parte do nosso instinto, é natural. Quem nunca julgou um livro pela capa? Ou seja, as vezes a empresa possui um produto ou serviço incrível, porém deixa a desejar no design e acabam perdendo grandes oportunidades de vendas.

Aproveite então, que nem todas as empresas abusam dessa estrategia visual  e veja aqui 10 ideias de peças gráficas para você começar a desenvolver agora mesmo e manter o faturamento em crescimento no último trimestre:

10 ideias de peças gráficas

Promocional:

1. Email Mkt

2. Peças para as redes sociais

3. Banner impresso e online

4. Flyer/Folheto/Folder

Crie essas peças gráficas com seus produtos, serviços, promoções, todas em conjunto. Ou seja, o conteúdo que disparar no e-mail marketing, poste também nas redes sociais, nos banners e materiais impressos para que toda a comunicação da campanha se converse e ganhe um espaço na mente do seu público alvo.

Institucional:

5. Caneta/Pendrive

6. Agenda

7. Mousepad

8. Papel Timbrado / Envelope

9. Pasta Canguru

10. Catálogo/portfolio de produtos

Como nas peças promocionais, faça todas as artes utilizando a mesma comunicação, com o logo, cores e formatos da identidade da marca. Use essas peças tanto para material de apresentação da empresa como também para kits de presentes em datas comemorativas, como os presentes de final de ano. Assim você está nutrindo seu público alvo e quando for vender algo será muito mais fácil, pois eles já terão se identificado com a empresa.

Dê uma espiadinha nesses materiais gráficos que nós criamos para o cliente Metrópole Logística: clicando aqui.  

Divulgação das peças gráficas nas mídias como: Google, Facebook, Email Mkt, Banners para site e outras mídias se faz necessário com um calendário planejado com uma estratégia alinhada em um funil de marketing,

Ou seja: ir cativando seus clientes desde o topo do funil até chegar na decisão de compra no final do funil. Se você ainda não tem um calendário promocional, baixe gratuitamente o nosso:

Hoje em dia está cada vez mais difícil fidelizar o cliente. Então, ajude-os diferenciando sua empresa das outras. Começando pelo design!

Ainda dá tempo! Vamos juntos?

Conheça nossas soluções e saiba como podemos te ajudar:

 Aproveite que nós estamos com um kit promocional.

  

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

A lógica empresarial se resume à velocidade. Você nunca verá a empresa mais devagar ganhando uma corrida!

É essencial sempre estar um passo à frente da concorrência para atingir grandes resultados. Mas mesmo assim, vemos muitas empresas que demoram muito a tomar uma decisão.

O que podemos falar é: essas empresas estão fadadas ao fracasso.

Demorar muito para decidir qual modelo de negócios melhor se encaixa ao seu produto, qual é a melhor forma de vender, dentre outros pontos, só retardam o crescimento de uma empresa.

Ser ágil, mais do que nunca, se faz necessário.

Quer saber como a pressa move o Vale do Silício? Como a pressa move um dos ambientes mais inovadores do mundo? Qual é o segredo dos EUA quando falamos de tecnologia e empreendedorismo?

Como a pressa diferencia uma startup de uma empresa?

Quem já trabalhou dentro de uma grande empresa, sabe que nelas existe uma cadeia de comando bem rígida. A comunicação ocorre de forma lenta e na grande parte das vezes, interesses políticos se sobrepõem ao resultado final.

Dessa forma, elas possuem uma dificuldade enorme para inovar. Até por isso, muitas delas acabam estruturando áreas de inovação fora da sua estrutura central para não ficarem para trás.

É só olhar a diferença entre uma General Motors e o Google.

Enquanto o primeiro demorou vários anos para se tornar o gigante, o outro precisou de menos de uma década.

A diferença é que em Startups, todos os membros das equipes estão com pressa. Seja de vender, inovar ou divulgar.

Enquanto o Google lançou o Google+ de forma mais rápida possível, a GM demora pelo menos um ano para testar um conceito no mercado.

Então já é possível imaginar que se o primeiro falhar, é muito mais fácil buscar uma alternativa. Já o segundo, precisa aguardar pelo menos um ano para testar algo novo no mercado. Sem contar que a estrutura do Google prioriza o feedback entre os times, enquanto em grandes empresas normalmente todas as áreas trabalham de forma separada.

Não é à toa que empresas como o Slack, Uber, RD Station, o próprio Google e etc. conseguem expandir tão rapidamente.

Mas como alinhar a pressa com a falta de dinheiro, que é tão comum no nosso mercado?

Simples: adote processos e metodologias que são comprovadamente vitoriosos! Não perca tempo com testes inúteis.

Tente aplicar o que é certo, rapidamente, sem medo de errar. Seja ágil

E o que vai fazer a sua empresa crescer rapidamente? Como validar o seu modelo de negócios de forma eficiente?

Simples: tenha pressa. Mas não faça isso da forma errada.

Veja esse vídeo da Cris Franklin:

Ao invés de ficar batendo a cabeça, tentando fazer tudo sozinho, contrate profissionais experts para te ajudar. E não pense duas vezes antes de tomar essa decisão.

Seja ágil, simples e prático!

Quem não quer uma empresa que pode se adaptar rapidamente às mudanças e ser flexível diante dos resultados?

Então, não perca tempo! Tenha pressa. É ela que te diferencia de uma grande empresa.

E além dessa comunicação aberta e vontade de inovar, quer saber qual é a metodologia que torna Startups muito mais rápidas que as grandes empresas?

Fazer acontecer

Simples, eles fazem acontecer!

O sucesso está relacionado à tomada de decisão. Mude o seu mindset para isso urgente. É preciso sair da zona de “comoditização”. Largue na frente.

Você pode estudar e ler o quanto quiser, mas nada acontece até que você execute uma ação. Faz sentido para você?

Esse é o motivo do qual várias empresas nadam tanto e morrem na praia. Muitas não estão preparadas para mudar na velocidade em que precisam.

Então vamos lá:

Existe uma ordem de atividades que devem ser estruturadas para sua empresa gerar resultados efetivos na sua estratégia.

Não adianta você implementar um processo de gestão ágil se a sua empresa não possui processos bem estruturados.

Então vamos lá aos principais passos para você fazer acontecer:

1°. Defina os Objetivos:

Se você não sabe aonde quer chegar, não adianta nada ter pressa.

Então o primeiro passo é: Defina aonde você quer chegar e como isso será feito.

Uma vez que você define seu objetivo e a estratégia que será usada para chegar lá, você deve montar a base para alavancar seu negócio.

Com essa metodologia, é possível acompanhar melhor os resultados das campanhas de prospecção e marketing em geral, avaliando o que deu certo, errado e também os pontos que mais tem atrapalhado os trabalhos dos times.

2°. Vá para a Ação:

Existe ferramentas de gestão, como o Trello, que podem te ajudar na agilidade dos processos.

Crie planilhas: “To do”; “Pendências”; “Doing”; e “Done”, por exemplo, e coloque suas ações que foram selecionadas de acordo com seus objetivos em prática.

A maior carência de grande parte das empresas no mercado hoje estão ligadas a dificuldade de definir estratégias que devem ser realizadas pelas áreas de marketing.

Logo, a primeira coisa que fazemos aqui na Mkt Ideas ao começar uma implementação, é desenhar um funil de marketing funcional, com atividades bem definidas por etapa.

Paralelamente, realizamos um estudo do marketing atual de nosso cliente, analisando todas as entradas que ele possui, além da estrutura e capacidade de conversão do site, dentre outros fatores.

Ao longo dessa etapa, realizamos atividades internas que vão desde a definição de estratégias de keywords (palavras chave) até a contratação de ferramentas necessárias para o processo funcionar de forma correta.

Por isso que fechamos contrato de parceria de 6 e 12 meses com nossos clientes, pois o setup inicial é trabalhoso e no meio do processo temos vários ajustes até a maquina funcionar.

Se você quiser ajuda, realize um diagnóstico do marketing da sua empresa através da nossa ferramenta gratuita de Raio X:

3°. Analise os Resultados:

Nós praticamos a consultoria Business Intelligence (Inteligência de Negócios) todo mês analisando os resultados obtidos nas ações de marketing e nos objetivos das empresas dos nossos clientes, com relatórios simples e focado nas métricas mais importantes.

Se quiser conhecer mais sobre esse trabalho aqui na agência, clique aqui.

Assim os processos e decisões passam a ser guiados por resultados, sendo as ações mais assertivas e permitindo o máximo rendimento.

As principais perguntas para colher o feedback são:

  • O que conseguimos entregar esse mês?
  • Quais obstáculos surgiram?
  • Quais foram os erros e acertos? 

Sucintamente, vale compartilhar boas práticas e erros percebidos, pois essa comunicação pode gerar insights e ajudar a equipe.

Com base nessas respostas, um re-planejamento e, em alguns casos, um re-briefing é feito a cada novo ciclo.

Nosso objetivo aqui é validar as ações mais eficientes, cortar as que não trazem resultados, e replicá-las. Dessa forma, conseguimos trazer resultado de forma rápida para todo o processo.

Vale a pena ir sempre com pressa?

O único caso onde não vale a pena correr antes da hora, é quando sua empresa não tem suporte que sustente uma demanda.

Por exemplo, não vale a pena vender em vários canais sem saber se sua empresa vai conseguir suportar todo o tráfego e clientes que irá receber.

Então, pense com carinho na hora de definir um objetivo. Se o seu produto não aguentar, sua empresa estará se metendo em uma roubada.

Conclusão: não perca tempo

Os seus concorrentes têm pressa. Os seus melhores colaboradores também têm pressa! Já percebeu que se você também não tiver, vai acabar ficando pra trás, certo?

Então, comece já a realizar suas ações de marketing e tenha pressa para ter sucesso. Ela não irá esperar os acomodados!

Em geral, empresas que não evoluem e não se adaptam o suficiente ao mercado, deixam de existir.

Vale lembrar que é normal ter medo ou inseguranças acerca do crescimento.

Crescimento normalmente dói pois nos faz sair da zona de conforto. Mas isso pode ser muito positivo, pois te ajudará com os resultados futuros. Então não deixe o medo te prender no lugar.

Se você deseja que sua empresa cresça, evolua e se multiplique, entre em contato conosco, pois você precisará de “braços” de profissionais qualificados.

Nós resolvemos problemas que economizam tempo e dinheiro. Vem com a gente!

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

Creio que você, como todo empresário e gestor, queira tornar seu negócio escalável. Estou certa?

Tenho certeza que sim!

Porém, com a mudança no processo de compra do consumidor vindas com o crescimento da internet, o desafio hoje passa a ser outro.

Hoje vamos falar sobre o “novo” desafio das vendas!

Muitos vendedores ainda não entenderam essa mudança e estão vendendo de forma errada, perdendo tempo, dinheiro e estressando o cliente em potencial.

Hoje os vendedores devem ser mais capacitados e apresentar uma alta qualidade na abordagem, ou não haverá espaços para conversas.

O foco aqui não está apenas em vender, mas em agregar valor ao cliente e vender de forma qualificada.

Por isso, hoje vamos falar sobre o modelo de vendas Inbound Sales e te mostrar como acompanhar o novo processo de compras do consumidor.

Vamos lá? Vamos!

O que é Inbound Sales?

Inbound Sales é o modelo de vendas que se baseia na atração de clientes via Inbound Marketing e que apresenta um processo mais consultivo, sem uma aproximação tão agressiva buscando um maior entendimento sobre quem está querendo comprar.

Se o termo Inbound Marketing soa estranho para você, leia esse artigo já: O que é Inbound Marketing e por que ela é tão importante para as empresas?

Em vez de empurrar o seu produto a qualquer preço, o vendedor passou a se pautar em 3 pontos:

  1. Verificar o que precisa ser feito;
  2. Descobrir um jeito de fazer o necessário para gerar resultado;
  3. Gerar resultado.

Por ser uma metodologia baseada em leads/prospects gerados via Inbound (ou seja, que foram atraídos), o vendedor não tem tanto esforço ao explicar do que se trata a solução pois o lead já vem mais preparado e mais maduro, portanto os esforços devem estar em mostrar como o produto ou serviço se encaixa perfeitamente à necessidade daquele consumidor.

A ideia é que os primeiros passos já tenham sido dados pelo marketing, através de conteúdos educacionais e relacionamento com o lead ao longo de sua jornada de compra.

Mãos a obra: Processo de Vendas

Abaixo, apresentamos um modelo de processo de vendas.

Porém, ela não é uma regra e sim uma referência. Cada empresa pode definir qual o melhor processo de acordo com sua realidade.

Lembrando que o Inbound Sales é baseado em um processo de compra. Portanto, leve em consideração as etapas pelas quais seu potencial cliente passa, e não as etapas que seu vendedor quer, pois a decisão é sempre dele (cliente).

Vamos à explicação de cada etapa:

1. Pesquisa:

Aqui é hora de reunir informações relevantes sobre o seu lead para que você, vendedor, possa fazer uma abordagem personalizada e que agregue valor. Pense em quais informações você precisa saber para conversar com o lead de forma mais direcionada e, importante: verifique se o lead é a persona ideal da sua empresa.

2. Prospecção

O objetivo dessa etapa é conseguir falar com o buyer lead (responsável pela decisão de compra). Caso o lead engajado com a empresa não seja o buyer lead, inicie a conversa mesmo assim (afinal, ele está engajado e será o provável promotor da sua marca) e procure envolver o tomador de decisão na conexão.

3. Conexão

Nessa etapa o objetivo é validar se o lead realmente tem FIT para o seu negócio, ou seja, se ele se é um comprador em potencial para a sua empresa. Pode vir muitos leads que não estão prontos para a compra, leads que não enxergam valor no produto ou serviço, leads com dúvidas ainda nas compras e etc, portanto, quando mais qualificado for o lead, melhor e mais fácil será o processo de venda, passando-o para a próxima etapa.

Uma forma de descobrir se o lead tem o fit é avaliando os seguintes pontos:

  • Orçamento: se possui capacidade para pagar por aquilo que você oferece.
  • Tempo/Urgência: se está interessado em comprar imediatamente.
  • Proposta de Valor: se entendeu os diferenciais de sua oferta e reconheceu a necessidade.
  • Poder de decisão: se o contato possui autonomia de decidir ou influenciar na compra.
  • Conveniência: se enxerga sua solução como a mais interessante e fácil de ser adquirida.

Se o lead não possui os 5 pontos, ele não é 100% qualificado ainda. Portanto, avalie o nível de qualificação dele, e se ele for pelo menos 50% qualificado, e esse nível for interessante para o seu negócio, dê andamento na próxima etapa.

4. Necessidade e Descoberta

Também conhecida em algumas empresas como Avaliação ou Diagnóstico, o objetivo desta etapa é descobrir a necessidade do cliente e, mais do que isso, fazer com que ele também perceba essa necessidade. Este é o momento de entender todos os principais objetivos do cliente (aumento de vendas, redução de custos, tempo para lazer, etc). Os clientes não discutem com os dados fornecidos por eles mesmos, por isso é fundamental fazer as perguntas, mesmo que pareçam óbvias. Deixe que seu lead fale do objetivo dele e o induza, por meio dos questionamentos, a concluir que precisa melhorar em algo, em vez de você mesmo apontar o erro. Se ficar evidente na avaliação que a sua empresa pode solucionar o problema do seu lead, encaminhe-o para a próxima etapa, a de solução.

5. Solução Ideal

Esta é a etapa onde o cliente já sente a necessidade e cogita soluções. Obviamente, ele só chega até aqui se a sua empresa realmente pode solucionar essa necessidade. Portanto, o objetivo aqui é apresentar os benefícios da sua solução ideal (produto ou serviço) relacionando com o que o lead relatou na etapa anterior e convencê-lo de que o passo mais lógico é a compra. Uma vez que a necessidade já está evidente, mantenha os argumentos, apontando os benefícios da sua solução e os possíveis impactos que uma demora na decisão pode acarretar (gatilho da urgência).

6. Fechamento

O objetivo final é converter a venda. Aqui o discurso se direciona automaticamente para a implementação, custos e atendimento ao cliente. Uma vez que a proposta foi encaminhada é fundamental garantir um follow-up adequado (acompanhar a venda). E a regra essencial para fazer esse acompanhamento é agregar valor a cada comunicação com o futuro cliente. Relembre as necessidades levantadas pelo mesmo juntamente com as dicas que você deu. Envie também artigos úteis e que ele possa aplicar no dia a dia e estimule a decisão de compra. Ah, e cases. Nada facilita mais a tomada de decisão nessa fase que Cases de Sucesso. Mostre como clientes parecidos alcançaram resultados tremendos. Busque sempre pelo “sim” do cliente. Vale a pena também montar uma apresentação em alguns casos – veja esse artigo: Como uma boa apresentação pode conquistar novos clientes.

Considerações e dicas finais

É comum que vendedores queiram ser otimistas e conduzir o que consideram um potencial cliente pelo funil de vendas mesmo que ele não tenha apresentado fit, empurrando a negociação para a frente.

Contudo, é importante reforçar que se o lead não apresentar o perfil adequado, essa é a hora de agradecê-lo e tirá-lo do pipeline de vendas para que não consuma mais tempo do vendedor.

Partindo do pressuposto de que as vendas são cada vez mais consultivas, o ideal é ser sincero e não empurrar clientes para dentro da empresa. Isso só aumenta as chances de um potencial cancelamento ocorrer.

Por isso, uma venda bem feita diminui as chances de cancelamento de produtos e serviços e aumenta as possibilidades de upsell (vender mais soluções para o mesmo cliente) e/ou cross-sell (vender produtos complementares ao mesmo cliente), aumentando o ticket dele (retorno do cliente para a empresa).

Para facilitar e otimizar o trabalho do time de vendas, tenha alguns templates de e-mails, apresentações e scripts prontos para apenas serem adaptados. Isso também evita a falta de padrão no discurso dos vendedores.

>> A agência Mkt Ideas possui templates de e-mails de vendas que são fornecidas gratuitamente para nossos clientes. Se você é nosso cliente e ainda não possui, solicite para nós o quanto antes 🙂

Se o cliente vier com algumas dúvidas e objeções, envie para o time de marketing para que possam criar conteúdos em cima dessas dores e apresentar pequenas saídas aos seus leads, sem citar exatamente a solução da sua empresa. Esses mesmos conteúdos podem ser usados pelos vendedores como apoio.

Caso perceba que o lead não está preparado para comprar no momento, o envie de volta para o time de marketing, que se encarregará de amadurecê-lo e nutri-lo, através das ações de Inbound Marketing.

A modelo estratégico de Inbound Marketing somada a inteligência na abordagem de Inbound Sales reduz o tempo e dinheiro investido em marketing e vendas, visto que os processos integrados são otimizados e potencializados. Ao conseguir essa redução, a empresa poderá se tornar escalável e ir em busca da expansão de mercado.

Nós sabemos disso, e por isso damos suporte e materiais bônus aos nossos clientes para que tenham sucesso também em Inbound Sales.

Espero que tenha gostado do conteúdo! Se tiver alguma dúvida, entre em contato conosco ou deixe suas perguntas nos comentários. Aproveito para sugerir a leitura de nosso eBook gratuito sobre cases de marketing digital. Se inspire:

 

A Mkt Ideas é uma agência especializada em Inbound Marketing com foco em branding e performance. Resolvemos problemas que economizam tempo e dinheiro. Vem com a gente!

 Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

Para muitas empresas, definir uma estratégia para obter um melhor retorno financeiro é uma grande dificuldade.

Muitos se perguntam se mais vale mais a pena apostar na performance ou no branding, e vice versa.

As duas apresentam vantagens, mas o que vai proporcionar mais benefícios é a união de ambas.

Mas Veronica, por que?

Para ficar mais claro, vou fazer um breve resumo sobre cada uma e como elas podem ser aplicadas ao seu negócio.

Branding

De um lado temos as ações de branding, que refere-se a todo trabalho de construção de imagem, reputação e posicionamento da marca afim de gerar valor para sua empresa, sendo de extrema importância para a sua sobrevivência.

Portanto, o objetivo aqui é fixar a marca na mente do consumidor e aumentar o valor dela, fazendo com que seu público escolha pela sua empresa e o fidelize.

Por esse motivo, não se trata de uma campanha com retorno direto e imediato sobre os investimentos, como ocorre em performance, mas que pavimenta o caminho dos negócios, trazendo ganhos de médio e longo prazo.

Nesse sentido, o branding reforça os resultados finais – que é o objetivo final da performance.

Leitura recomendada: Quais as principais características de uma boa marca?

Performance

De outro lado, outra vertente de investimento é a performance/desempenho que, como o próprio nome diz, tem o intuito de conseguir o maior retorno direto de um investimento.

Portanto, nela contemplam ações que miram a conversão de uma ação, sejam as próprias vendas ou o cadastro de uma newsletter, por exemplo.

Quem optar por ela vai ter um pouco mais de trabalho para entender termos como ROI (Retorno de Investimento), CPC (Custo por Clique), conversão e vários outros.

Conforme já postamos aqui no blog nesse artigo, dar atenção à infraestrutura e ao funcionamento do site é um exemplo de quem aposta nela, pois essas medidas garantem que mais usuários acessem o site e que cumpram o objetivo da empresa.

Apesar das dificuldades iniciais, investir em ações e ferramentas consideradas “de desempenho” é vantajoso para quem busca ganhos financeiros mais rápidos.

Em qual investir?

Durante esses anos trabalhando com diversos profissionais e clientes, sempre me fizeram a pergunta: “Por que devo investir nessa mídia que não me traz venda imediata?”

Quando se olha apenas para o resultado imediato, a tentação é grande de migrar a verba toda para a mídia de performance, mas essa estratégia tem se mostrado falha.

Obtém-se uma pequena melhora do ROI de forma imediata, mas com o tempo cai o volume de busca, cai a venda direta, cai o volume de venda total e as campanhas de remarketing praticamente não tem para quem apresentar. Ela não se sustenta ao longo prazo. Você sempre dependerá da criação de novas campanhas.

Portanto, independente do perfil da sua empresa ou de qual objetivo deseja alcançar, é preciso unir as estratégias.

As empresas deveriam considerar que não há bons resultados para uma marca sem visibilidade e credibilidade no mercado. Da mesma forma, uma boa reputação não se sustenta sem o aumento no número de vendas acompanhado da formação de uma base sólida de consumidores.

Compreende?

Aí está o ponto que devemos enxergar: o equilíbrio ideal das ações de marketing para branding ou performance não está em nenhum dos lados da balança pois neste caso teríamos obrigatoriamente que abdicar de um em detrimento do outro, ou seja, mais performance significaria menos branding e vice-versa.

Conseguir trabalhar com as duas estratégias é, portanto, buscar unir fixação de marca e efetividade das suas ações. É a solução para quem procura um resultado maior e mais duradouro.

Assim o resultado tende a ser sólido, a imagem da marca se consolida ao mesmo tempo em que traz a reboque o aumento dos índices de Performance, vendas, cadastros, acessos, views, downloads e etc.

No longo prazo, um deve estar ancorado ao outro. E a base destas ações devem ser os dados e análises de BI (Business Intelligence) e tendências de mercado, sem os quais, qualquer planejamento de marketing pode naufragar.

Essa é uma preocupação da agência Mkt Ideas. Damos grande importância ao trabalho, garantindo que a imagem da marca (branding) seja preservada durante a implementação de uma campanha de performance. Por isso somos uma agência de publicidade focada em branding + performance, sendo esse um dos nossos diferenciais.

Inclusive, trabalhamos com a metodologia de Inbound Marketing, que unifica muito bem essas 2 estratégias.

Conclusão

A empresa que reserva orçamento para campanhas tanto de branding quanto de performance aliando resultado à construção de marca estão 10 passos à frente da concorrência.

Certo?

Certo!

Para terminar, vale uma reflexão sobre o slogan da marca Tostines:

“Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?”

Deixe sua opinião nos comentários! E aproveite e baixe gratuitamente nosso infográfico que une branding + performance:


Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

Você gostaria de sua empresa fosse vista, querida e compartilhada pelo seu público, atraindo pessoas interessadas no seu produto ou serviço?

Existem grandes chances de que você esteja perdendo oportunidades de negócio não estando presente efetivamente nas redes sociais.

Para você ter uma noção, grandes do varejo consideram as mídias sociais quase tão importante quanto se ter um ecommerce.

O fato é que as pessoas estão mais conectadas do que nunca e é às redes sociais que elas recorrem quando desejam obter informações, fazer elogios ou críticas sobre as marcas de interesse.

Portanto, se você ainda não aproveita as redes sociais, fique tranquilo. Neste post, vamos te dizer quais são os benefícios e oportunidades que as redes sociais podem te oferecer.

Pegue um papel e uma caneta e #TakeIdea!

10 benefícios das Redes Sociais para Negócios

Compartilhamento de conteúdo com milhares de seguidores de uma só vez não é o único benefício das redes sociais para os negócios.

As redes sociais podem contribuir para o sucesso, a fidelização e o crescimento da sua empresa, atraindo pessoas interessadas no seu produto ou serviço, além de monitorar as tendências e encontrar oportunidades.

1. Aprender sobre o seu público

Para as empresa de qualquer setor, a chave do sucesso é conhecer o seu público.

Entender os seus clientes é fundamental para qualquer empresa que queira progredir. Saber quais são suas necessidades, desejos e anseios são triviais para o aperfeiçoamento de produtos e serviços.

Este conhecimento pode ajudá-lo a elaborar as campanhas e ofertas de produtos mais assertivos e com melhor performance, trazendo maior retorno sobre o investimento (ROI). 

2. Maior reconhecimento da marca

Cada oportunidade que você tem de distribuir o seu conteúdo e aumentar a sua visibilidade é valiosa.

O consumidores podem ter acesso à grande quantidade de informações oferecidas pela sua marca de maneira altamente dinâmica, que permitem pesquisas não lineares, e que, por sua vez, auxiliam e mesmo facilitam o processo de decisão de compra.

Diante disso, as redes sociais são valiosas para sua marca, uma vez que a torna mais acessível para novos clientes, com a consequente fidelização dos clientes já existentes.  

3. Mais oportunidades de clientes

Cada post que você faz em uma rede social é uma oportunidade para converter seguidores em clientes.

Cada post, imagem, vídeo ou comentário que clientes novos, recentes e antigos compartilham é uma interação positiva, o que aumenta a probabilidade de uma eventual conversão.

Claro que o foco desse canal não é “vender mais”, pois se trata de uma rede social, ou seja, lugar para se relacionar, mas sabendo usar essa mídia, de maneira correta, com certeza você vai perceber que suas oportunidades de vendas estão aumentando.

Afinal, toda forma de comunicação é uma oportunidade de venda. Só cuidado para não falar muito de seus produtos ou serviços e virar uma empresa chata.

Aqui na agencia Mkt Ideas, nós trabalhamos com a estratégia 80/20, sendo 80% conteúdo para atração e relacionamento e 20% do conteúdo destinado a marca e vendas.

4. Maior alcance, mais vendas

As redes sociais permitem às empresas localizarem seus clientes atuais e procurar potenciais clientes. Interagir com seus fãs ou seguidores regularmente é bem visto por outros clientes.

Quando as pessoas elogiam seu produto ou serviço, novos usuários vão segui-lo para acompanhar as atualizações e mais credibilidade a sua empresa ganhará.

A questão é simples: se a sua marca pode dialogar com um público ainda maior, por que não investir nisso?

É aí que as redes sociais mostram mais uma vez a sua força. Empresas que estabelecem uma boa comunicação online ganham visibilidade e, com isso, veem as suas vendas alavancarem.

Você também pode trabalhar com anúncios, como o Facebook Ads, para alcançar um número maior de pessoas e direcioná-los para vendas e conversões. Para te ajudar, baixe nosso eBook gratuito:

5. Melhor Investimento x Benefício

As redes sociais possibilitam gerar leads com apenas um 30% do custo de outras mídias.

O compartilhamento de conteúdo na rede social é uma ótima maneira para qualquer empresa de gerar leads.

Através dos anúncios também, pois as redes sociais geram conversões de acordo com o valor do investimento: você determina seu orçamento e pode aumentá-lo assim que estiver colhendo frutos.

O baixo custo das ações online são fundamentais para o crescimento e para o fortalecimento de uma marca.

6. Feedback instantâneo

Um dos principais segredos para um negócio crescer cada vez mais é entender os seus clientes e ouvir feedback constantemente. Aprender e satisfazê-lo.

As redes sociais oferecem um acesso instantâneo para feedbacks positivos ou negativos, fornecendo informações valiosas sobre a perspectiva do cliente.

Por exemplo, se você lançar um novo produto e compartilhá-lo nas redes sociais, você vai saber rapidamente o que seus clientes pensam dele e poderá validá-lo para que ele se torne escalável. Isso é muito comum nas startups!

7. Fortalecer relacionamento

As redes sociais ajudam a criar relacionamentos significativos com os seus clientes – antes, durante e depois de adquirirem seu produto ou serviço.

Esse tipo de diálogo entre marcas e clientes era impossível na publicidade offline. 

8. Chegar à frente de seus concorrentes

Com o monitoramento que as redes sociais oferecem, você pode obter informações preciosas sobre seus concorrentes.

Isso permitirá tomar decisões estratégicas de negócios, a fim de permanecer à frente da sua concorrência. Seu negócio poderá oferecer algo que seus concorrentes não possuem, por exemplo.

Resumindo, saber como outras marcas se posicionam e identificar seus pontos fortes e fracos ajudam uma empresa a elaborar estratégias mais eficazes.

9. Aumentar o tráfego do site e do ranking

Um dos maiores benefícios das redes sociais, ainda mais em uma estratégia de Inbound Marketing, é aumentar o tráfego qualificado para o seu site.

A partir do momento que você divulga, por exemplo, um conteúdo do blog da sua empresa nas redes sociais, você atrai visitantes em larga escala.

Leia também: Ter um blog dá resultado? Sim, mas só depende de você.

Não só ajuda você a direcionar as pessoas para o seu site, como também melhora o seu ranking nos buscadores (SEO), devido a quantidade de interações que seu site receberá. O Google e outros buscadores levam em consideração as redes sociais.

10. De fãs a aliados

Marcas que usam as redes sociais a fim de garantir a satisfação do público ganham potenciais aliados.

Fãs satisfeitos tornam-se divulgadores espontâneos de uma marca, uma vez que eles se sentem estimulados a falar positivamente sobre suas experiências. Estabeleça com essas pessoas uma relação de confiança. Seu negócio só tem a ganhar.

 

Esses foram 10 de muitos benefícios que as redes sociais podem trazer para seu negócio, se for investido e trabalhado de forma inteligente.

Agora você deve estar se perguntando “Minha empresa deve estar presente em todas as redes sociais?” Respondemos essa pergunta neste artigo aqui.

Caso tenha ficado com mais alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários 🙂

Precisa de um help?

Alguns empresários afirmam não ter conhecimento ou habilidade para atualizar, gerenciar e otimizar suas redes sociais e engajar seu público.

Esse talvez seja o grande desafio de muitos empreendedores que estão procurando uma forma de criar visibilidade do seu negócio.

Podemos falar disso em outro post. Mas caso você já queira receber algumas dicas ou precise de um direcionamento, entre em contato conosco e saiba mais sobre o que podemos fazer para ajudá-lo:

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedIn para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

Diante de um mercado cada vez mais competitivo, com dezenas de empresas no mesmo segmento, fica cada vez mais difícil decidir qual escolher, não é mesmo?

Garantia e segurança é um diferencial que deve ser levado em consideração na hora da escolha de uma empresa parceira, principalmente na área de marketing e criação por possuir grande responsabilidade no crescimento das empresas.

As agências de publicidade, marketing, criação e web precisam estudar e se atualizar constantemente para dominar o mercado e sempre estar apto a oferecer um serviço de alta qualidade.

Diante disso, as certificações vieram para ficar e trazem benefícios para todos os clientes. Eles são uma garantia de que as empresas estão de fato preparadas para oferecer a soluções prometidas ao mercado.

A Agencia Mkt Ideas, agencia de publicidade com foco em branding (fortalecimento da marca) e performance (resultados), ganhou nesse último mês os Certificados de especialização na metodologia Inbound Marketing e de especialização no uso da plataforma digital RD Station pela Resultados Digitais, fazendo parte de um grupo seleto de agências que são reconhecidas por sua qualidade e eficiência, aumentando a transparência e segurança.

Se você não conhece o método Inbound Marketing recomendamos o artigo: O que é Inbound Marketing e por que ela é tão importante para as empresas?

Resumindo, Inbound Marketing ou Marketing de Atração é uma forma de publicidade online na qual uma empresa se promove através de conteúdos atraentes e relevantes por meio de de blogs, videos, ebooks, newsletters e outras formas de marketing de conteúdo. Os objetivos são atrair, converter, relacionar e fidelizar, acompanhando a jornada de compra do cliente.

“Estamos felizes com mais uma certificação na agência, assim conseguiremos ajudar mais empresas a alcançarem seus resultados, garantindo mais confiança, ainda mais em um momento de crise pelo qual nosso país está passando.” – diz Arthur Derinarde, Art Director da Mkt Ideas.

Na prática isso significa que estamos aptos e temos o domínio nessa estratégia, integrando seu projeto de automação de marketing e realizando a gestão de blogs, mídias sociais, e-mail marketing,  landing pages para captação de leads, ebooks, e outras soluções para ajudar sua empresa vender mais.

Então agora ficou mais fácil escolher sua agencia parceira para o time da sua empresa, não é mesmo?

Por isso, convidamo-os a agendar uma Mentoria Gratuita com nossos consultores para avaliar e descobrir os próximos passos para o sucesso da sua empresa.

Está pronto? Então vem com a gente!

 *Temos disponível somente 5 vagas por mês.

Na dúvida? Escolha por empresas certificadas.

 

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas

 

Qual é a diferença entre um blog que dá resultado e outro que só dá, no máximo, visitas, sem render nenhuma conversão para a empresa?

Estratégia!

Mas não é uma estratégia qualquer, é uma estratégia que possui metodologias e muita análise.

Eu diria que existe 3 tipos de blog:

  • Blog sem estratégia
  • Blog com estratégia
  • Blog com estratégia de negócios

O blog sem estratégia foi criado apenas para que o dono tivesse uma espaço na internet em que, de vez em quando, publica algum conteúdo e .

Um blog com estratégia segue um cronograma, uma linha editorial e até mesmo divulga seus conteúdos nas redes sociais.

Agora, se você tem uma empresa e quer ter resultados, não basta ter um blog com estratégia. No seu caso é preciso ter um blog com uma estratégia de negócios.

E eu vou te dizer por quê:

Aplicando uma estratégia de negócios em um blog

O blog das empresas muitas vezes é visto como um espaço de publicação de releases, notícias sobre o dia-a-dia da empresa e algumas campanhas de marketing.

Nesse cenário, muitas desistem de criar e manter um blog atualizado alegando falta de retorno sobre o investimento.

Mudar essa visão é o primeiro passo para criar uma estratégia de marketing de conteúdo e começar a gerar negócios.

Veja alguns dados:

  • Empresas que possuem um blog obtêm 55% mais tráfego para seu site, 97% mais leads e 434% mais páginas indexadas;
  • 57% dos negócios conseguiram um cliente por meio de um blog;
  • 46% das pesquisas diárias são sobre informações de serviços ou produtos
  • Ainda, de acordo com estatísticas do Hubspot, 93% das empresas que usam uma estratégia de inbound marketing, incluindo blogs principalmente, obtém mais leads.

Penso que, a razão por que alguns empresários não aproveitam adequadamente seus blogs é porque eles realmente não entendem a mentalidade e os desejos de seus clientes.

Muitas vezes temos um ótimo conteúdo, produto ou serviços, mas 2 problemas impedem que ele brilhe e faça sucesso. São eles:

  1. Seu público nem mesmo sabe que o seu ótimo conteúdo, produto ou serviço existe;
  2. O público sabe que o conteúdo, produto ou serviço existe, mas você não sabe como captar a atenção deles.

Não tem como as pessoas comprarem algo que nem sabem que existe. E mesmo que saiba, se outra empresa conseguir atrair sua atenção, dificilmente eles irão comprar da sua que não atrai.

A questão é: Como é que você pode atrair seu público alvo? Como é que você faz isso em um blog?

Há diversas formas, e se seu blog não está lhe ajudando é porque você não está realizando esse processo da forma correta, ou nem mesmo sabe que precisa realizá-lo.

Uma dessas formas é o conteúdo relevante.

Produzindo conteúdo relevante

A produção de conteúdo relevante é, para nós, a forma mais poderosa de se fazer marketing digital atualmente.

É o que garante o recebimento de links (que dão autoridade perante ao Google). É o que as pessoas procuram e se interessam. É o que compartilham nas mídias sociais. É o que faz os autores e a empresa se tornarem uma referência e autoridade no tema.

Pensamos nos blogs como uma arma de alto impacto na atração de visitantes e conversão dos mesmos em clientes. Feito de forma correta, o blog é um dos maiores ativos e marketing que uma empresa pode ter atualmente. Isso porque o conteúdo se acumula do decorrer do tempo. Mesmo que você pare de gerar conteúdo, ele está lá para ser consumido pelo seus leads.

O problema que é ainda muitas empresas erram no conteúdo para os blogs.

Escolher sobre o que falar, pra quem falar e como falar é uma decisão essencial para o sucesso do blog da sua empresa. Um dos erros mais comuns que as empresas cometem é usar o blog para falar apenas dos seus próprios produtos e serviços, tornando assim um simples veículo de propaganda.

Na internet, o usuário é o rei. É ele que escolhe as páginas que quer visitar. Se o conteúdo não for interessante, ele tem milhares de outros sites disponíveis. Por esse motivo, é pouco provável que as pessoas se interessem pelo seu blog se sua base for apenas promocional. O conteúdo do seu blog deve ser relevante para o seu público. Eles só vão acompanhar o que você escreve se isso acrescentar algum valor para o seu dia a dia.

Como fazer então?

Primeiro, descubra para quem você vai escrever. Em diversas vezes o erro já acontece aí. Ajuda muito nessa etapa a criação de “personas“, que são nada mais que um personagem que represente seu cliente típico.

Pense em perguntas como:

  • Quem é o meu potencial cliente? O que ele faz?
  • No caso de produtos B2B, qual é o tipo de empresa que compra minha solução? E qual o cargo de quem compra?
  • Qual o nível de instrução do meu público? Quais seus desafios e obstáculos?
  • Quanto de conhecimento ele já tem sobre o meu mercado? Que tipo de coisa ele se interessaria em aprender sobre o meu setor?
  • Que tipo de informações ele consome e em quais veículos?
  • Quem influencia suas decisões?

Isso irá facilitar muito na hora de lançar um novo conteúdo. 

Segundo, defina o foco do blog. O grande segredo de um blog de negócios, que gera resultados, é encaixar o conteúdo nos diferentes objetivos da empresa, exemplo: atrair visitantes, captar emails na newsletter, educá-lo sobre o nosso mercado, tonar nossa empresa uma autoridade e referência na área e etc.

Se sua empresa é uma rede de concessionárias de carros, por exemplo, escreva comentando sobre novos lançamentos do mercado, faça guias de manutenção, ensine como escolher um seguro, dê dicas de limpeza, etc. Para um professor de culinária que comanda um curso é muito provável que “10 receita de sobremesas que você pode preparar em 1h” seja um bom conteúdo.

Essa abordagem de ensinar e educar pode ser aplicada por diversos outros tipos de negócio, mas também não é a única receita para produzir conteúdo relevante. Avalie o que faz mais sentido para o seu negócio e a jornada de compra do seu cliente. Pode ser um apanhado de notícias do mercado, uma sequência de cases de sucesso, entrevistas, etc.

A regra é: seja relevante.

E então você irá duplicar o seu tráfego de busca e atrair leads qualificados.

Check-list: Itens que não podem faltar

– Campo de Busca: Ter esse campo ajuda o visitante a encontrar conteúdo de forma rápida e fácil. Isso ajuda a diminuir a taxa de rejeição do blog.

– Comentários: Outro motivo para se ter um blog é o engajamento que ele proporciona. Não deixe de incluir um espaço para que os visitantes comentem os posts. 

– Botões de Compartilhamentos: As mídias sociais e o e-mail devem ser grandes impulsionadores de tráfego para o seu blog. Ajude e incentive os visitantes a compartilhar seu conteúdo com os botões de curtir do Facebook, envio por email, e etc. Os números que ficam nos ícones também servirão como prova social.

– Conversões: Sua empresa deve aproveitar a chance para transformar o visitante em lead (oportunidade de negócio). Portanto, vale a pena também divulgar ebooks, webinars, cupom de desconto e diagnósticos gratuitos, por exemplo. Assim você gera mais leads que podem ser nutridos com newsletters, emails e etc.

– Título: Ted Nicholas, um mundialmente famoso copywriter, disse que 73% das decisões de compra dos seus clientes são feitas quando as pessoas têm contato om o seu título. Assim, se esforce par fazer títulos mais poderosos o possível.

Title Tag: É uma marcação do código HTML que representa o título da página, que aparece na aba do navegador, nos resultados dos buscadores, e posts compartilhados. O texto incluído nessa tag permite que o usuário identifique o tipo de conteúdo que ele pode esperar dentro daquela página, além de evitar que apareça “título não encontrado” no caso das redes sociais ou que os buscadores coloquem um título aleatório, comprometendo o SEO. Portanto, leve em consideração na criação do título: não ultrapasse 60 caracteres, crie títulos descritivos, insira a palavra-chave à esquerda, inclua o nome da sua marca ao final do título e evite títulos duplicados.

– Botão CTA: Ao final de cada postagem você quer que o seu lead tome uma ação, não é mesmo? Como entrar em contato, ir para uma landing page, se cadastrar na newsletter e etc, portanto é preciso tornar isso explícito através da inserção de um call-to-action (chamada para ação) em cada artigo.

– Analytics: É essencial para entender o que está ou não funcionando no seu blog, e assim seguir ajustando e melhorando. O Google Analytics é o mais conhecido e o que mais utilizamos por ser confiável. Portanto, não esqueça de colocá-lo no blog.

Além desses itens, é preciso saber priorizá-los no layout e distribuir cada parte de acordo com sua importância e com os padrões de navegabilidade e usabilidade do usuário (UX). Não seria muito intuitivo, por exemplo, que a barra de buscas ficasse no rodapé do blog. 

Com que frequência atualizar

Para obter resultados com um blog é preciso comprometimento

Não adianta começar por começar e depois se esquecer de produzir novas publicações e interagir nos comentários.

É recomendável que seja cumprida ao menos a publicação de 2 post mensais. No entanto, algumas pesquisas já mostraram que quanto maior a frequência de publicações, maior costuma ser os números de acessos e oportunidades de negócio.

Quem deve escrever no blog

Diríamos que todas as pessoas da empresa. No entanto, sabemos que é incomum que todas as pessoas da empresa tenham interesse e até habilidades para esse tipo de tarefa.

Um profissional ou equipe qualificada saberá:

  • Escrever para seu público
  • Desenvolver uma linha editorial
  • Seguir o calendário de publicações
  • Acompanhar os resultados.

Escrever na internet é uma experiência bastante diferente de qualquer outra publicação tradicional. Há uma infinidades de outras distrações brigando pela atenção do usuário.

No desenvolvimento desse texto mesmo eu estou me dedicando já quase 3 horas, para deixar ele com um conteúdo interessante, com imagens, estrutura AIDA, técnicas de copywritting, SEO,… e ainda vai para revisão e depois a publicação dele.

Se você não conhece essas nomenclaturas, eu palestrei sobre elas em um evento online chamado CONAENE e posso disponibilizar a vocês, é só me pedir.

Para finalizar, se você está sério em criar um blog e gerar tráfego qualificado para ter como resultado final novas oportunidades de negócioo próximo passo é entrar em contato conosco.

Nossa equipe irá te ajudar a construir um blog engajado e que deixe de ser um blog que só gere visitas para um blog que gere resultados.

Preparado? Então clique no banner abaixo:

Continue acompanhando nosso blogfanpage e linkedin para receber mais dicas que irão ajudar seu negócio 😉 #TakeaNote #TakeIdeas